20 Comentários

Vai fazer uma Viagem de Carro de Amsterdã a Paris ? Então, tire todas as suas dúvidas sobre trajeto, distâncias, documentação e algumas cidades que você pode incluir neste Roteiro de Sonhos!

Bem, se você nunca dirigiu na Europa e está pensando se é tranquilo ir de carro de Amsterdã a Paris, a boa notícia é que esse trajeto é muito fácil de ser feito em apenas um dia.

Bastam duas paradas rápidas para descansar um pouco e ir ao banheiro.

A má notícia é que, como o trajeto de pouco mais de 500 quilômetros que liga as duas cidades tem vários destinos famosos pelo caminho (ou muito próximos da rodovia principal), o difícil é não fazer um desvio de rota.

Então, a primeira grande dificuldade é decidir se você irá direto de Amsterdã para Paris. Ou se fará um pinga-pinga por cidades lindas ao longo do percurso!

A rota que atravessa três países é toda plana, bem sinalizada e muito intuitiva.

Em solo holandês, você passará por placas apontando o caminho para cidades emblemáticas, como Den Haag, Rotterdam e Utrecht.

Já na Bélgica, nomes como Antwerp e Brussels não passarão despercebidos.

Finalmente, na França, com certeza cidades como Lille e Calais vão lhe soar familiares.

 

 

Nessa hora, você vai sonhar com um ano sabático e a possibilidade de passar um período mais longo dirigindo por essa parte da Europa.

Pois bem, como eu só tinha uma semana, precisei fazer escolhas difíceis.

E compartilho aqui com você a minha Viagem de Carro de Seis Noites entre Amsterdã e Paris, parando duas noites em cada cidade-base.

 

 

A escolha de um tema para a viagem de Amsterdã a Paris

 

 

Claro que é muito possível fazer uma viagem de Amsterdã a Paris apenas seguindo o trajeto sem pensar nas atividades.

Afinal, as possibilidades de atrações para todos os gostos, bolsos e estilos são inúmeras. Assim, como as cidades ao longo do caminho, também.

Mas, a nossa ideia era fazer uma viagem etílica, combinando um pouquinho de tour cervejeiro com uma pincelada de champagne, sempre aproveitando para incluir outras atrações culturais.

Sabíamos que o tempo era curto, que não daria para fazer um intensivão, já que o nosso estilo é desfrutar e, não, maratonar.

A gente adora “perder” um par de horas bebendo um bom vinho num lugar fofo desses!

 

 

Pátio fofo do hotel em que nos hospedamos em Dinant

 

 

Contudo, há muito tempo eu queria conhecer a Rota do Champagne, depois de ter visitado Bordeaux, muitas vinícolas do Vale dos Vinhedos e algumas do Valle de Casablanca no Chile.

Tenho que confessar que Paris não era inicialmente parte do itinerário, mas ela foi incluída porque eu não resisti ao “chamado” da Cidade Luz!

Além disso, a Rota do Champagne fica a menos de 2 horas de lá. Resumindo, como estar tão perto da icônica capital francesa e não dar uma esticadinha até lá?

Impossível! Tenho certeza de que você me entende! Hahaha!

 

 

Montagem do Itinerário para a Viagem de Carro de Amsterdã a Paris

 

A parte mais importante para uma viagem de carro bem sucedida é a elaboração de um itinerário que otimize o tempo de deslocamento entre as cidades visitadas.

Além disso, se você puder incluir uma atividade turística em um trecho mais longo, não terá a sensação de que perdeu um período do dia apenas indo do ponto A ao B.

No caso desta viagem, os percursos nem eram tão longos. Entretanto, eu calculei que com cerca de duas a três horas de estrada, meu marido precisaria parar para descansar um pouco.

Então, já logo na primeira parada do percurso, tratei de colocar um destino turístico.

 

Antuérpia

 

Duas cidades belgas famosas ficam no caminho entre Amsterdã e Paris: Antuérpia e Bruxelas. E qualquer uma delas é perfeita para fazer um pitstop, pois não sai muito do trajeto original.

Como já conhecíamos a capital belga e ele nunca havia estado em Antuérpia, foi a escolha natural.

O arranjo não poderia ter sido melhor, pois seu centrinho compacto é fácil de visitar em pouco tempo. Cerca de três horas foram suficientes para ver o básico e fazer uma refeição.

Como esta parada coincidiu com a metade do caminho, fazer o restante do trajeto foi super tranquilo.

Uma dica prática se você for parar em Antuérpia por algumas horas é deixar o carro no estacionamento que fica às margens do rio Scheldt e pertinho do Het Steen, o emblemático castelo, que é a principal atração da cidade.

 

 

Depois, você consegue caminhar tranquilamente até o Grote Markt, a principal praça da cidade. Ali fica a prefeitura e várias opções de restaurantes.

Tudo é muito pertinho. A única coisa mais distante é a estação de trem de Antuérpia.

 

 

Dinant

 

Talvez você nunca tenha ouvido falar deste destino belga. Eu tenho que confessar que só soube da existência dele quando estava montando este roteiro.

 

 

Mas, no momento em que comecei a ver as fotos, descobri que era uma jóia numa região incrível da Bélgica.

E que eu só descobri porque estava montando uma mini rota cervejeira e é nesta pequena e pacata cidade que se encontra a Maison Leffe.

Mas existem muitas outras atrações incríveis para explorar em Dinant e redondezas. De modo que pudemos aproveitar muito mais do que imaginávamos quando começamos a planejar o destino.

 

 

Maison Leffe

 

 

Chimay

 

 

Chimay não fazia parte do nosso planejamento de pernoite, mas como este pequeno município está localizado mais para o Sul da Bélgica e próximo da região da França para onde iríamos, já tratamos de incluí-lo no nosso roteiro.

Havia uma razão muito forte para isso: é lá que fica a Abadia de Scourmont, onde desde 1862 é produzida a famosa cerveja trapista belga.

 

Abadia de Scourmont

 

Novamente foi uma parada estratégica, para uma visita e um almoço especial. Uma maneira perfeita de quebrar a monotonia de um deslocamento e aproveitar para conhecer uma das atrações do itinerário de viagem.

 

 

 

Reims

 

 

A pequena, mas vibrante Reims (que se pronuncia algo próximo a Rãs), é a melhor alternativa para se visitar as Rotas de Champagne, pois é a cidade com mais estrutura e maior oferta de hotéis na região.

Além disso, algumas das maisons mais famosas estão localizadas na cidade, inclusive a emblemática Veuve Clicquot.

Daí termos colocado Reims no nosso roteiro de viagem de carro de Amsterdã a Paris.

 

 

Entrada da Cave da Veuve Clicquot

 

 

Novamente ficamos duas noites e foi o suficiente para ter uma noção mínima da região. Se fôssemos explorar com calma, ou ainda, se tivéssemos mais familiaridade com o tema, teria sido melhor esticar a estadia.

Mas, sendo bem honesta, com a cotação do euro nas alturas e o preço bem elevado deste líquido borbulhante nas maisons mais sofisticadas, dois dias foi de bom tamanho!

 

 

Catedral de Reims

 

 

Epernay

 

 

É importante ter em conta que Champagne é uma região no nordeste da França, que abrange quatro departamentos e que possui seis rotas.

Assim, falar sobre o assunto exige um post exclusivo (que vai sair em breve, prometo!).

Mas, minha ideia aqui, é dar uma visão geral sobre como foi possível incluí-la numa viagem enxuta, de seis noites, apenas, entre duas capitais extremamente conhecidas e facilmente conectadas de carro.

Eu fiz apenas uma das rotas, a que liga Reims a Epernay. Se eu quisesse fazer as outras, teria que ter permanecido mais tempo na região de Champagne.

 

 

 

A região compreende um total de 600 quilômetros de paisagens, estradas e, além destas duas cidades, também inclui Château-Thierry, Troyes e Hautvillers.

Então, fiz o básico: em Epernay, fui direto à Moët & Chandon. O que viesse depois, seria lucro. Foi a escolha mais acertada.

 

 

 

Mas, minha dica é que se você quiser realmente aproveitar a experiência de beber champagne à vontade, sem se preocupar com a estrada e a volta para Reims, o ideal é uma hospedagem em Epernay ou a contratação de um guia-motorista.

 

 

Maison de Vignerons

 

 

Paris

 

 

Se você já acompanha o Turista FullTime há certo tempo, sabe que eu adoro Paris e que já estive lá em outras seis ocasiões.

Então, esta visita não foi aquela padrão, em que eu precisava visitar os principais pontos turísticos. Eu não tinha a urgência de conhecer todas as atrações imperdíveis em dois dias.

 

 

Assim, não havia aquela cobrança interior de pegar filas, de aguentar o cansaço e ficar na rua até não poder mais porque não se tem um minuto a perder.

Mas, se eu falar pra você que não fui até a Torre Eiffel, é mentira. Acho que nunca vou conseguir ir até Paris sem dar uma espiadinha nela!

 

 

Não subi, mas fui admirá-la do Trocadero, das Galeríes Lafayette, a bordo de um mini cruzeiro pelo Sena (sim eu sempre repito este passeio!). Enfim, tem umas coisas que eu não consigo fugir…

 

Vista da Torre Eiffel a partir do rooftop das Galeríes Lafayette

 

Entre as novidades, fiz um Free Walking Tour por Montmartre que eu simplesmente amei!

Aliás, walking tours são um ótimo recurso para conhecer grandes cidades, pois você tem a chance de visitar lugares que nem teria ideia que existiam e depois pode voltar e explorar com calma, por conta própria.

 

 

Quando que eu iria imaginar que teria um vinhedo em Montmartre? Coisas que só um local pode te dizer!

No fim, este tour serviu pra mostrar que entre linhas tortas, sim, Paris fechou com chave de ouro a nossa viagem etílica, mesmo o vinhedo sendo bem modesto! Afinal, ele é pura história e resistência! Tudo o que os franceses gostam!

 

Vinhedo Clos de Montmartre no coração do bairro

 

Aproveite para ler, também o post com 5 DICAS DE HOTÉIS EM PARIS QUE CABEM NO SEU BOLSO!

 

Vale a pena dirigir em Paris?

 

 

Apesar de termos ido de carro de Amsterdã a Paris, na capital francesa, optamos por andar a pé e de metrô, pois o trânsito lá é bem caótico. Definitivamente, não vale a pena dirigir por lá!

As ruas são bem apertadas e quase não há lugar para estacionar. Além disso, há um grande fluxo de bicicletas e patinetes.

Então, se dirigir em uma cidade grande, com regras diferentes, em um outro idioma já é desafio e tanto, imagine com todas essa variáveis!

Sem contar a perda de tempo. Só para você ter uma ideia, no dia em que estávamos voltando para Amsterdã, levamos 50 minutos só para sair de Paris e começar, de fato, a viagem.

E na minha cabeça, a viagem só começa quando se acessa o primeiro anel viário! Aí, sim, é  pé na estrada!

Então, isso adicionou quase uma hora em um percurso que, por si só, já era puxado!

 

 

Onde alugar um carro em Amsterdã?

 

 

Você pode alugar um carro diretamente no balcão de uma das empresas de locação de veículos no aeroporto internacional de Schiphol em Amsterdã.

Entretanto, o ideal é já chegar lá com a sua reserva feita para garantir preço, modelo e (dependendo da época do ano) que haverá um carro disponível.

Algumas comparadoras permitem, inclusive, que você pague parceladamente em Reais. Eu prefiro apenas reservar sem pagamento antecipado e pagar na moeda local.

Assim, se eu tiver alguma mudança de planos, ou mesmo, um cancelamento de viagem, não preciso lidar com os trâmites.

Ultimamente, muitas pessoas têm comentado sobre a obrigatoriedade de apresentar a PID (Permissão Internacional para Dirigir) em alguns países europeus. Como as informações são meio desencontradas, resolvemos providenciar o documento.

Este é um documento muito simples e relativamente barato de ser obtido aqui no Brasil, mas que se você não tiver, pode impedir a retirada do veículo.

Na Holanda, somente nos pediram o passaporte e a CNH. Entretanto, já ouvi relatos de que na Áustria, na Grécia e na Itália é obrigatório apresentar o documento.

Pode acontecer, também, de a polícia rodoviária solicitar a documentação durante o trajeto. Nesta hora a PID é bem conveniente, pois as informações estão traduzidas para o Inglês e o Espanhol.

 

 

Seguro do carro e seguro viagem

 

 

Este é um item muito importante e que deve ficar muito claro para você na hora de alugar o carro. Primeiramente, quando você aluga um carro, o seguro NÃO está incluído.

Além disso, mesmo contratando um seguro, a maioria das locadoras cobra uma franquia caso ocorra algum acidente.

De modo que o fato de contratar um seguro do carro, não significa que você não terá um custo extra no caso de uma colisão, dano ou roubo.

Além disso, o seguro é basicamente para o carro e para as vítimas e nem sempre cobre outros transtornos que podem acontecer durante a sua viagem.

Então, um seguro do carro NÃO exclui um seguro viagem e vice-versa.

 

 

O seguro viagem você faz antes mesmo de sair do Brasil, contando desde o dia da sua partida até o dia em que você pisa de novo na sua casa. Ou onde quer que você chegue, na volta da viagem!

Sei que você pode achar que é uma despesa opcional, mas no caso de uma viagem à Europa, ele é obrigatório. Inclusive, eu já fiz um outro post aqui no blog explicando todos os detalhes sobre isso.

E é preciso levar em consideração que o trânsito entre países, impõe um ritmo, uma alimentação e uma aclimatação diferentes, e que podem impactar  na sua condição física. Resumindo, o melhor é não arriscar.

E, principalmente na França e na Bélgica, em que a comunicação em Inglês é mais complicada, eu considero o seguro viagem mais indispensável ainda, pois no caso de uma emergência, você pode entrar acionar a seguradora e resolver todos os problemas em Português.

O Turista FullTime trabalha com a Real Seguro Viagem, uma empresa brasileira que oferece várias opções de cobertura e que atua no mercado desde 2009. Aproveite para fazer uma cotação para a sua próxima viagem!

 

 

Vale a pena fazer uma viagem de carro de Amsterdã a Paris?

 

 

Quando eu estava planejando a nossa viagem, inicialmente cogitei a possibilidade de fazer grande parte do nosso deslocamento de trem. Afinal, o transporte público funciona muito bem na Europa.

Seria super descomplicado ir de Amsterdã para Antuérpia, por exemplo, cuja estação é por si só uma atração turística! E dali seguir para os outros destinos até chegar a Paris.

No entanto, calculando os custos de deslocamentos para duas pessoas, cheguei à conclusão de que o carro seria muito mais econômico e nos daria muito mais flexibilidade.

Acabou sendo a escolha mais acertada! O carro nos deu uma mobilidade muito maior, uma chance de conhecer mais lugares e de visitar atrações que seriam difíceis de acessar com o transporte público.

Dirigimos cerca de 1300 quilômetros em uma semana, passando por três países e várias cidades.

 

 

Uma curiosidade é que passamos por um único pedágio (na ida e na volta) dentro do território francês.

Então, minha opinião é que para uma viagem solo, o transporte público pode ser a opção mais prática e econômica. Especialmente, o rodoviário, pois os trens costumam ser mais caros na Europa.

Mas, a partir de duas pessoas, definitivamente, o carro vale mais a pena. Entretanto, aqui vale uma ressalva: os estacionamentos nas grandes cidades da Holanda e da França são bem caros.

Então, este é um cálculo importante a ser levado em conta na hora de tomar uma decisão. E o fato de você estar de carro também restringe a escolha das acomodações.

De qualquer forma, eu acho que nossa viagem de Amsterdã a Paris não teria sido tão proveitosa se não tivéssemos alugado um carro. Acho que valeu o investimento!

 

 

Viagens pelo Mundo

 

 

O Turista FullTime está participando de uma blogagem coletiva, cujo tema é transportes em viagem e que conta com a participação dos seguintes blogs:

 

 

A acomodação perfeita para a sua viagem, você encontra aqui:

20 thoughts on “Viagem de Carro de Amsterdã a Paris (com Roteiro!)”

  1. Olá Regina, dicas maravilhosas. Irei com minha esposa no início de fev/24 e planejando essa trip. Uma duvida, o custo foi muito alto do aluguel do carro, uma vez que alugou numa cidade e devolveu em outra? Ou o destino foi ida e volta com carro próprio?

    1. Oi, Hudson! Tudo bem? Antes de mais nada, muito obrigada pela leitura e por enriquecer o nosso post com a sua pergunta! pe;o desculpas pela demora em lhe responder (seu comentário tinha caído na caixa de spam e estava “perdido” no meio de mais de mil!).

      Mas, quanto às suas perguntas, vamos lá: eu fiz uma pesquisa de quanto sairia o deslocamento de trem ou ônibus entre as cidades que queria visitar e achei que para duas pessoas o carro compensaria mais.

      Eu aluguei e devolvi o carro no aeroporto de Amsterdã, mas é possível alugar em uma cidade e devolver em outra. Você apenas precisa pagar uma taxa adicional. Entretanto, fica um pouco mais complicado se você quiser pegar o carro em um país e quiser devolver em outro. O custo de aluguel do carro ficou em torno de 200 reais por dia (é possível reservar aqui no Brasil e pagar em reais – inclusive parcelado).

      O combustível também não sai muito caro e os pedágios têm um preço relativamente barato. Resumindo: acho que alugar um carro na Europa acaba tendo um custo/benefício excelente a partir de duas pessoas, além de dar uma enorme mobilidade. Apenas em grandes cidades eu aconselho deixar estacionado fora do centro e optar pelo transporte público, pois os estacionamentos privados saem caro e encontrar vagas nas ruas é uma raridade.

      Espero ter contribuído para o planejmanto da sua viagem. O Turista FullTime tem a sua própria agência de viagens. Caso você tenha interesse, posso cotar o aluguel de carro e outros produtos para a sua viagem. Terei um imenso prazer em atendê-lo.

      Grande abraço,

      Regina Oki

  2. Adorei as dicas de Viagem de Carro de Amsterdã a Paris (com Roteiro!)! Estou querendo fazer essa viagem e vou seguir suas dicas. Obrigada por compartilhar.

  3. Regina, ri aqui com seu comentário de que é difícil não se desviar pelo caminho! Isso acontece em quase todo canto da Europa, né? São tantas cidades, parques naturais, vilarejos…E na viagem de carro entre Amsterdam e Paris com certeza eu também ficaria tentada a fazer paradas. Quando fomos de trem, paramos apenas em Bruges, que requer um desvio, mas valeu muito. Antuérpeia só conheci a estação, que é linda.

  4. Que luxo esta viagem de Carro de Amsterdã a Paris (com Roteiro!), Regina. Amei cada parada de vocês, um roteiro prático e bem selecionado, com experiências que valem muito a pena incluir neste percurso.
    Adoraria fazer este trajeto de carro e finalizar em Paris, a cereja do bolo, independente de quantas vezes a gente visite a cidade, não é mesmo?
    Grande beijo!

    1. Gi, esta foi uma das viagens mais memoráveis que eu já fiz na vida. Cada cidade linda! A vontade era incluir mais destinos no trajeto, mas o tempo era curto. Paris é sempre um encanto! Nunca me canso de ir até lá. E sempre falta alguma coisa pra ver! Você que gosta de viagens de carro, tem que incluir essa road trip na sua lista. Quem sabe um dia não vamos juntas??? Hehehe! Beijão!!!

  5. Que linda essa viagem de carro de Amsterdã a Paris! Eu já fiz de Paris a Rotterdam e achei muito bom, carro dá mais liberdade né?
    Eu acho que vale a pena. E quanto lugar interessante você incluiu no roteiro! A região de Reims é mesmo imperdível!

    1. Oi, Mari! que bom te ver por aqui! Viagens de carro são mesmo muito legais, né? Eu adoro! Que top você ter ido de Roterdã a Paris! Deve ter sido uma experiência incrível, também. Eu amei esta viagem. Vou lembrar dela com muito carinho e por muito tempo. Grande beijo pra você!

  6. Melhor parte de fazer esses roteiros de carro são as cidades e paisagens que conhecemos no caminho. Adorei seu roteiro e viagem de Amsterdam até Paris.
    Estou montando um roteiro e estaca considerando ir de trem. Agora vou pensar mais sobre e talvez opte por carro kkk

    1. Oi, Diego! Vale muito a pena fazer uma viagem de carro. Você vai ver que vai lhe dar muito mais autonomia e mobilidade! Depois conta pra gente como foi a sua experiência! Grande abraço!

  7. Alugar carro na Europa é um sonho que ainda não tive coragem de realizar. Mas suas dicas para essa viagem de carro entre Amsterdam e Paris me deixaram com ainda mais vontade de dirigir por lá. Cada cidade linda pelo caminho!! Quem sabe tomo coragem com seu post. Obrigada por compartilhar. bjs

    1. Oi, Cecilia! Que alegria lhe ver por aqui! Muito obrigada pela leitura e pela sua participação. Dirigir pela Europa é uma experiência deliciosa e você vai ver que a liberdade que o carro dá compensa o investimento e o fato de ter que vencer eventuais barreiras da língua e do desconhecido. Você vai ver que é bem tranquilo. Grande abraço!

  8. o aluguel de carro dá liberdade de horário e roteiro e o seu post mostrou bem isso. Adorei as dicas e o seu roteiro de carro entre Amsterdam e Paris, passando por lindas cidades. Dicas anotadas!

    1. Oi, Lulu! Bom demais te ver por aqui! Obrigada pela leitura. Realmente, o carro dá uma liberdade enorme e aquela vontade de ir sempre mais além! Haja estrada!😊

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *