2 Comentários

Qual é o segredo para uma mala perfeita? Homens, perdoem-me! Este é um post destinado ao público feminino. Fiquem à vontade para ler (e talvez até entender melhor suas companheiras de viagens!), mas hoje, vou dividir com ELAS os truques que uso para ter uma mala leve, compacta e completa!

Muitas mulheres tem dúvidas ao arrumar a mala para viajar. Se o destino for desconhecido, então, pior ainda! Arrumar a mala já foi um desafio pra mim. Depois que resolvi criar um padrão, tudo mudou. Passou a ser uma tarefa simples.

Decidi, então, compartilhar as dicas que fui coletando a medida em que ia sendo cobaia dos meus próprios erros e acertos. Hoje em dia, viajo muito mais leve e (quase) nunca passo perrengue por conta de esquecimentos… ou de excessos!

Com que roupa eu vou? Qual o segredo da mala perfeita?

Acho sinceramente que mala perfeita não existe. Porém, pode ficar mais perto do ideal, se alguns passos forem levados em consideração. Daí que resolvi reunir umas dicas que procuro seguir toda vez que vou arrumar minha mala para uma viagem. Os procedimentos não variam muito. Não importa a quantidade de dias que eu vá passar fora de casa. Tento seguir sempre o mesmo ritual.

Só vale viajar assim, se você estiver de mudança para outro país!

Confira um aplicativo de previsão do tempo

Ele é seu primeiro e maior aliado na preparação de uma mala compacta e completa. Com os avanços dos aplicativos de previsão do tempo, hoje em dia é possível prever com uma antecedência de vários dias como estará o tempo no destino escolhido.

Aprenda a driblar as variações climáticas no destino

Quando estive em Valência (em pleno mês de novembro), preparar minha mala foi uma tarefa desafiadora. Apesar de ser outono, as temperaturas iriam ficar entre 8 e 24 graus. Uma diferença grande e que exigiria vários tipos de roupas.

A solução que encontrei foi vestir-me com a famosa técnica da cebola (sobre a qual já falei em outro post). Além disso, segui o princípio de que a menor e a maior temperaturas são indicativos de apenas certos momentos do dia. Resolvi que seria melhor passar um pouquinho de frio em determinados períodos, do que ficar carregando um casaco pesado o dia todo. Foi uma escolha acertada!

Planeje suas atividades

Se você não tem nenhum compromisso formal na sua viagem nem reservou um jantar em restaurante do Guia Michelin, não tem porquê levar itens extras para uma eventualidade. Muito provavelmente, a necessidade não vai aparecer.

Caso você resolva ir a um concerto de violinos ou a um musical, por exemplo, não se preocupe: turista é turista. Nas grandes cidades, vale ir ao teatro até com sacolas, por exemplo. Ou usando jeans, camiseta e tênis. Mantenha a praticidade. Se alguém reparar, reparou. Convenhamos: não tem sentido deixar a mala pesada só para sair “bonita” na foto!

Não carregue a casa nas costas!

Se você decidir carregar a casa nas costas, em algum momento da viagem, vai carregar o mundo escada acima ou escada abaixo. Na Europa, principalmente, muitos hotéis mais simples não possuem elevador. É o caso dos B&B’s (bed and breakfast), por exemplo. Muitos são casarões de família.

Hotel fofo (e sem escada) em Giverny

Ainda que seja um hotel em uma cidade grande, pode acontecer. Viajei com amigas para Madri . Escolhemos um hotel simples, no coração da cidade. Tivemos que subir com as malas no “muque”. Eu, com minha malinha básica, subi na boa. Uma das minhas amigas estava com duas malas. Imagine o esforço…

Defina (apenas) UM estilo

Quando viajo com amigas, quase sempre vejo-as despachar bagagem em uma viagem de três ou quatro dias. Motivo: modelitos mil, para o dia e para a noite. Um festival de meia-calça, vestidos, echarpes, colares, boinas, chapéus e afins.

Tá, eu confesso: eu também gosto de me arrumar! Mas vamos ser práticas: a chance maior é que se emende um evento no outro. Voltar ao hotel para se trocar e depois sair para jantar será algo raro. Então, pra que complicar?

Eu tenho um truque para deixar minha mala pequena e, ao mesmo tempo, levar meus itens indispensáveis de “mulherzinha”. Escolho 3 cores de roupa. Assim, tudo combina com tudo. Se for outono ou inverno, levo tudo em preto, branco e cinza. O colorido ficará por conta de uma jaqueta e echarpes. A jaqueta já ou usando. As echarpes não ocupam muito espaço. Consequentemente, quase sempre posso embarcar com minha mala. Evito esperas na esteira e ainda não corro o risco de minha mala extraviar.

Liberte-se do dispensável

Este item dialoga de pertinho com o anterior. Será que você precisa mesmo de duas malas para um curto período??? A chance de voltar pra casa com a roupa intocada (e amarrotada!) é enorme. A menos que você esteja em tratamento dermatológico, deixe o estoque de cremes, esfoliantes e máscaras de hidratação em casa. Dificilmente você terá tempo (ou energia) para rituais de beleza.

Outra dica é compactar seus produtos indispensáveis, usando embalagens mínimas.

Lembre-se: um saco ziplock de 1kg é o máximo a bordo. Deixe o restante da “coleção” em casa…

Pense na locomoção

Assim como alguns hotéis não possuem elevador, algumas estações de metrô não possuem escadas rolantes em todas as saídas. Muitas vezes, é até um desafio encontrar o elevador para pessoas com mobilidade reduzida. Pude constatar este fato em várias cidades da Europa e até mesmo no Japão.

Ainda que você encontre um meio de não carregar a mala para cima e para baixo, se tiver que pegar um trem ou metrô, uma bagagem plus size pode ser um grande inconveniente. Especialmente se houver baldeações com grandes deslocamentos entre plataformas.

ônibus vazio é quase uma miragem em grandes cidades!

Nas grandes cidades, a hora do rush pode ser desesperadora nos transportes públicos. Embarcar ou desembarcar “pesada” não vai facilitar a sua vida.

Imagine encarar um vagão lotado em um destino de sonhos no verão com mala grande!

Deixe espaço para a novidade

Quer coisa mais gostosa do que comprar coisas em viagem? Levar algo diferente? Se você já viajou no limite de peso da bagagem, não vai voltar pra casa mais leve. A menos que você largue coisas pra trás!

Algumas companhias aéreas (especialmente as de baixo custo) são extremamente rigorosas com relação às dimensões e peso das bagagens. E cobram caro se você tiver que despachar no balcão do check-in. Então, o ideal é sempre ficar um ou dois quilos abaixo do máximo estipulado a fim de deixar uma boa margem para aquisições… Hehe! Adoro isso!

Um pequeno mimo que não enche a mala, mas que enche meu coração de alegria!

Solte o lado “back to basics” que existe em você!

Cabelos ao vento nas Ilhas Canárias

Sim, não há nada melhor do que estar feliz, sentir-se bem, ver coisas inovadoras que encham os seus olhos e a sua alma. Você sairá bonita nas fotos! Nada como um brilho nos olhos e um sorriso largo para deixar qualquer selfie maravilhosa.

Cabelos ao vento e bagunçados estão valendo. Cara limpa, também! Se você estiver maquiada, produzida, beleza. Se não estiver, tudo bem. O importante é ser feliz. O fundamental é voltar para casa cheia de boas experiências. E querer fazer tudo de novo!

Categorias: Dicas de Viagem

Tags:

2 thoughts on “Com que roupa eu vou? O segredo da mala perfeita”

  1. Ótimo post, ainda não consegui preparar essa mala para levar comigo no avião embora ache que esse é o melhor caminho.beijocas

    1. Querida Lilian! Que legal te ver por aqui… olha, vou confessar: é um exercício difícil. Eu peno pra praticar o desapego. Normalmente, coloco as coisas em cima da cama e me obrigo a tirar várias peças na fase final. Mas posso te dizer com franqueza? Mesmo levando a mala pequena, ainda trago coisa de volta pra casa sem usar. O que significa que ainda tenho muito o que melhorar… rsrs! Beijão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *