10 Comentários

Imagine poder se transportar alguns séculos no passado e poder ver de pertinho fazendeiros e negociantes entrando em acordo sobre o preço de um queijo que ainda hoje é considerado um dos mais antigos de que se tem notícia no mundo. Eu estou falando do mais famoso queijo holandês: o Gouda e o famoso mercado onde a tradição se mantém…

Pois bem: este queijo delicioso que normalmente pronunciamos como se lê, mas que em Holandês se pronuncia mais ou menos como “rrrauda” com o “R” bem arrastado mesmo, tem muita história e tradição. Recebe o nome da cidadezinha holandesa porque durante a Idade Média, quando algumas cidades recebiam direitos feudais sobre determinados produtos, Gouda adquiriu os direitos sobre ele. Hoje em dia, entretanto, o termo “Gouda” não é restrito ao queijo de origem holandesa. Ainda assim é a maior curtição ter a chance de comê-lo por lá!

Bem, eu adoraria ficar aqui contando sobre o queijo e suas particularidades, mas isto é assunto para outro post. Hoje quero falar sobre como ir até Gouda e o que aproveitar, além do queijo…

Como chegar a Gouda?

Claro que as possibilidades são quase infinitas, mas vou focar nas cidades mais turísticas onde você poderá estar e também no transporte público. Acho trem a melhor alternativa. Partindo de Amsterdã, são cerca de 55 minutos (80km). De Utrecht, são cerca de 20 minutos (46km). De Roterdã são cerca de 22 minutos (24km). E de Haia, são 17 minutos (34km). Isto considerando que você só pegará um trem e o mais rápido, que é o Intercity. Se pegar o Sprinter, demorará alguns minutos a mais, porém, pouca coisa.

Ao chegar a Gouda, tudo é muito descomplicado, já que todas as atrações turísticas ficam no centro e uma caminhada até o ponto mais popular, o Goudse Markt, vai levar cerca de 10 minutos (750 metros). De lá, você escolhe o que quer fazer. Há muitas opções.

De Goudse Markt

O Gouda Kaasmarkt, ou em bom português, Mercado do Queijo Gouda, é um evento que acontece todas as quintas-feiras entre os meses da primavera e do verão. Este ano, o evento começou em abril e terminará no dia Primeiro de Setembro. Não dura o dia todo, então, é bom se programar para não perder o melhor da festa. O mercado começa às 10:00 da manhã e vai até às 12:30. Depois disso, há o que se fazer por lá, mas a parte tradicional já era…

Claro que a graça do evento é ver a negociação à moda antiga, em que ambas as partes gritam o preço do queijo, enquanto trocam apertos de mão. Não sei até que ponto a negociação é feita totalmente ali, ou se tudo não passa de um grande espetáculo. O fato é que a multidão se empolga e tira milhares de fotos. A ambientação é realmente muito interessante e eu acho (mesmo) que produtores e compradores cheguem a um consenso em meio a uma centena de curiosos.

mercado de queijo em goudaAlém disso, fora a parte comercial/tradicional, há muitas opções de comida e lazer no entorno e você pode se fartar de comprar queijos de tudo quanto é tipo nas barraquinhas que circundam o evento. E curtir, também, as outras atrações que há por ali…

Het Oude Stadhuys Gouda (a antiga prefeitura de Gouda)

A linda construção que hoje podemos visitar, foi concluída e inaugurada em 1450, para substituir a antiga prefeitura, destruída por um incêndio no verão de 1438. Fora o interior, que vale conhecer, a fachada direita rouba a cena e atrai a turistada. A cada meia hora, os carrilhões da lateral começam a emitir uma melodia e os fantoches aparecem movimentando-se através da janelinha (bem parecido com o que acontece em Praga).

Paga-se €2,50 para entrar na prefeitura (valores de 2016) e o interior não é tão imperdível, assim. Eu entrei porque o melhor lugar para se tirar uma foto do mercado de queijo é da varanda, que fica bem de frente pra movimentação toda. Coisas de blogueira perseguindo uma boa foto!

Fachada lateral de onde se pode ver os carrilhões

De Goudse Waag

Ainda na mesma praça onde acontece o mercado de queijo, você poderá visitar o Goudse Waag, uma construção de 1668, onde no passado, todo o queijo Gouda era pesado. O termo “waag” significa balança em Português. E tudo o que for “goudse” se refere àquilo que é “de Gouda”. Eu não cheguei a visitar o museu, mas a lojinha que funciona no térreo é uma graça. Lá você também encontrará o VVV, que é o escritório de turismo em toda a Holanda.

Sint Janskerk (igreja de São João Batista)

Os primeiros registros da igreja datam de 1280 e trazem o nome do santo padroeiro da cidade. Originalmente era uma igreja católica, mas hoje em dia está sob os cuidados da comunidade protestante. Com 123 metros de altura, é a igreja mais alta da Holanda. Eu não entrei, pois como moro perto, e fui com o intuito de visitar o mercado de queijo, resolvi deixar para outra ocasião. Se você está só de passagem pela Holanda, melhor aproveitar. Custa €5,00 o ingresso (valores de 2016).

Aproveite para explorar o centrinho de Gouda

Andando por Gouda, lembrei muito de Delft, pois as duas cidades têm essa característica de ser pequenina e ajeitadinha. Percorrer as ruelas em um dia de sol é uma delícia (grande motivo de eu não ter entrado em mais museus!).

Olhando o guia turístico oferecido (gratuitamente) pelo escritório de turismo, descobri que uma antiga fábrica de chocolate da cidade havia sido transformada na biblioteca municipal. Achei o conceito um barato e resolvi checar. Pertinho do centro e a caminho da estação de trem. Fica bem de frente para o canalzão que é referência para chegar a todo canto.

O lugar ficou show: uma mistura de restaurante, lounge, espaço para recreação infantil e, lógico, muitos e muitos livros e revistas para empréstimo. Inclusive, durante a sua permanência por lá. É uma ótima opção para um almoço light em um lugar diferente. Parece ser frequentado quase que exclusivamente pela comunidade local.

Agora, eu deixei esta informação para o final, pra levar você à loucura, mesmo! Se você já provou, sabe muito bem do que estou falando. Senão, sua vida só estará completa depois que o fizer. Comer stroopwafel entra naquela categoria “plantar uma árvore – escrever um livro – ter um filho”…

O que é stroopwafel?

Eu tenho verdadeira fissura por essa bolacha! Ah, sim! Vou chamar de bolacha, pois sou paulista e o tamanho da gostosura não admite desaforo!… Hehehe. Pois bem, bolacha, biscoito… tanto faz. O inimigo número 1 do meu guarda-roupa foi feito pela primeira vez em… Gouda! Eu não vou nem gastar meu Português tentando descrever o que é. Filmei pra você…

Mas não se preocupe: se você não puder ir até Gouda, vai poder encontrar o stroopwafel (fresquinho ou no saquinho) em qualquer cidade da Holanda.

Muito bem, e aqui eu termino o relato das minhas horas passadas em Gouda com a promessa de ir visitar o que ficou faltando. Ah, esta Holanda… quanto mais a gente vê, mais deseja conhecer…

10 thoughts on “Mercado de queijo em Gouda”

  1. Morei em Alkmaar e nunca fui no de lá, porque era às sextas feiras e provavelmente nunca vou poder ir nesse que é às quintas (um proletário como eu normalmente tem que encarar esse negócio chato chamado trabalho de segunda à sexta, portanto… 🙁 ) MAS…. se não houve nenhuma mudança, ainda existe aos sábados o mercado do queijo de Hoorn, que fica um pouco depois de Alkmaar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

< ?php include_once("analyticstracking.php") ?>