Sem Comentários

A visita com degustação à Vinícola Salton em Bento Gonçalves é uma experiência única. A bela e imponente propriedade e o tour completo por suas instalações são um convite irresistível aos apaixonados por vinhos.

Tenho que confessar que sou fã de carteirinha de um bom vinho e de suntuosas vinícolas. Nada como conhecer as fontes deste líquido sagrado!

De modo que percorrer as várias rotas de Bento Gonçalves já estava nos meus planos há muito tempo.

Uma vontade que se intensificou, quando estive na cidade por apenas algumas horas durante o último feriado de Páscoa. Eu estava hospedada em Gramado e resolvi fazer um bate e volta.

Na ocasião, tive a oportunidade de fazer uma breve visita aos complexos enoturísticos da Casa Valduga e da Vinícola Miolo.

Entretanto, não consegui me organizar para conhecer a Vinícola Salton. 🙁 Assim, naquele momento, não restou a menor dúvida. Eu teria que voltar à região, a fim de desfrutá-la com mais calma.

Aproveitei, então, o último feriado deste ano para voltar a Bento Gonçalves e conferir as vinícolas mais emblemáticas da região.

Posso dizer, sem sombra de dúvida, que uma das mais impactantes experiências foi percorrer as instalações da Vinícola Salton.

Um pouquinho da História da Vinícola Salton

A História da família Salton é bem parecida com a de outras famílias, cujas gerações têm se dedicado ao cultivo de uvas e à fabricação de vinhos.

Assim, como outros imigrantes italianos, Antonio Domenico Salton partiu da região de Vêneto em direção ao Brasil. Buscava melhores oportunidades de vida.

Em 1878, chegou ao nosso país e instalou-se na colônia italiana de Vila Isabel (hoje, Bento Gonçalves).

Desafio do dia: descubra quem são as carinhas conhecidas da Vinícola Salton!

Em 1884, juntamente com sua esposa Lucia Canei (também imigrante italiana), abriu a “Casa di Pasto”.

Ali, o casal hospedava viajantes e comercializava queijos e embutidos. Servia, ainda, refeições.

Naturalmente, que o vinho oferecido era produzido ali mesmo, com as uvas colhidas dos parreirais que ficavam nos fundos da propriedade.

Os anos se passaram. O casal teve 10 filhos, sete dos quais uniram-se para fundar em 1910 a empresa Salton & Irmãos, cujo objetivo era tornar profissional a atividade que já era um negócio de família.

Nem preciso dizer que a história teve um final feliz. Cem anos depois, a vinícola já era reconhecida como uma das principais do país.

Atualmente, a quarta geração da família preserva o legado de Paulo Salton, seu fundador. E a empresa é líder na comercialização de espumantes nacionais no Brasil.

Beleza, cultura é uma coisa muito boa, mas vamos ao que interessa mais… Afinal, quem vai a uma vinícola quer o quê? Visitar e beber!

O que esperar da visita com degustação à Vinícola Salton?

Em primeiro lugar, devo dizer que todas as vinícolas apresentam uma certa sequência básica de visitação.

Normalmente, os roteiros incluem os parreirais, as caves de armazenamento e uma degustação de alguns rótulos emblemáticos no final do passeio.

Há variações com relação ao acesso às etapas de produção e de processo de elaboração dos vinhos.

Assim, baseada nas minhas experiências anteriores, devo dizer que considero a visita à Vinícola Salton uma das mais diferenciadas que já fiz em um tour que não fosse exclusivo.

Trocando em miúdos: eu e meu marido nos juntamos a um grupo regular de turistas. De modo que o que descreverei, possivelmente, será conferido por qualquer pessoa que resolva conhecer a Vinícola Salton.

Experiências na Vinícola Salton

A Vinícola Salton conta com 5 roteiros para atender ao público: o Tour Intenso, o Tour Gerações, o Especial Espumantes, o Especial Inverno e os Fascínios da Vindima. Importante ressaltar que estes dois últimos são sazonais.

Roteiro: Tour Intenso

Na ocasião da nossa visita, tivemos a oportunidade de participar do Tour Intenso, juntamente com outros dois casais, super simpáticos e paulistas, como nós! 🙂 🙂 🙂

À frente, o casal Nani e Reginaldo. Ao fundo, o casal Vilma e Robson. Tudo gente boa!!!

 

Nosso guia, o sommelier Claudino encontrou-nos na recepção do complexo. De lá, demos início à nossa visita.

Os vinhedos

Como demos sorte de estar um tempo bom no dia da nossa visita, uma passagem pelos vinhedos em sistema de espaldeira foi a primeira etapa do roteiro.

Entretanto, em dias de chuva, o início já ocorre nas instalações internas.

A recepção e o hall de entrada

A entrada da Vinícola Salton já dá uma pista do que encontraremos no restante da visita. As lindas pinturas no teto, obra do artista local Cristiano Fábris, não deixam dúvida de que a decoração recebeu especial atenção.

Galeria dos 100 anos

Como o próprio nome já explica, a Galeria dos 100 anos conta, através de pinturas, a história da vinícola.

De fato, as imagens valem mais do que mil palavras, ainda que haja uma narração minuciosa por parte do guia.

A produção e a elaboração dos vinhos

Após a passagem pela parte histórica da vinícola, dirigimo-nos à parte operacional do complexo vitivinícola.

Chegou, então, o momento da maior surpresa do dia: perceber que grande parte da visita seria feita do alto de uma plataforma suspensa, construída especialmente para receber os visitantes.

Primeiramente, passamos pela área de recebimento das uvas.

Em seguida, passamos à área da produção.

Foi bem interessante ver o funcionamento da vinícola em dia normal, por se tratar de uma segunda-feira.

Na área de produção, pudemos acompanhar vários processos, passando pelas autoclaves, conferindo o engarrafamento dos espumantes, a retirada da levedura decantada das garrafas, o enrolhamento das garrafas, o empacotamento das garrafas para a distribuição etc.

Resumindo, o percurso completo do vinho até quase a mesa do consumidor!

Cave das Bordalesas

É nesta área que ficam guardados os barris de carvalho franceses e americanos, cuja função principal é o enriquecimento aromático do vinho.

Além disso, o armazenamento em barris garante que o vinho não perca suas características próprias.

Cava Subterrânea

Na sequência, passamos à cave subterrânea, que se encontra a 7 metros do nível da rua e que é guardada por anjos (literalmente). É ali que se encontram os vinhos engarrafados e em fase de amadurecimento.

Suas galerias escuras e a presença de estátuas de anjos iluminados ao longo do caminho, dão um ar sagrado ao ambiente.

Além disso, a presença das taças usadas pelos Papas Bento XVI e Francisco, em suas passagens pelo Brasil, reforçam a ideia de que beber vinho é algo que faz um bem enorme para o corpo e para a alma.

Fachada e Relógio Solar

A última parte do tour, antes da aguardada degustação, acontece na área externa, de onde se pode observar a linda fachada da entrada principal da Vinícola Salton.

Toda a fachada é exuberante. Entretanto, o relógio solar merece uma observação mais detalhada.

Confeccionado em mármore italiano, ele marca (por meio de sombras provocadas pela luz do Sol ao longo do dia) as horas, as estações do ano e as mudanças das constelações do zodíaco.  É ou não é a cara da riqueza???

Isso sem contar os jardins, que não deixam nada a dever a muitos da Europa que já visitei.

Contudo, tenho que avisar que esta parte da visita está suspensa quando chove. Então, torça para ir até a vinícola em um dia seco!

A degustação

Bem, depois de uma visita com tanta informação e beleza, nada como fechar o evento com chave de ouro. Bora, degustar, minha gente!

A degustação padrão para o Tour Intenso inclui 5 rótulos e é feita em uma sala reservada dentro da Loja de Vinhos.

Demos muita sorte e pudemos conferir o Septimum, um rótulo exclusivíssimo que havia sobrado de uma visita V.I.P. do dia anterior… Hehehe! 🙂

Realmente, nem procurando pelo em ovo dá pra achar defeito na visita com degustação da Vinícola Salton! Foi, de fato, uma experiência surpreendente e memorável.

Informações práticas

Localização e estacionamento

A Vinícola Salton fica afastada do centro de Bento Gonçalves e da rodovia RS 444 (onde estão localizadas a Vinícola Miolo e a Cave de Pedra, por exemplo).

De modo que a maneira mais fácil de chegar até lá, será de carro. Contudo, a vinícola conta com estacionamento amplo e grátis para os visitantes.

Aliás, um carro é essencial para visitar as rotas que a região tem a oferecer!

Duração e preço

O Tour Intenso dura, em média, 2 horas.

Os ingressos custam R$30,00 (valores de novembro-2018), mas vêm com um bônus de R$15,00 para compras na Loja de Vinhos que, aliás, é maravilhosa.

Frequência das visitas

  • Segunda à sexta-feira: 9:00 – 10:00 – 11:00 – 12:00 – 13:00 – 14:00 – 15:00 – 15:30
  • Sábados: 10:00 – 11:00 – 12:00 – 13:00 – 14:00 – 15:00 – 15:30
  • Domingos e feriados: 11:00 – 12:00 – 13:00 – 14:00 – 15:00
  • Nos dias 24 e 31 de dezembro:  9:00 – 10:00 – 11:00 – 12:00 – 13:00 – 14:00
  • Nos dias 25-12 e 01-01 não há tours.

Como agendar a visita?

Como este roteiro comporta 40 participantes por vez e acontece várias vezes ao dia, não há necessidade de fazer agendamento.

Os agendamentos são necessários apenas para grupos com mais de 10 pessoas. Caso este seja o seu caso, você deve enviar um e-mail para a empresa.

Após enviar a sua solicitação, aguarde a confirmação por e-mail ou ligue para o telefone (54) 2105-1061 para confirmar o agendamento.

Agradecimentos

Eu e meu marido passamos momentos muito agradáveis no complexo enoturístico, graças à gentileza e à credibilidade da Vinícola Salton, uma de nossas parceiras nesta viagem.

Então, o nosso muitíssimo obrigado vai para toda a equipe local, que nos atendeu com toda a atenção.

Nossos sinceros agradecimentos à Fernanda Hendges, que organizou a nossa visita e ao Sommelier Claudino, que foi nosso anfitrião e guia.

Importante ressaltar que, apesar do convite, todas as opiniões e comentários deste post são impressões genuínas de uma viajante experiente, acostumada a visitar diversas vinícolas e que sabe avaliar a qualidade dos serviços prestados.

Assim, ciente do meu compromisso como blogueira e da minha experiência como viajante frequente, sinto-me totalmente confiante em sugerir a Vinícola Salton como uma das atrações imperdíveis do Vale do Rio das Antas, em Bento Gonçalves.

Bento Gonçalves: Gastronomia e Enoturismo diferenciados

É certo que um período de apenas 4 dias em uma cidade tão rica em termos de Gastronomia e Enoturismo como Bento Gonçalves, vai deixar um gosto amargo na boca na hora de voltar pra casa. Confesso que gostaria de ter ficado, pelo menos, uma semana por lá.

As várias rotas da região não fazem feio quando comparadas às da Toscana ou de Bordeaux, só para citar dois exemplos que já conferi.

As diversas vinícolas e restaurantes familiares imprimem uma identidade única a Bento Gonçalves e região. De modo que, após tê-la visitado no outono e na primavera, terei que voltar nas outras estações, para conferir e divulgar as belezas em todas as épocas do ano.

A acomodação perfeita para a sua viagem, você encontra aqui:

Compre seus ingressos em Português e sem complicação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: