O Parque Lage, localizado na Zona Sul do Rio de Janeiro, é um dos destaques da Cidade Maravilhosa. Com entrada grátis e amplamente frequentado pelos locais, a bela propriedade reúne uma natureza incrível, aliada a uma Arquitetura exuberante e a muita História.

 

Palacete do Parque Lage no FR

 

É certo que se você vier ao Rio por um período curto, talvez não consiga visitar o Parque Lage.

Afinal, competir com os gigantes do turismo carioca, como o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar, não é uma tarefa das mais fáceis.

Além disso, o Parque Lage tem como vizinho um outro ícone da cidade: o Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Ainda assim, e apesar de todas essas variáveis, uma visita ao Parque Lage é uma experiência totalmente distinta das demais alternativas citadas.

 

Parque Lage: sua evolução ao longo da História

 

A atual estrutura do Parque Lage é bem diferente, quando comparada a de séculos atrás.

É bem verdade que grande parte do cenário não sofreu alteração.

Afinal, o parque está inserido em uma área de 52 hectares, grande parte formada por floresta nativa de Mata Atlântica.

Ainda assim, é possível perceber ao longo da visitação, as grandes modificações arquitetônicas ocorridas ao longo do tempo.

Inclusive, conferir as influências  e contribuições de cada um dos períodos e diferentes proprietários.

 

Do Brasil Colonial ao século XIX

 

Originalmente, a propriedade era um engenho de açúcar na época do Brasil Colonial.

As terras pertenciam a Antonio Salema – que foi governador do Rio de Janeiro no século XVI – e se estendiam até as margens da Lagoa (atual Rodrigo de Freitas).

Em meados do século XIX, um lorde inglês adquiriu a propriedade e, em 1840, contratou um paisagista para projetar um jardim em estilo romântico.

Apenas em 1859, a propriedade passou a fazer parte da família Lage, que nomeou o parque que hoje podemos visitar.

 

A partir do século XX

 

É certo que de 1913 até 1920, a propriedade ficou fora da família, mas foi readquirida pelo neto de Antonio Martins Lage, o empresário Henrique Lage.

Este, um amante das Artes e completamente apaixonado pela mulher, a cantora lírica italiana Gabriela Besanzoni.

Para agradar sua amada, ele mandou construir uma réplica autêntica de um “palazzo romano” e ainda reformulou o projeto paisagístico.

 

 

Atualmente, o Parque Lage é um parque público, tombado em 1957 pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) como patrimônio histórico e cultural da cidade do Rio de Janeiro.

Abriga, ainda, desde 1966, o Instituto de Belas Artes, que deu origem à Escola de Artes Visuais (EVA) em 1974. E, finalmente, desde 2004, o Parque Lage é parte do Parque Nacional da Tijuca.

Para nós, como meros visitantes e apreciadores do belo, às vezes a trajetória de uma instituição pode passar despercebida.

Contudo, conhecer sua História mostra muito do legado e da importância do parque ao longo de toda a sua existência.

Eu, particularmente, sempre fico maravilhada ao saber mais sobre as mudanças ocorridas nos pontos turísticos que visito, pois complementam ainda mais a apreciação do lugar.

Não consigo apenas observar, sem saber o que estou vendo… e sempre volto para casa querendo saber ainda mais!

 

A estrutura do Parque Lage

 

Não é difícil entender o motivo de o Parque Lage ter virado um dos queridinhos do carioca quando o assunto é um programa ao ar livre, descolado e acessível a todos.

Afinal, o fato de o parque oferecer entrada gratuita, em uma cidade com pontos turísticos cujos preços são, relativamente salgados, já é um belo atrativo.

Porém, a sua gratuidade é apenas um detalhe, pois o Parque Lage tem tantos atrativos – para todas as idades – que uma única visita não esgota todas as possibilidades de lazer.

 

 

É certo que muitos casais optam por ir até lá apenas para tirar lindas fotos e curtir um visual bacana ao tomar um belo café da manhã com vista para o Cristo Redentor, por exemplo.

Mas, muitas famílias com crianças também aproveitam o lugar, sem precisar gastar nada e passando horas muito agradáveis em um espaço amplo e verde.

 

As atrações do Parque Lage

 

  • Cavalariças e Capelinha
  • Palacete do Parque Lage
  • Terraço do Palacete
  • Biblioteca
  • Chafariz
  • Jardins ao estilo francês
  • Jardins ao estilo inglês
  • Trilhas que levam ao Cristo Redentor
  • Brinquedos e área ao ar livre para crianças
  • Locais para piqueniques
  • Gruta
  • Aquários
  • Lagoa dos Patos
  • Torre do Castelinho

 

O Palacete do Parque Lage

 

O casarão do século XIX é, claramente, a cereja do bolo e o que atrai os milhares de visitantes por conta de sua arquitetura inusitada para o Rio de Janeiro.

Entretanto, além de sua beleza, o palacete compõe um grande centro artístico e cultural, onde funciona a Escola de Artes Visuais do Parque Lage, que oferece formação gratuita para artistas iniciantes  e cursos de capacitação em Artes para jovens.

 

 

Além disso, o Palacete do Parque Lage oferece uma intensa programação cultural, composta de exposições, palestras, seminários, amostra de vídeos ou, ainda, eventos de música que acontecem o ano todo.

A construção central da propriedade reúne, também, uma biblioteca, um auditório com capacidade para 150 pessoas e espaço para festas e festivais de arte, promovidos tanto pela iniciativa pública, quanto pela privada.

 

Pátio Central do Palacete do Parque Lage

 

É, certamente, no pátio central da mansão que os visitantes vão tirar suas melhores selfies!

Afinal, é ali que se localiza a piscina, em cujo entorno foi construído o palacete.

É ali, também, que fica o Bistrô Plage, que oferece um delicioso café da manhã, almoço e lanches preparados com produtos orgânicos.

 

Terraço do Palacete

 

O Terraço do Palacete pode ser acessado mediante à compra de algum souvenir na lojinha do complexo.

Ao adquirir algum produto,  você recebe um ticket que permite a subida ao terraço. Mas não se preocupe: um simples imã de geladeira já te dá o passaporte da alegria!

Vale a pena conferir a vista de lá de cima, pois você vai poder ver outros ângulos do palacete e dos jardins.

Poderá, também, conferir as palmeiras imperiais que margeiam a entrada do Parque Lage.

 

A área externa do Parque Lage

 

A parte externa do Parque Lage é muito agradável e, certamente, você vai passar bastante tempo por lá.

Logo na entrada do parque, ao passar pelos dois grandes portões que se abrem à Rua Jardim Botânico, você já poderá conferir as palmeiras imperiais que dão acesso ao Palacete.

Você pode optar por começar sua visita por ele, ou aproveitar para conferir os jardins e as trilhas do complexo.

 

Trilhas do Parque Lage no Rio de Janeiro

 

Ou ainda, para dirigir-se à bonita e antiga construção onde no passado funcionavam as Cavalariças.

Atualmente, elas funcionam como um grande galpão para a exposição Hábito-Habitante.

 

Cavalariça do Parque Lage no Rio de Janeiro

 

Você pode, ainda, percorrer os jardins da propriedade. Os jardins em frente ao Palacete foram construídos ao estilo francês.

Enquanto que os do restante do parque são em estilo inglês, combinados com a vegetação nativa de Mata Atlântica.

É devido a este cenário de Mata Atlântica que você poderá encontrar algumas espécies de fauna nativa, como pássaros, pequenos lagartos ou macacos.

Nem preciso dizer que alimentá-los é proibido, né?

 

Vegetação de Mata Atlântica do Parque Lage no Rio de Janeiro

 

Na parte externa concentram-se também, algumas atrações como a gruta artificial e os aquários construídos em argamassa, imitando pedras e troncos de árvores.

São 12 aquários no total, o maior deles com capacidade para seis mil litros.

 

 

Há, ainda, a Lagoa dos Patos, mas que na verdade, não tem pato algum. Mas é bem bonitinha, com algumas carpas passando pra lá e pra cá.

 

 

Para complementar o cenário, o Parque Lage conta ainda com área para piqueniques, parquinho com brinquedos em madeira para as crianças e várias trilhas, inclusive, a que leva ao Cristo Redentor.

Em suma, qualquer que seja a sua motivação para visitar o Parque Lage, você vai se entreter por algumas horas por lá.

 

Como visitar o Parque Lage?

 

É importante ressaltar que a visita ao Parque Lage divide-se em duas etapas: a parte interna do Palacete – assim como a da Cavalariça e da Capelinha – e a imensa área externa.

Para a área externa, não é preciso muito planejamento, pois você pode explorá-la de acordo com o seu ritmo e o tempo que você tem disponível para curtir o complexo.

Para a parte interna, contudo, é preciso se organizar com antecedência. Principalmente, em tempos de pandemia de COVID-19.

Atualmente,  o acesso à área interna está mais restrito. Então, é preciso agendar um horário on-line através do site oficial do Parque Lage para poder ter acesso às instalações.

O processo é bem descomplicado e sem custo, mas é preciso definir o horário de entrada no Palacete. Uma vez lá dentro, não há restrição de permanência.

Tanto para visitar as Cavalariças e a Capelinha, quanto para visitar o Palacete, é preciso fazer a reserva de ingressos, mas você nem precisa imprimi-los.

Basta baixar o aplicativo do Sympla no seu celular e mostrar o código QR do seu ingresso na entrada do complexo.

 

Informações práticas para visitar o Parque Lage

 

Normalmente, a capacidade do Parque Lage é de três mil visitantes por hora, mas o parque atualmente opera com restrições devido à pandemia de COVID-19.

De modo que, para uma visita tranquila e sem surpresas, convém consultar as regras de visitação atualizadas no site oficial da instituição ao planejar a sua visita.

 

Endereço e Contato

 

O Parque Lage está localizado na Rua Jardim Botânico número 414, no bairro de mesmo nome.

Telefones para contato: +55 21 2334-4297/ 2334-8111

E-mail: eav@eavparquelage.rj.gov.br

 

Funcionamento

 

O Parque Lage funciona diariamente, sempre das 08:00 às 17:00. Entretanto, o Bistrô Plage atualmente está funcionando apenas das 9:00 às 17:00.

Algumas datas de fechamento do parque já estão previstas para o restante do ano de 2021. São elas: 04, 11, 18 e 25 de setembro; 23 de outubro e 15 de novembro.

 

Acessibilidade

 

Há vagas destinadas a veículos para pessoas com deficiência. E há um elevador exclusivo na entrada principal de acesso ao palacete.

 

Estacionamento

 

Exclusivo para funcionários, alunos e pessoas com deficiência.

 

Bicicletário

 

Localizado ao lado dos portões de entrada. Há, também, uma estação da Bike Rio na Rua Jardim Botânico, 391 – em frente ao Parque Lage, para o caso de você estar com uma bicicleta alugada pelo aplicativo.

 

Como chegar ao Parque Lage?

 

A melhor maneira de acessar o Parque Lage é, sem dúvida alguma, através de sistema de aplicativo de carros, pois não há estacionamento para o público geral no complexo. Tampouco, existem estacionamentos privativos no entorno.

É possível acessar o Parque Lage utilizando uma das muitas linhas de ônibus municipais que atendem à região. Aplicativos para celular como o Google Maps ou o Moovit são ferramentas perfeitas para planejar o seu deslocamento.

Infelizmente, chegar até o Parque Lage utilizando uma das linhas de metrô é uma tarefa mais complicada, já que o bairro do jardim Botânico não conta com estações.

Então, é necessário fazer uma troca com o metrô de superfície (que nada mais é do que um ônibus fazendo a conexão entre as principais estações de metrô e os pontos turísticos da cidade.

Assim, a alternativa seria descer na estação Botafogo e pegar o metrô de superfície que atenda à região da rua Jardim Botânico.

Em suma, não acho que valerá a pena, pois você vai perder tempo precioso de sua visita com um deslocamento moroso e longo.

 

Curiosidades sobre o Parque Lage

 

O Parque Lage é palco de muitos eventos suntuosos, sejam eles abertos ao público ou apenas para um público seleto de convidados em uma festa privativa.

Muitas festas inesquecíveis aconteceram nas dependências do complexo e no Palacete do Parque Lage. Inclusive, foi no icônico pátio central do palacete que o saudoso ator Paulo Gustavo oficializou sua união com o médico Thales Bretas em 2015, mediante 500 convidados. Imagine que luxo e sofisticação!

Quantas outras histórias o Parque Lage não deve ter registradas em suas lindas colunas e arcos que cercam o inconfundível pátio de seu palacete?

 

 

A acomodação perfeita para a sua viagem, você encontra aqui:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *