Conhecer Istambul em algumas horas é tarefa impossível. Afinal, esta cidade lindíssima transpira Cultura, História e Arte. Porém, é totalmente viável conhecer seus highlights. Quando o MSC Preziosa parou por lá pelo curto período de 9:00 às 17:00 em julho de 2014, tratei de aproveitar ao máximo e visitar os pontos turísticos de maior interesse. Eu já conhecia a cidade, o que facilitou a otimização de tempo e de dinheiro. Aqui, eu compilei para você o que eu penso que não pode faltar em uma estadia vapt-vapt…

Eu escrevi um post com tudo o que consegui fazer em quatro dias por lá. Nele, você encontrará cada descrição e dica, tudo muito bem “mastigadinho”. Aqui, eu pretendo descrever o que não pode faltar, se sua visita durar apenas algumas horas.

O que você precisa saber antes de desembarcar…

Normalmente, os navios oferecem visitas guiadas à Mesquita Azul, ao Grand Bazaar, à Hagia Sophia, ao Palácio Topkapi ou ainda um City Tour, que certamente incluirá pelo menos um desses pontos de interesse.

Mesquita Azul

Vantagem: você vai poder furar as grandes filas que, com certeza, haverá para o Palácio Topkapi ou para a Hagia Sophia.

Desvantagem: Você terá que cumprir o horário e obedecer ao esquema da excursão.

Por sua própria conta e autonomia, é possível desembarcar e pegar um tram (na mesma avenida da saída do porto) e saltar no ponto Sultanahmet, que fica em frente ao  Palácio Topkapi,  à Mesquita Azul e a poucos metros da Basílica Cistern (aquela que aparecia na abertura da novela “Salve Jorge”).

O interior da Basílica Cistern

É possível fazer pelo menos dois deles, senão os três. Tudo depende do quanto você vai se organizar nos preparativos para a sua viagem e da quantidade de tempo que você quiser dispensar a cada um.

Se você não quiser se arriscar pegando um tram, (a cidade é bem pacífica, estou me referindo ao receio de se perder, o que também vai ser difícil, já que você perceberá que está na frente dos pontos turísticos quando o tram chegar à parada certa!), o táxi não sairá caro. Da saída do porto ao Sultanahmet, paguei 30 liras turcas (cerca de 10 euros).

Fuja de “pega-turistas”

Os motoristas de táxi sempre se oferecem para mostrar vários pontos da cidade por um preço fechado. Normalmente cobram 50 euros.  Começam oferecendo o tour por 70 euros, em média e por um período de 2 a 3 horas. Eles são insistentes e alguns até ficam um pouco ofendidos quando você recusa.

Seja firme, se não quiser o serviço. Simplesmente recuse sem pestanejar. Mostre que não vai mudar de ideia e eles desistem. Normalmente, eles são cordiais e aceitam a recusa, levando você ao destino pedido sem “errar” o caminho. Afinal, eles querem se livrar de você o mais rápido possível, a fim de voltar ao porto e pegar mais passageiros.

Caminhe pela cidade

Depois de visitar as atrações de Sultanahmet, você pode caminhar até o Grand Bazaar e ali você vai “se perder”. São mais de cinco mil lojinhas com tudo o que você possa imaginar! Um labirinto colorido e mágico que vai te remeter a muitos séculos no passado… uma experiência interessante e imperdível!
Vá com disposição, principalmente nos meses de agosto e setembro, já que o calor é tórrido e há muitos turistas no pedaço. O lugar chega a receber mais de quatrocentos mil visitantes em um único dia! Mas não achei nada tumultuado… pelo contrário, é vibrante!
Grand Bazaar em Istambul
A volta do Grand Bazaar até o porto marítimo também me custou 30 liras turcas e transcorreu na maior tranquilidade. Eu voltei ao navio por volta de 14:30, pois meus filhos queriam aproveitar o sol e o sossego da piscina. Fiquei, porém, satisfeita de ter conseguido visitar novamente a Mesquita Azul, a Basílica Cistern e o Grand Bazaar, todos com calma.

Interior da Mesquita Azul

Não visitei mais coisas, mas sei que teria conseguido ir aos outros dois principais pontos de interesse nas duas horas que me restavam. Decidi não ir porque já conhecia, mas para quem só parará por um dia, é possível visitar todos eles.

​Ainda assim, tenho a certeza de que proporcionei aos meus filhos os pontos mais interessantes para a faixa etária e interesse deles (16 e 18 anos, na época). Passeio em família tem que ser muito bem dosado, para que todos possam curtir sem estresse… E lembrar com nostalgia só das coisas boas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *