Os castelos europeus exercem um fascínio na imaginação de quase toda criança. O fato é que algumas delas crescem e continuam apaixonadas pelo tema. Eu me incluo nesta categoria de adultos que deliram ao entrar em uma dessas construções que retratam tantas épocas da História da Humanidade! Daí que resolvi reunir neste post um pouco do que pude ver nessas minhas andanças pelo Velho Continente. Vem comigo!

21 castelos europeus para você amar as aulas de História…

E querer visitar um por um!

Durante minhas pesquisas, encontrei várias definições para castelo. Algumas bem pontuais. Outras que dão, certamente, margem à “interpretações”. Há quem julgue, por exemplo, que Le Chateau du Versailles é castelo. Não vou entrar no mérito. Vou seguir meus próprios critérios (ou seria o instinto?!).

Um castelo para cada gosto

De modo que incluirei neste post, os castelos com jeitão incontestavelmente “casteludo”. Vou falar daqueles que têm torres com bandeirinhas coloridas, muralhas altíssimas e (quase sempre) intransponíveis, pontes elevadiças, enormes portões com barras de ferro e afins. Se neles moraram reis, ou se eles serviram como fortaleza, não importa. 

Afinal, existem castelos de todo tipo, em diversos tamanhos, formatos, terrenos e propósitos. Os que mais me encantam, porém, são aqueles que apresentam uma estrutura bem definida de proteção (com todos os itens descritos acima e mais alguns!) e que estejam localizados no alto de uma colina.  

Se essas edificações não estiverem uns bons metros acima do nível de um rio ou do mar, sem problemas. Não perderão seu encanto. Entretanto, se mantiverem parte de seu mobiliário e de seus aposentos intactos… aí eu fico M-A-L-U-C-A lá dentro!  

Uma masmorra ou um calabouço me dão calafrios só de pensar o que muitos lá padeceram! Cada canto conta uma História. E cada castelo visitado é um convite para o próximo. 

Em minhas andanças pela Europa, tive a chance de visitar muitos palácios e castelos. Não houve um sequer do qual eu não tenha gostado. Alguns foram mais apaixonantes do que outros, por inúmeros motivos. Atribuir um grau de importância ou relevância a eles seria injusto e eu nem teria formação para isso. De modo que resolvi categorizá-los por país. Assim, ficará uma lista mais imparcial.

1 – Castelo de Neuschwanstein (Füssen – Alemanha)

Talvez um dos castelos mais famosos em todo o mundo. Curiosamente, um dos mais novos, também, tendo sido construído somente no século XIX. Não tenho dúvidas de que o motivo da enorme fama vem do fato de ter servido de inspiração para o Castelo da Bela Adormecida em uma cenário inequívoco: Walt Disney World.

Mas isso não desmerece a beleza da castelo e do cenário onde ele se encontra, motivo que por si só já justifica percorrer a linda Rota Romântica.

2 – Gravensteen  (Ghent – Bélgica)

Também conhecido como Castle of the Counts (Castelo dos Condes), foi construído em 1180 por ordem de Filipe de Alsácia. Serviu de moradia a vários condes de Flandres até o século XIV. Depois disso, funcionou como tribunal de justiça e prisão.  

Ao longo do tempo, várias casas foram sendo construídas junto às suas paredes e a propriedade foi aos poucos sendo destruída por essa expansão imobiliária. Até que em 1885, a cidade de Ghent resolveu comprar a propriedade e colocar em prática o projeto de restaurá-la, devolvendo-a a sua condição original. Hoje em dia, é um importante ponto turístico que encontra-se no coração desta linda e charmosa cidade belga.

3 – Het Steen (Antuérpia – Bélgica)

A fortaleza medieval erguida no século XIII às margens do rio Scheldt é a construção mais antiga da cidade. Além de controlar o acesso das embarcações, serviu como prisão entre os anos de 1303 e 1823. Grande parte da construção original foi demolida no século XIX (incluindo muitas casas históricas e a igreja mais antiga da cidade).

O Museu Marítimo Nacional que ali funcionou até 2011, também foi realocado. Ainda assim, é um importante monumento histórico que merece uma visita. A entrada é grátis.  

4 – Castelo de Montjüic (Barcelona – Espanha)

Construído em 1640 para ser uma fortaleza, foi transformado em castelo no ano de 1694. A primeira construção foi demolida e a que podemos conferir hoje em dia foi erguida no século XVIII e é equipada com 120 canhões. Não tem muito prestígio entre os espanhóis porque durante a Guerra Civil Espanhola (1936 a 1939), muitos dissidentes políticos foram torturados e mortos ali. Para nós, turistas, é um ponto turístico bem atrativo: de lá, se tem uma vista privilegiada da cidade.

5 – Castillo de San Miguel (Tenerife – Espanha)

Tenerife é a mais importante das sete Ilhas Canárias. No passado, sua capital Garachico (hoje Santa Cruz de Tenerife) era um porto de grande atividade comercial. Conta-se que já havia uma fortificação no local desde 1552, mas apenas em 1575 o rei Filipe II autorizou o início de uma reforma com o objetivo de proteger a cidade de ataques de piratas.

A estrutura atual da fortaleza é muito semelhante à original, salvo algumas pequenas reformas sofridas. Atualmente, funciona como um  museu.

6 – Castelo de Edimburgo (Edimburgo – Escócia)

Antiga fortaleza localizada no topo de Castle Rock (Rochedo do Castelo) a 120 metros do nível do mar. A primeira referência à construção data do ano de 1093, logo após a morte do rei Malcolm III.  

A maior parte das estruturas que podem ser conferidas, porém, datam do século XVI. Foi lá que aconteceu a primeira reunião do parlamento escocês, por volta de 1140.

7 – Dunnottar Castle (Stonehaven – Escócia) 

Localizado a uma curta distância de Aberdeen e a apenas 3km de Stonehaven, este castelo em ruínas na costa Nordeste da Escócia é um passeio imperdível para quem quer conhecer um autêntico castelo construído sobre uma falésia do Mar do Norte. A estrutura que pode ser visitada data do século XIII, mas sabe-se que ali existiu um castelo mais antigo, construído por tribos da Caledônia por volta de 84 DC.

8 – Muiderslot (Holanda)

O lindo castelo foi construído na cidadezinha de Muiden em 1280 para servir de moradia ao conde Floris V. Em 1296, foi palco de uma tragédia: o proprietário foi assassinado com 20 facadas (um crime passional, contado em outro post aqui do blog). A propriedade passou por outros maus bocados: primeiro, serviu como prisão. Depois, ficou em completo abandono por anos. Graças ao rei Willem I, o castelo foi restaurado e hoje é um museu nacional. 

9 – Castelo de Dublin (Dublin – Irlanda)

Localizado no centro da capital irlandesa, a antiga sede fortificada do governo pode não corresponder tanto às expectativas dos “casteleiros” mais exigentes, pois encontra-se em uma rua bem comum do centro da cidade e é relativamente “novo”.

Porém, é uma bonita construção do século XVIII e ocupa o mesmo terreno onde já existia um castelo desde o reinado de João (1616-1216), o primeiro Senhor da Irlanda.

10 – Kasteel De Haar (Utrecht – Holanda)

Da propriedade original, construída no século XIV, quase nada sobrou, já que ela ficou abandonada por séculos e foi reduzida praticamente a ruínas. Já no final do século XIX, foi adquirida por um barão. Este resolveu dar a tarefa de projetar e construir um novo castelo a Pierre Cuypers (o famoso arquiteto responsável pelo Rijksmuseum e a estação central em Amsterdã).

A magnífica construção que hoje pode ser visitada, foi elaborada com muitas facilidades do mundo moderno, como água quente e fria, aquecimento central e luz elétrica. Levou 20 anos para ser concluída, mas ficou uma obra-prima que merece ser conferida. 

11 – Castelo de Buda (Budapeste – Hungria)

Construído no século XIII na encosta da Colina do Castelo, foi a primeira residência do Rei Bela IV da Hungria. Localizado na parte histórica da cidade (Buda), o castelo oferece uma vista privilegiada para o lado cosmopolita da cidade (Peste). Em 1987, foi eleito Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco.

12 – London Tower (Londres – Inglaterra)

Um dos ícones da capital inglesa, a Torre de Londres é parada obrigatória para todo visitante. A imponente construção foi erguida às margens do Tâmisa em 1066 e ao longo de sua História exerceu inúmeras funções. Inicialmente, foi usada como residência real e fortaleza.

Porém, o gigantesco complexo por trás dos imponentes muros também já abrigou a Real Casa da Moeda, a Casa das Joias da Coroa Britânica e serviu como prisão entre 1100 e 1952. Isso sem contar tantas outras funções administrativas.  

13 – Warwick Castle (Warwick – Inglaterra)

O castelo foi construído no século XI sob ordem de Guilherme I, o Conquistador e utilizado como fortificação até o início do século XVIII. Muitas modificações ocorreram em sua estrutura, a começar pelo material com que foi feito. A madeira utilizada para a primeira construção, foi substituída por pedra no século XII, durante o reinado de Henrique II.  

Em 1978, o grupo Tussauds (o mesmo dos museus de cera espalhados pelo mundo) comprou a propriedade e transformou-a em uma atração turística. Em 2003, foi reconhecido pelo Good Britain Guide como o melhor castelo britânico.    

14 – The Castle (Newcastle upon Thyne – Inglaterra)

Bem, o nome da cidade já não deixa muita margem para alguma dúvida! Mas, vamos lá: em 1066, Guilherme I enviou seu filho mais velho em uma campanha para invadir e conquistar a Inglaterra. Em 1080, já com a tarefa concluída, o filho começou a construção de um New Castle (um novo castelo) na região em que outrora havia uma fortificação. Este castelo feito em madeira, foi reconstruído um século mais tarde em pedra por Henrique II.  

Hoje em dia, duas construções podem ser conferidas: Castle Keep (a torre de pedra fortificada) e o Black Gate (o portão de entrada).

15 – Castelo Santo Ângelo (Roma – Itália)

Localizado à margem direita do rio Tibre, em frente à linda Ponte de Santo Ângelo nas imediações do Vaticano, em Roma. O castelo foi encomendado pelo imperador Adriano para servir a princípio de mausoléu particular para ele e sua família. Entretanto, acabou sendo usado como residência de muitos Papas. Hoje em dia é um museu. 

16 – Castelo Sforzesco (Milão – Itália)

Foi encomendado no século XV por Francisco Sforza, que logo depois tornou-se o duque de Milão. A construção tem muita história para contar, mas em 1943 foi danificada por uma bomba e passou por uma enorme reestruturação depois da Segunda Guerra Mundial. Hoje em dia, abriga uma grande variedade de museus, galerias e bibliotecas. Um amplo espaço de Artes, Cultura e lazer no coração da cidade.  

17 – The Bock  (Luxemburgo – Grão-Ducado de Luxemburgo)

A primeira fortificação foi construída no século X, mas ao longo da História, foi sendo ampliada e vários elementos foram incorporados. O grande mecanismo de defesa criado passou por diversas tentativas de ocupação. Resistiu, também, no século XVIII, a um cerco francês que durou sete meses até finalmente se render.

No ano de 1867, a fortaleza começou a ser demolida, de acordo com os termos definidos no Tratado de Londres (um processo que durou 16 anos). Hoje em dia, restam apenas 10% das estruturas desenvolvidas ao longo de nove séculos. Entretanto, a cidade foi reconhecida como um Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco em 1994 e os mistérios das casamatas do Bock continuam encantando milhares de turistas todos os anos. 

18 – Conwy Castle (Conwy – País de Gales)

Localizado ao norte do País de Gales, foi construído entre 1283 e 1289 durante a Segunda Campanha do Rei Eduardo I da Inglaterra no norte do País de Gales. Em 1295, o próprio rei ficou sitiado por vários meses dentro do castelo, por conta de uma rebelião. Entretanto, tanto o castelo quanto  a cidade resistiram ao cerco.

No início do século XVII encontrava-se bastante destruído e quase sem uso. Começou a ser restaurado na década de 1950 e hoje em dia é considerado Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco. 

19 Castelo de Guimarães (Guimarães – Portugal)

Desde o século X já havia um mosteiro na região chamada Vimaranes. Existia no local uma povoação dividida em duas áreas: uma no topo do outrora chamado Monte Largo e outra no sopé, onde havia sido construído o mosteiro. A região, entretanto, era muito vulnerável a ataques, de modo que foi construído no topo um castelo para onde as pessoas pudessem fugir em caso de ataque. Ao longo da História, passou por várias transformações e no século XV perdeu a sua função defensiva.

Em 2007 foi classificado um Monumento Nacional e eleito uma das Sete Maravilhas de Portugal. Hoje está aberto à visitação. 

20 – Castelo de Praga (Praga – República Tcheca)

Construído no século IX no alto da colina Hradcany, onde a cidade foi fundada, funciona atualmente como residência presidencial. Entretanto, várias de suas instalações podem ser visitadas. O complexo do castelo é enorme e merece um dia inteiro para desfrutar com calma da experiência. Ocupa uma área de 72,5 mil m2 , motivo pelo qual aparece no Guinness Book of Records como o maior castelo do mundo. 

21 – Dubrovnik City Walls (Dubrovnik – Croácia)

Talvez estudiosos e historiadores arranquem os cabelos ao ver este último item, que resolvi incluir com licença “poética”. Explico o porquê. Apesar de a cidade por trás das muralhas não ser considerada propriamente um “castelo”, a “Pérola do Adriático”, como é conhecida, não poderia ficar de fora desta lista.

Tive a chance de parar duas ocasiões neste porto de cruzeiro, quando viajei com a MSC, e o lugar é tão especial que não tive como não mencionar. Além disso, a cidade inteira é cercada por muralhas e fortificações e foi considerada em 1979, Patrimônio da Unesco. Sem contar que é um dos lugares mais belos do Mar Mediterrâneo. Vale muito a visita! 

Uma vida inteira para se sentir em um conto de fadas

E depois desta lista, não te dá uma vontade enorme de entrar numa máquina do tempo e ir conferir um por um esses castelos em plena atividade? Eu confesso: enquanto organizava o material pra escrever este post, muitas vezes perdi o rumo e o foco, tamanha a riqueza de detalhes de cada descrição. 

Pode ser que o cenário na minha imaginação seja romanticamente idealizado e que o cotidiano vivido por trás das grossas paredes de cada uma dessas edificações não fosse tão glamoroso assim! De qualquer forma,  eu adoraria poder me transportar para algum destes cenários de sonho perdidos na História e ter um aposento medieval pra chamar de meu! Claro que eu nem pensei em não ser da realeza! Rsrsrs…

Blogagem Coletiva 

Este post faz parte de uma blogagem coletiva intitulada #castelospelomundo, em que vários blogueiros de viagem se reuniram para repartir suas experiências em alguns dos incontáveis castelos espalhados por todo o mundo. Aproveite e conheça, também, a visão e o trabalho dos blogs participantes:  

28 thoughts on “21 castelos europeus para você amar as aulas de História”

  1. Regina, que aula de história e que grande possibilidade de viajar no post ! Excelente trabalho, lugares belíssimos. Só conheço 6 desses aí citados,mas já coloquei na minha lista. beijocas

  2. Nossa!!! Arrasou mesmo com esta lista amiga! Cada Castelo de tirar o fôlego, conheço alguns poucos da Lista, mas já fiquei com vontade de conhecer todos! Muito bom viajar com você por estes Castelos! Parabéns!

  3. Adoro castelos e/ou palácios, seja lá o nome correto. São mágicos independente do que houve neles, tudo é uma questão da época e da cultura locais. Conheço 6 da sua lista e quero aumentar esse número em breve 🙂

    1. Oi, Cynara! Também fico neste dilema entre palácio e castelo… mas no fim, todos são incríveis e com histórias fantásticas. Espero que sua lista aumente cada vez mais… Abração!

  4. Realmente nós romantizamos muito a vida nos castelos, que na verdade carregam um passado nem sempre glamoroso, pelo contrário. Mas assim como vc, sou louca por eles!! Adorei a sua lista de castelos!!

  5. Nossa, fiquei até com inveja, só conheço cinco destes 21 que você conhece. Me deu uma vontade de visitar todos e ver tudo que você viu, deve ter sido incrível conhecer cada um. Parabéns, bela galeria, dicas anotadas. Beijos.

    1. Oi, Gisele! Fico feliz de meu post ter inspirado mais vontade de viajar e conhecer castelos! É mesmo um tema apaixonante: quanto mais visito, mais pesquisa quero fazer… e ir atrás das belas e históricas construções. Desejo que você possa conhecer todos os que ainda faltam na sua lista e mais um montão deles pelo mundo afora! Grande beijo!

  6. Adorei sua seleção! Concordo com você, visitar castelos é uma grande aula de história! Uma pena que só conheço metade da sua lista! Mas, vou me inspirar para as próximas viagens!:)

  7. Oi Regina!!!! Adorei a sua seleção. Dos 21, só conheço 3 (Castelo de Neuschwanstein, Het Steen e The Bock), ha ha ha. Isso significa que ainda tenho muitooooo que conhecer…
    Parabéns pelo post!
    Abraços,
    Carolina

  8. Menina, quanto castelo lindo! Sim, tb fiquei com vontade de voltar no tempo e ter um aposento pra chamar de meu. E claro que também só considerei ser da realeza! hahaha Super me identifiquei! Parabéns pelo post! Beijos!

    1. Oi, Fernanda! Que legal… muito feliz de você ter gostado. Já pensou a gente se encontrando com aqueles mega vestidões maravilhosos em um baile da corte??? Seria show! Os posts do encontro iriam bombar… Duas blogueiras num baile medieval!!! Phinas e chiques! hahaha… Beijão!

  9. Estou simplesmente encantada com sua lista de castelos! Alguns eu já conheço mas, a maioria, não. Eu adoro castelos e solto minha imaginação quando entro em um, me encanto com suas histórias e construções. Obrigada por me mostrar tantas oportunidades de passeio e conhecimento e parabéns pelo post!

    1. Oi, Lívia! Muito obrigada pela leitura e pelo comentário. Fico super feliz de você ter gostado! Espero que você possa conhecer os que faltam na sua lista. Grande beijo!

    1. Oi, Tatiana! Pior é que ainda faltam tantos que eu quero incluir nesta lista e que ainda não consegui visitar… rsrs. Cada castelo que eu visito, fico mais fascinada e querendo ver mais um monte. Beijo!

  10. Uau! Cada um mais lindo que o outro! Eu adoro visitar lugares cheios de história, que me fazem voltar no tempo e, no caso dos castelos, ainda tem a beleza das construções que sempre encanta! Vou colocar todos na lista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *