Ao preparar uma viagem, pouca gente pensa que algo pode dar errado. Natural: a empolgação para conhecer um destino novo ou mesmo voltar para casa pode tirar o foco dos pensamentos negativos. Porém, imprevistos acontecem e devemos estar preparados para os perrengues!…

Semana passada, somente no portão de embarque, fui informada de que meu voo de Amsterdã para Newcastle havia sido cancelado. Nada nos monitores indicava qualquer alteração ou sinal de problema (inclusive o que ficava no próprio portão!).

Só percebi que tinha algo errado porque havia poucos passageiros no local e resolvi perguntar à atendente o que estava acontecendo. Pois bem: ela se limitou a dizer que não sabia o motivo do cancelamento e que eu deveria ligar para um número fornecido por ela a fim de remarcar a minha passagem. A primeira coisa que me ocorreu foi: e se eu não falasse Inglês, como teria resolvido o problema???

Daí que me veio a ideia de escrever um post abordando a situação que pode acontecer com qualquer um: viajante experiente ou marinheiro de primeira viagem…

Bem, contarei o desfecho da minha história e como resolvi o perrengue em outro post, mas aqui vão algumas dicas que podem lhe ajudar num momento caótico como este:

1. Viaje light!

Eu já falei sobre o assunto em outro post, mas não custa repetir: viaje com o mínimo de bagagem possível. De preferência, só com bagagem de mão. eu pisei na bola neste aspecto: estava com uma mala pesando 10 quilos. Poderia tranquilamente ter levado comigo. O limite da KLM é de 12 quilos. Porém, resolvi despachar para não ter que me preocupar com espaço na aeronave.

Conclusão: não pude migrar para um voo de outra companhia, pois esta não aceitava passageiros com bagagem despachada por outra empresa e não havia como fazer a transferência.

 2. Anote o contato da companhia aérea no seu país de origem

Se você tiver que ligar para a companhia a fim de resolver o problema, o ideal é fazê-lo em um idioma que lhe seja confortável. Não há nada pior do que tentar fazer valer o seu direito sem a segurança de saber como reclamá-lo. Mais ainda: inseguro com o que está acontecendo ao seu redor. Se tudo já está confuso e incerto, como manter a calma sem ter o domínio da língua local?!

3. Tenha um aplicativo de hotéis no seu celular

Muito prático e evita o desespero de tentar achar um hotel sem referência alguma. O Booking.com, por exemplo, disponibiliza um quadro de busca com acomodações que podem ser reservadas para o mesmo dia. Basta digitar o nome da cidade e todas as opções disponíveis aparecem.

Você sabe, sou parceira deste site e reservo TODAS as minhas viagens por ele. Nunca fiquei na mão e, depois deste perrengue, sou mais fã ainda. Eles me ajudaram muito neste evento em particular.

Então, fica aí a dica: vai viajar e não quer ter dor de cabeça com a sua acomodação? Já reserva por aqui, mesmo… você não paga um centavo a mais e ainda ajuda na manutenção deste blog que está sempre de portas abertas para você.

E por falar em reserva feita pelo Booking.com, ou por qualquer outro site, mantenha sempre a mão o código da sua reserva. É a maneira mais simples de entrar em contato com a empresa e fazer as mudanças necessárias.

4. Faça um seguro de viagem

Nestas horas de imprevistos, gastos extras vão surgir, com certeza. Um bom jeito de diminuir o prejuízo é adquirir um seguro de viagem. Existem vários tipos de cobertura. Você pode optar por reembolso em caso de extravio de bagagem, roubo, cancelamento de voo etc. Há muitas opções para minimizar seus aborrecimentos.

5. Peça ajuda!

Se ninguém do balcão da companhia aérea conseguir entender você (e vice-versa), procure na fila (que deve estar gigante!) se não há alguém que fale Português e que possa lhe ajudar.

Não havendo a possibilidade, procure o Information Center (centro de informações) do aeroporto. Alguém será capaz de localizar um funcionário de alguma companhia capaz de se comunicar com você.

6. Procure por Internet grátis

Quase todo aeroporto hoje em dia tem um sistema de free Wi-Fi por um certo período. Caso não haja, procure algum estabelecimento que ofereça o serviço. Em último caso, pague por um serviço de Internet para usar o Skype, por exemplo. Certamente, ficará mais barato do que usar o seu celular para fazer uma chamada (local ou internacional). Lembre-se: ligações para atendimento ao cliente são sempre demoradas…

7. Guarde todos os seus comprovantes de gastos extras

Normalmente as companhias oferecem vouchers para refeições quando você precisa esperar algumas horas pelo próximo voo (e a culpa é toda deles!). Já aconteceu comigo uma vez, quando tive um problema nos Estados Unidos. Se isto não acontecer, guarde os recibos de tudo o que você consumir. Podem ser usados mais tarde em uma tentativa de obter ressarcimento da companhia.

No caso de um voo para o dia seguinte, a companhia tem o dever de lhe fornecer uma acomodação para pernoitar. Se a demanda de passageiros for superior a de quartos que eles têm para oferecer, você também pode usar o comprovante de uma hospedagem para obter reembolso.

Guarde, também, recibos de transporte público, gastos com artigos de higiene pessoal etc. Toda despesa que você tiver por conta do cancelamento pode ser incluída na tentativa de ressarcimento dos gastos.

8. Mantenha o bom humor!

Sim, a primeira reação nessas horas é a frustração. Afinal, ninguém quer passar por um perrengue durante uma viagem. Ele é, de fato, um balde de água fria… mas deixar que ele se instale e estrague o restante da viagem, só vai piorar as coisas. Se você já seguiu todos os passos, já tomou todas as providências, só lhe resta aguardar, pois nenhum martírio é infinito!

E sei que não contei o desenrolar da minha história pra você, mas aqui vai o desfecho: perdi, sim, um dia da minha estadia. Fato. Não tenho como mudar isso… mas tive uma grata surpresa na hora de voltar para casa.

No portão de embarque (olha ele aí de novo, pregando peças!) fui informada de que tinha sido “promovida” da classe econômica para a executiva… Pena que era uma viagem curtinha, senão iria me esbaldar… hehehe! Não pude deixar de pensar que toda situação, por pior que seja, tem um lado bom, uma luz no fim do túnel. Pude, mais uma vez, confirmar aquela máxima de que “um dia é da caça e o outro, do caçador”…

Blogagem Coletiva

Juntamente com outros colegas blogueiros de viagem, o Turista FullTime participa, mais uma vez, de uma Blogagem Coletiva. Aqui, cada um dos blogueiros participantes relatou algum perrengue de viagem e como fez para lidar com a situação. Afinal, mesmo para quem é viajante experiente, os problemas também acontecem. A diferença é que, aprendendo com os erros e acertos, a chance de passar por um aperto vai ficando menor…

Confira, também, as histórias a seguir. Pode ser que você já tenha vivido alguma delas. Pode ser que uma ou outra lhe soe engraçada ou estranha ou muito improvável. Mas que elas podem acontecer com qualquer um, ah… isso pode!​

Casal CalifórniaPerrengues de Viagem: muitas histórias para contar Destinos por onde andei…Tax Free, nunca mais embarco nessa canoa furada Pequeno Grande MundoO dia em que quase fui atropelada por um elefante Vida de EstrangeiraPerrengue na Turquia Ligado em ViagemNosso “Kit Viagem” para evitar perrengues Foco no MundoOs piores perrengues das minhas viagens Felipe, o pequeno viajanteColetânea de perrengues do pequeno viajante Atravessar FronteirasPerrengue total na união entre cinzas vulcânicas e Aerolineas Argentinas DespachadasColetânea de Perrengues de viagem Despachadas PasseioramaPerrengando por aí: nossos perrengues viajando em família Família ViagemNossos perrengues de viagem Mochilão BaratoFiquei doente no exterior! E agora? Os dias que fiquei de cama no Chile. Por aí com os PiresPerrengues de viagem – Blogagem coletiva< Novo CaroneiroDeu ruim! Blogagem coletiva de perrengues de viagens Colecionando ÍmãsViajando com a Ethiopian Airlines: perrengue a caminho do Japão! O Melhor Mês do AnoTorres del Paine: acampando sob chuva e ventos de 100km/hr Volto LogoSobre a importância de reservar hospedagem e pesquisar os feriados do seu destino Apure Guria! – Perrengues na Ásia: deu ruim! Viajei BonitoNossos 15 dias de desventuras na Rússia VoupraRomaGrécia sem inglês! Tá falando grego?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *