O Parque de São João Marcos, localizado no município de Rio Claro e a apenas 2 horas do Rio de Janeiro , é o refúgio ideal para quem quer curtir a tranquilidade em meio à Mata Atlântica e conhecer o primeiro sítio arqueológico urbano do Brasil.

Tenho que confessar que até bem pouco tempo, eu não tinha conhecimento de um sítio arqueológico de tamanha importância bem pertinho aqui do Rio de Janeiro.

Foi então que surgiu o convite de visitar, juntamente com outros blogueiros da RBBV núcleo RJ o Parque Ambiental e Ecológico de São João Marcos.

 

Parque São João Marcos: entrada do parque.

 

Para facilitar a sua leitura, resolvi encurtar um pouco o nome. Daí a denominação de Parque São João Marcos, que utilizarei ao longo do post.

Detalhes da forma de se referir ao parque à parte, a verdade é que o local, assim como Petrópolis, por exemplo, é mais uma opção de turismo bate e volta a partir da Cidade Maravilhosa com o intuito de conhecer algo diferente.

 

Parque São João Marcos: um pouquinho de História

 

São João Marcos foi uma cidade, nascida da construção de uma capela dedicada ao santo e obra do fazendeiro João Machado Pereira.

Assim, no ano de 1739 surgia, no entorno da capela, um povoado promissor devido às condições da região para o cultivo do café, agricultura em alta na época.

A pequena cidade, inicialmente composta de algumas dezenas de ruas, três largos e duas travessas, conheceu seu apogeu em torno de 1850, quando o Ciclo do Café atingiu o auge de sua prosperidade.

São Marcos foi a primeira cidade histórica brasileira, tombada em 1939 pelo SPHAN (Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional da época).

Entretanto, no ano seguinte foi destombada por um decreto do então presidente Getúlio Vargas.

 

Parque São João Marcos: maquete do complexo.

Maquete do extinto município São João Marcos, que pode ser conferida no Centro de Memória do parque.

 

A cidade foi, então, desocupada e todas as casas foram demolidas, para que fosse possível inundar a região e, assim, permitir a ampliação do Complexo Hidrelétrico de Ribeirão das Lajes.

Hoje, tal decisão talvez fosse inaceitável. Porém, na época, foi a saída encontrada para resolver o problema de abastecimento de energia no Estado.

A consequência foi o abandono e o esquecimento de um legado histórico importantíssimo por sete décadas.

Felizmente, este foi resgatado na década de 1990, ocasião em que a Ponte Bela e as ruínas do centro histórico foram tombadas pelo INEPAC (Instituto Estadual do Patrimônio Cultural).

 

Parque São João Marcos: Ponte Bela.

 

O Parque São João Marcos dos dias atuais

 

Desde 2008, com a construção do Parque Ecológico e Ambiental de São João Marcos, um grande esforço tem sido feito para resgatar as memórias deste legado e conscientizar os visitantes da importância de se preservar este patrimônio da nossa História.

O Parque São João Marcos pertence à empresa Light, que juntamente com a Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, desenvolveu um projeto para transformar a área em um museu a céu aberto.

O objetivo é resgatar as memórias da antiga cidade do Vale do Café Fluminense. E, ao mesmo tempo, proporcionar aos seus visitantes aprendizado lúdico e consciência ambiental.

 

Parque São João Marcos: o que esperar da visita?

 

O Parque São João Marcos conta com uma excelente infraestrutura direcionada à pesquisa e ao lazer.

Tive a oportunidade de visitar vários espaços, além de poder desfrutar da calma e da paz do lugar.

 

Parque São João Marcos: ruínas arqueológicas.

 

Logo que você chega ao parque, há uma Arena, a céu aberto. Ali, ocorrem apresentações artísticas de teatro, música e dança.

 

 

Um pouco adiante, fica o Centro de Visitação, onde se encontram o Centro de Memória e um Auditório.

 

 

Há, também, uma área deliciosa, que abriga o Quiosque São João Marcos.

 

 

O espaço é perfeito para um lanche rápido ou almoço. Ou, ainda, simplesmente, para relaxar à sombra.

O Parque de São João Marcos conta, ainda, com outras áreas bem interessantes, como um campo de futebol e um mirante à beira da represa.

Porém, como eu estava participando de um tour em grupo, não tive muita chance de explorar o parque por conta própria.

Contudo, se você tiver tempo e disposição, com certeza terá uma experiência bem completa.

 

 

Até cavalos é possível avistar por lá!

 

 

O legado arqueológico

 

Após passar pelo Centro de Visitação, você vai avistar o Circuito das Ruínas, que se extende por 650 metros.

Ali, você encontrará edificações urbanas de extrema importância histórica. É o caso das ruínas da antiga Igreja Matriz.

 

Parque São João Marcos: ruínas arqueológicas.

 

Assim como o que restou da casa que pertenceu ao Capitão-mor, nos áureos tempos do Ciclo do Café.

 

Parque São João Marcos: ruínas arqueológicas.

 

As atividades culturais

 

Todo mês há um evento cultural acontecendo no parque. No dia em que lá estive, o evento foi em comemoração ao Dia do Índio e havia a presença da tribo guarani da aldeia Sapucaia.

 

 

Foi um dia muito especial, principalmente pela oportunidade de aprender um pouco sobre a cultura indígena nos dias atuais.

A palestra do cacique Domingos – destinada a nós e aos estudantes universitários do curso de História que se encontravam por lá – foi extremamente esclarecedora e interessante.

 

 

Outras atividades promovidas pelos integrantes da tribo propiciaram a imersão em seu universo, através da música e da dança.

Lindas peças de artesanato produzidas por eles estavam à venda.

 

 

Uma forma que eles encontraram para complementar sua renda e difundir sua cultura.

 

 

Houve, também, um grande almoço comunitário, oferecido pelo parque.

 

Como planejar a sua visita ao Parque São João Marcos?

 

Primeiramente, é importante dizer que você pode visitar o parque por conta própria e sem necessidade de agendamento.

Entretanto, sua visita será muito mais interessante se você fizer um tour guiado.

Para isso, você deve fazer o agendamento através do e-mail contato@saojoaomarcos.com.br  ou preencher o formulário de contato no próprio website do parque. Este serviço é gratuito e aplica-se a grupos a partir de 10 pessoas.

O quiosque São João Marcos funciona durante todo o período de visitação e há vendas de quitutes e bebidas.

Contudo, refeições precisam ser agendadas com antecedência através do e-mail thinaaleeone@hotmail.com.

O site do parque disponibiliza um menu com as opções e preços.

Importante ressaltar que o quiosque só aceita pagamento em dinheiro e que não há caixa eletrônico no local.

 

Parque São João Marcos: informações práticas

 

Endereço: Estrada RJ 149 (Rio Claro – Mangaratiba) km20 – Rio Claro/ RJ

Funcionamento: de quarta a sexta de 10:00 às 16:00/ sábados e domingos de 09:00 às 17:00

Entrada: grátis

Estacionamento: grátis

Para maiores informações sobre as rotas, consulte o site do Parque São João Marcos.

 

 

Agradecimentos

 

Participei da experiência na condição de blog membro do núcleo carioca da Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem (RBBV). Entretanto, todas as opiniões e impressões expressam genuinamente a minha vivência.

Tivemos a companhia de Eduardo Bacellar, arqueólogo e guia do parque e da Christina Lima, que organizou a nossa visita e cuidou de tudo para que nosso dia no parque fosse memorável.

Então, expresso meus sinceros agradecimentos a ambos pela oportunidade de visitar um patrimônio arqueológico e ambiental de extrema importância para o nosso estado e país.

Agradeço, também, ao pessoal da Avantepaxtur, empresa de transporte turístico e corporativo, responsável pelo nosso deslocamento.

 

Ampliando a sua leitura

 

Aproveite a oportunidade para conhecer, também, a visão dos outros blogs que também participaram da experiência:

 

 

A acomodação perfeita para a sua viagem, você encontra aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *