Sem Comentários

Um roteiro de 5 dias em Santiago é o suficiente para conhecer os pontos principais da bela capital chilena e aproveitar para fazer passeios de bate e volta a destinos incríveis, que incluem praias, montanhas, vinícolas e muito mais.

 

Como preparar o seu roteiro para visitar Santiago?

 

É certo que Santiago é uma capital com inúmeras possibilidades de turismo e que um roteiro de 5 dias não será o suficiente para conhecer tudo de interessante que há por lá.

Portanto, será necessário fazer escolhas e lamentar o que faltou no roteiro. Digo isso por já ter passado pela cidade algumas vezes e ainda ter na minha lista atrações a conhecer.

Além disso, Santiago é uma ótima base para fazer passeios de bate e volta às vinícolas, às regiões de montanhas e às cidades litorâneas.

 

 

Contudo, com um bom planejamento, e combinando atrações próximas, a possibilidade de conhecer mais coisas aumenta consideravelmente.

De modo que sugiro que você selecione o que é imperdível antes mesmo de chegar à cidade. E que reserve os passeios a outras localidades com antecedência. Há várias agências e receptivos que auxiliam nesta tarefa.

Nesta minha última viagem, meu roteiro de 5 dias em Santiago incluiu três passeios de bate e volta com a agência brasileira de turismo receptivo Destino Chile.

A escolha foi fundamental para conhecer atrações fora da capital com conforto, segurança e sem preocupações.

 

 

A escolha do hotel

 

É preciso ter em mente que Santiago é uma capital grande e populosa. Ainda assim, ela é bem segura e organizada.

Para facilitar o acesso às principais atrações, o ideal é escolher uma região próxima ao centro da cidade.

Porém, Santiago conta com um ótimo sistema metroviário. De modo que se você optar por não se hospedar perto do centro, o deslocamento não será difícil.

 

O bairro Las Condes

 

Nas primeiras vezes em que estive em Santiago, fiquei sempre hospedada em Las Condes, um bairro bem movimentado e comercial da cidade.

Dotado de edifícios modernos abriga, também, o distrito financeiro e ótimos centros comerciais. Além disso, é um grande polo gastronômico, com mais de 500 restaurantes que apresentam a culinária do mundo inteiro.

Por conta de todos esses requisitos, o bairro oferece preços um pouco “salgados”, mas procurando bem, é possível encontrar opções razoáveis.

 

O bairro da Providencia

 

Nesta minha última viagem, optei por me hospedar na região da Providencia, pois queria viver uma experiência diferente.

Na verdade, a Providencia não é um bairro e, sim, uma região que abriga vários bairros elegante de classe média e com grande concentração de estrangeiros que residem na capital chilena.

 

 

Sua localização estratégica, próxima ao centro, à Recoleta e ao bairro de Las Condes é perfeita para facilitar o deslocamento a vários atrativos da cidade.

Além disso, a região é servida pela linha 1 vermelha do metrô, o que possibilita o acesso a diferentes pontos da cidade.

É um bairro seguro, elegante, com ruas arborizadas e com ótimas opções de gastronomia. Entre eles, o moderno Costanera Shopping Center e o Pátio Bellavista.

Os preços dos hotéis na região da Providencia também não são muito em conta. Porém, eu procurei bastante e optei pelo Ibis Santiago Providencia, cujas tarifas tinham um ótimo custo/benefício.

Aliás, você pode aproveitar e fazer a sua busca pela melhor acomodação em Santiago aqui pelo banner do meu parceiro Booking.com, que se encontra na barra lateral aqui do blog.

Você não pagará mais caro pela sua reserva e ainda dará aquela força para o Turista FullTime!

 

Nosso roteiro de 5 dias em Santiago

 

Aproveitamos umas curtas férias do meu marido para matar a saudade da capital chilena. Afinal, a última vez que havíamos estado na cidade havia sido em 2007!

Queríamos ter tido mais tempo disponível, mas eu acho até que conseguimos aproveitar muito bem considerando-se um apertado roteiro de 5 dias em Santiago.

De maneira que foi muito interessante constatar como a cidade se desenvolveu e se modernizou neste período, sem perder as características culturais que a tornam tão singular.

 

Primeiro dia – Gastronomia e Compras

 

Aproveitamos para explorar o bairro da Providencia, porque não conhecíamos este lado da cidade.

Caminhamos pela Avenida Providencia até o Costanera Shopping Center, pois queríamos muito conhecer o Sky Costanera, um mirante localizado no edifício mais alto da América Latina.

 

Créditos da foto: Guillermo Troncoso by Guillefotografia.

 

Além de visitar o famoso mirante, aproveitamos para conhecer o shopping center, repleto de boas lojas internacionais e excelentes restaurantes.

 

Créditos da foto: Guillermo Troncoso by Guillefotografia.

 

Para ficarmos na mesma região da cidade, fomos conferir o Pátio Bellavista, um centro comercial e gastronômico que ocupa um quarteirão inteiro.

No entanto, não recomendo caminhar até lá, pois eles não ficam próximos. O ideal, neste caso, é optar por um Uber.

 

Segundo dia – Ecoturismo

 

Visitamos a região de Cajón del Maipo, onde tivemos a oportunidade de conhecer a Cascata el Yeso e as Termas de Colina. Foi um tour de dia inteiro, oferecido pela empresa Destino Chile.

 

Créditos da foto: Guillermo Troncoso by Guillefotografia.

 

À noite, estávamos bem cansados, de modo que fomos jantar em um dos restaurantes da Avenida Manoel Montt, próxima ao hotel Ibis Providencia e com variadas opções de restaurantes e bares.

 

Terceiro dia – História, Cultura e Gastronomia

 

Toda viagem que eu faço com o meu marido tem o dia que a gente tira pra andar feito uns camelos. Faz parte da experiência percorrer o máximo que der a fim de vivenciar, de fato, a cidade.

Assim, nosso roteiro começou pela Avenida Providencia, onde ficava o nosso hotel, até chegar à entrada principal do Cerro Santa Lucía, localizada na Avenida Libertador Bernardo O’Higgins.

Cerro Santa Lucía

 

Um dos principais pontos turísticos de Santiago e com uma bela vista da cidade, o gigantesco parque de mais de 65 mil metros quadrados oferece momentos de relaxamento e paz em uma metrópole.

Entre suas atrações, destacam-se a Terraza Neptuno e o Castelo Hidalgo.

Não chegamos a subir as escadarias e ladeiras que levam ao castelo, pois tínhamos em mente visitar o centro histórico.

 

 

Porém, é um lugar interessante de explorar, se você estiver com tempo sobrando.

A entrada para o centro de visitantes, para o parque e para o mirante no topo do morro é gratuita.

 

Plaza de Armas

 

No coração da cidade, encontra-se a Plaza de Armas, rodeada de construções históricas e de uma arquitetura belíssima, como é o caso da Catedral Metropolitana de Santiago e do edifício da Central dos Correios.

 

 

No centro bela praça, encontra-se a estátua de Pedro de Valdívia – conquistador espanhol e fundador de Santiago.

E o mobiliário urbano de Santiago, cujo similar encontramos em tantas cidades do mundo, é um convite para registrar a passagem pela bela capital chilena.

 

 

Mercado Central

 

Mais interessante pela construção, datada de 1872, do que pela culinária propriamente dita, o Mercado Central não é nem o melhor nem o maior que já visitamos. Porém, ele é um daqueles pontos turísticos quase que obrigatórios na capital chilena.

Além disso, é uma oportunidade para conhecer produtos locais e de várias partes do Chile, já que no complexo encontram-se variados estabelecimentos que oferecem diferentes produtos, tais como peixarias, açougues, padarias entre outros.

 

 

O Mercado Central está aberto todos os dias, a partir das 6:00 da manhã.

Numa das vezes em que estivemos na cidade, comemoramos meu aniversário por lá, no popular e tradicional restaurante Donde Augusto.

 

 

Entretanto, hoje em dia sabemos que há muitas opções gastronômicas mais baratas e mais gostosas espalhadas pela cidade.

De modo que passamos por lá só para uma visita rápida e optamos por almoçar no bairro Bellavista, bem próximo ao centro de Santiago.

 

Patio Bellavista

 

Centro comercial e gastronômico inaugurado em 2006, o moderno e descolado Patio Bellavista ocupa um quarteirão inteiro do bairro.

Utilizando-se do conceito de espaço aberto, o complexo de mais de 90 estabelecimentos distribui-se em dois andares.

 

 

O amplo espaço oferece várias opções de bares e restaurantes, além de lojas de roupas, de artesanato de suvenires, só para citar alguns exemplos.

Aberto todos os dias a partir das 10:00 da manhã, é uma ótima pedida para o almoço ou para o jantar.

Nesta última viagem, estivemos lá em duas ocasiões. Porém, apesar de ser um local agradável durante o dia, é a à noite que ele se torna mais especial. Isso por conta da iluminação e da atmosfera jovial do lugar.

O Patio Bellavista está localizado na Rua Constituición, que também oferece diversas opções gastronômicas, como o restaurante Como Água para Chocolate – cuja especialidade é comida brasileira – e a cervejaria chilena Kunstmann.

 

Honestamente, para um próximo roteiro de 5 dias em Santiago, eu escolheria o bairro da Bellavista para me hospedar, pois é uma região da cidade bem descolada e cheia de ótimas opções gastronômicas para curtir à noite.

 

Quarto dia – Vinícolas do Valle de Casablanca

 

Mais uma vez, participamos de um tour organizado pela Destino Chile com o intuito de conhecer as vinícolas do Valle de Casablanca, que é uma importante região vitivinícola entre Santiago e Valparaíso.

 

 

Foi um tour de dia inteiro, com visitação e degustação em quatro vinícolas emblemáticas do Valle de Casablanca: a Veramonte, a Emiliana, a Indòmita e a Casas del Bosque, onde também realizamos uma visita guiada.

Foi um dia extremamente agradável, com a possibilidade de conhecer uma região belíssima e de degustar rótulos chilenos de alta qualidade. Amamos o passeio!

 

Quinto dia – Vinícola Concha y Toro

 

Um dos momentos mais esperados em nossa viagem era, certamente, conhecer a emblemática Concha y Toro, nos arredores de Santiago.

Integrando um tour da empresa Destino Chile, pudemos conhecer o complexo vitivinícola com conforto e segurança.

 

 

Foi uma visita extremamente interessante e muito conveniente, devido à proximidade da vinícola com a capital chilena.

De modo que se você é fã de vinhos e tem pouco tempo em Santiago, a vinícola Concha y Toro pode ser uma ótima opção de passeio bate e volta.

 

Como organizar uma viagem para o Chile?

 

Documentação necessária

 

Devido ao fato de o Chile fazer parte do Mercosul, não é necessário portar um passaporte para viajar. Entretanto, a apresentação do documento de identidade (R.G.) é obrigatória.

Importante ressaltar, porém, que não é permitido viajar com a carteira de habilitação (como é possível dentro do território nacional).

Além disso, caso você não apresente o passaporte na hora da imigração, você receberá um documento em papel, que deverá ser apresentado ao sair do país. Então, guarde-o com cuidado para evitar problemas ao final da sua viagem.

 

A escolha da companhia aérea

 

Várias empresas operam rotas diretas a partir de algumas capitais brasileiras como Rio de Janeiro , São Paulo e Porto Alegre.

Aliás, você sabia que pode utilizar a empresa Passagens Promo, parceira do Turista FullTime, para comprar a sua passagem?

A empresa opera com um sistema de comparador de preços entre as principais companhias aéreas e oferece excelentes tarifas.

Confira no banner da barra lateral ou neste link do blog a melhor opção para a sua passagem.

 

Seguro Viagem

 

Qualquer que seja o destino internacional, o ideal é sempre fazer um seguro viagem. Imprevistos e problemas podem acontecer a qualquer um e a qualquer momento. Então, para viajar com tranquilidade, ele é fundamental.

Um seguro viagem não só cobre eventuais despesas médicas, como prevê reembolsos no caso de um voo atrasado, de um extravio de mala e até de ajuda para providenciar um novo passaporte, em caso de perda ou furto durante a sua viagem.

Sempre que viajo, eu adquiro um seguro através da Seguros Promo, que é parceira do blog. Ela é uma empresa que faz a cotação de várias seguradoras, de modo a oferecer a você a opção que mais se adeque às suas necessidades.

E se você comprar o seu seguro viagem utilizando o código TURISTAFULLTIME5 terá 5% de desconto no valor total da sua compra.

E se pagar no boleto, terá direito a mais 5%. Olha que economia boa! Aí é só relaxar e curtir a sua viagem.

 

Que moeda levar para o Chile?

 

A moeda usada no país é o peso chileno. Na proporção atual (dezembro de 2019), R$1,00 vale cerca de 186 CHP (pesos chilenos).

Algumas pessoas optam por levar reais; outras, preferem levar dólares em uma viagem para o Chile.

De qualquer forma, é preciso ter em mente que as duas alternativas implicarão em uma troca, sempre com perda para o turista, pois a taxa de conversão favorece a instituição que vende ou troca.

Além disso, é necessário procurar uma casa de câmbio para fazer a troca, o que pode ser um problema, especialmente, nos finais de semana.

Trocar no aeroporto é a pior alternativa possível, uma vez que as tarifas costumam ser mais altas e desfavoráveis. Então, o que fazer para não perder dinheiro?

O ideal é você trocar o menor valor possível. Apenas o suficiente para pequenas despesas. E pagar todo o restante das despesas (hotel, restaurantes, atrações) usando cartões de crédito ou de débito.

Entretanto, não se esqueça de habilitar seus cartões para uso internacional antes de deixar o Brasil.

 

Cartões de crédito internacionais

 

Mesmo com a taxa de IOF (imposto sobre operações financeiras) beirando os 7% para compras no exterior, pode ser mais vantagem usá-lo do que trocar dinheiro no país.

Os cartões de crédito, assim como os de débito, são amplamente aceitos na capital chilena e arredores.

Apenas em pequenos estabelecimentos, você terá que pagar em dinheiro vivo.

Um cartão de crédito internacional pode ser muito útil. Principalmente se você optar por pagar o hotel com ele, pois obterá a isenção do ISS (imposto local).

Isto se deve à legislação tributária que prevê que cidadãos chilenos e estrangeiros residentes paguem um extra de 19% sobre o valor da tarifa aplicada.

Como turista, você está isento(a) de pagar este imposto, caso utilize dólares americanos ou cartão de crédito para pagar a hospedagem.

Porém atenção para um detalhe: para ter direito ao benefício, você deve apresentar o cartão de imigração e o seu passaporte ou documento de identidade, comprovando que está temporariamente no país.

Um roteiro de 5 dias em Santiago com “gostinho de quero mais”!

É fato que um roteiro de 5 dias em Santiago não é o suficiente para desfrutar da cidade e ainda fazer uns passeios de bate e volta.

Afinal, somente as opções da cidade já preencheriam este período. Entretanto, como já havíamos visitado os pontos turísticos mais emblemáticos, passar dois dias inteiros por lá foi de bom tamanho.

Principalmente, porque estivemos na cidade durante uma época de intensa turbulência política, com manifestações pipocando em vários pontos da cidade durante toda a nossa permanência.

Lógico que foi uma ocasião atípica. Assim, espero que numa próxima visita, possamos passar mais tempo na capital, para aproveitar toda a infraestrutura que ela tem a oferecer aos turistas.

 

A acomodação perfeita para a sua viagem, você encontra aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *