Às vezes, viajar durante a pandemia de COVID-19 não é uma escolha, é uma necessidade. Neste caso: o que fazer? É seguro? Pode viajar? Quais cuidados tomar?

Estas e muitas outras perguntas tiram o sossego de muitos viajantes! Então, neste post, tentarei abordar as dúvidas mais frequentes.

Antes de mais nada, é preciso esclarecer que, apesar de eu ser uma viajante frequente, desde meados de março, quando as notícias sobre o novo Coronavírus no Brasil começaram a apontar o aumento do número de casos, eu venho cumprindo o isolamento social.

 

Créditos da foto: Pixabay.

 

De modo que este post não tem a menor intenção de incentivar viagens de turismo a curto prazo. Entretanto, como produtora de conteúdo, senti-me na obrigação de abordar o tema, pois entendo que um blog de viagem é essencialmente um veículo de informação. Principalmente, acerca de uma situação inédita no cenário mundial.

Outro ponto relevante é que, mesmo as medidas adotadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde), sofrem constantes modificações.

Tais medidas são baseadas nas informações recebidas dos países afetados pela doença e, também, fundamentadas nas novas evidências técnicas e científicas apresentadas.

Portanto, alguns dados fornecidos ao longo deste post poderão mudar a qualquer momento. Assim, recomendo, fortemente, que se você precisa viajar, o ideal é que sempre consulte um website confiável sobre o destino (país ou cidade) às vésperas de sua viagem, para obter as informações o mais atualizadas possível.

 

Créditos da foto: Pixabay.

 

Pode viajar durante a pandemia?

 

Esta é uma dúvida recorrente e que tem inúmeras respostas, que vão depender do seu destino, da sua nacionalidade etc.

 

Planejando uma viagem para o exterior

 

Por mais óbvio que possa parecer, o ideal é não viajar durante a pandemia e, principalmente, evitar países com transmissão ativa local.

Contudo, nem sempre isso é possível e há casos em que é imperativo viajar para o destino, seja por trabalho ou por problema pessoal.

Neste caso, é fundamental checar junto ao posto consular brasileiro (Representação Consular ou Embaixada com serviços consulares) ou nos sites oficiais do país de destino quais são as medidas recomendadas pelas autoridades de saúde locais.

Além disso, é preciso verificar se o país de destino autoriza a entrada de estrangeiros, já que muitos impuseram restrições devido à pandemia de COVID-19.

 

Planejando a volta para casa

 

Se você já estiver viajando, com certeza, sua maior preocupação será “se”, “como” ou até mesmo  “quando” poderá voltar para casa.

Qualquer que seja a sua situação, a primeira providência a tomar é renovar o seu seguro viagem. Vou partir do princípio de que você contratou este serviço, pois viajar sem ele – principalmente, para o exterior – é um risco enorme!

A renovação do seguro viagem pode ser feita durante a sua estadia no destino – seja ele nacional ou internacional.

Entretanto, leve em consideração que algumas seguradoras estipulam 72 horas de carência antes de você poder utilizar os serviços previstos na apólice. Então, para não correr o risco de ficar sem atendimento, não deixe para renovar seu seguro no último dia.

No caso de contágio pelo coronavírus, as principais seguradoras garantem o primeiro atendimento aos seus segurados. Uma vez confirmada a doença, o segurado ficará aos cuidados dos órgãos médicos locais.

Se você estiver no exterior (como residente ou como turista), você poderá viajar para o Brasil mesmo durante a pandemia. Entretanto, precisará seguir algumas recomendações:

  • Se você esteve em uma área com transmissão local nos últimos 14 dias e apresentar os sintomas da doença (febre, tosse e dificuldade em respirar), deve procurar um médico imediatamente. No atendimento, você deverá fornecer o histórico da sua viagem, como o itinerário e os locais visitados.
  • Se você apresentar quaisquer sintomas respiratórios (ainda que leves), evite o contato com outras pessoas.
  • Logicamente, se você estiver doente, permaneça em casa após o retorno ao Brasil.

 

Cuidados ao viajar durante a pandemia

 

Bem, se viajar durante a pandemia for uma necessidade, ou se você já estiver viajando, há algumas medidas que você pode tomar a fim de diminuir as chances de contágio pelo COVID-19.

Não vou me ater àqueles cuidados básicos de higiene que devem ser tomados por todos, independentemente do local em que estejam (como o uso de máscara, por exemplo!).

Alternativamente, vou focar nos cuidados relacionados às situações de viagem.

 

Transporte

 

Um dos principais problemas durante uma viagem – especialmente nas grandes cidades – é o deslocamento, pois é comum que os transportes públicos estejam lotados.

Talvez uma boa alternativa para viajar durante a pandemia seja alugar um carro, diminuindo assim a exposição. Ou, ainda, valer-se do sistema de carros de aplicativo para pequenas distâncias.

 

Usar máscara [e essencial para viajar em transporte p[ublico durante a pandemia

Créditos da foto: Pixabay.

Outra opção é tentar se locomover fora das horas de pico, para minimizar o contato com outras pessoas.

Finalmente, deslocar-se a pé pode ser uma ótima saída, pois você conseguirá conciliar com exercício ao ar livre.

 

Atrações turísticas

 

Apesar de muitas atrações já estarem novamente abertas ao público – ainda que com algumas restrições – o ideal é evitar aglomerações.

Se for imprescindível para você visitar alguma atração turística, tente fazê-lo perto do horário de abertura ou de fechamento quando, normalmente, elas estão menos movimentadas.

 

Hospedagem

 

Com o aumento do número de restrições e protocolos aplicados em hotéis, talvez o ideal seja buscar uma acomodação em um Airbnb durante a pandemia do COVID-19.

A hospedagem em um apartamento privativo, por exemplo, reduzirá a sua exposição a outros hóspedes e ainda lhe proporcionará mais autonomia durante a hospedagem. Assim como evitará que você tenha que fazer as suas refeições em locais públicos.

 

Como viajar de avião durante a pandemia?

 

Muitas pessoas optaram por não viajar de avião durante a pandemia. Eu fui uma delas. Havia comprado passagens para viajar ao Peru em março e aos Estados Unidos em maio.

Ainda por cima, eu embarcaria para a primeira viagem no dia 30 de março, justamente, no período em que o caos reinou nas companhias aéreas.

Foi um alívio não ter programado a viagem para duas semanas antes pois, do contrário, eu teria engrossado as estatísticas dos brasileiros que tiveram que dormir no aeroporto de Cusco, aguardando um voo que os traria de volta ao nosso país.

A segunda viagem foi cancelada pela companhia pelo menos um mês antes – assim como o cruzeiro que eu faria às Bahamas pela Royal Caribbean.

Enfim, foram vários cancelamentos e providências, que abordarei ainda neste post. Entretanto, se você tiver que viajar de avião, há alguns cuidados que você precisa tomar.

 

Coronavírus e passagens aéreas

 

Ainda que muitas companhias aéreas estejam se comprometendo a fazer a remarcação de voos sem cobrança de multa ou a devolver o valor da passagem, a solução não é assim tão simples.

Afinal, pode ser que a viagem perdida não seja passível de remarcação (um evento profissional ou familiar, por exemplo).

Talvez você também não deseje mais viajar para o destino, ou tenha algum outro impedimento. Neste caso: o que fazer?

Tão complicado quanto não viajar durante a pandemia, foi a minha saga tentando entrar em contato com a companhia área.

Entendo que a gravidade da situação e a grande procura dos passageiros por soluções para os seus casos tenha sobrecarregado os sistemas. Entretanto, algumas empresas pecaram enormemente no pós-venda.

Foi o caso da Latam: passei semanas tentando contato telefônico, aguardando por horas (mesmo, sem exagero!) por um atendimento. Tentei resolver pelo website… nada!

Quando, finalmente, cumpri toda a penitência todo o ritual necessário e optei por solicitar o reembolso, recebi um e-mail da empresa me comunicando que meu voucher (abaixo do valor pago pela passagem!) estava disponível para um voo futuro. Resumindo: a saga continua ainda sem previsão de final feliz.

Contudo, nem tudo foi pelos ares e a história com a American Airlines foi mais tranquila. Poderei remarcar meu voo sem custo e sem alteração de tarifa para o mesmo destino até o final de 2021. Como pretendo manter a viagem, deixei como está.

 

Viajar de avião durante a pandemia é perigoso?

 

Só quem já viajou em classe econômica sabe o sufoco que é tentar manter um espaço mínimo com o(s) passageiro(s) do lado.

Viajar durante a pandemia vai trazer um desafio extra, que é evitar o contágio pelo COVID-19. E aí, é preciso valer-se de todos os cuidados higiênicos e, principalmente, usar a máscara o maior tempo possível.

Baseado nisso, quais cuidados devemos ter para viajar de avião?

 

Viajar durante a pandemia vale a pena?

 

O ideal é o uso da máscara durante todo o voo. Mas, convenhamos, é uma tarefa quase inviável em um voo longo. Afinal, é um desafio ficar sem comer e, principalmente, sem beber água por várias horas.

A higienização constante das mãos também é fundamental e nosso companheiro inseparável em tempos de pandemia de COVID-19, o álcool gel, deve estar sempre ao nosso alcance.

Entretanto, ainda que você cumpra todas as regras, pode ser que seja impossível manter uma distância segura de outros passageiros durante o embarque, o voo e o desembarque. Então, é preciso refletir se a viagem vale o risco no deslocamento.

Aliás, além de todos esses riscos, seu voo ainda pode ser cancelado. Inclusive, minutos antes de seu embarque! Uma situação que já aconteceu comigo e sobre a qual eu escrevi em outro post aqui do blog.

 

É seguro viajar durante a pandemia?

 

Esta é uma daquelas perguntas que a gente torce para ter a reposta que a gente quer ouvir, só que não. Ainda não é seguro viajar e pode ser que ainda demore muito para controlarmos esta epidemia.

Especialmente, porque a cada dia, novos destinos vão sendo infetados por pessoas que vêm de outras localidades, às vezes já sob controle.

Se sua viagem for absolutamente necessária, vá em frente. Mas, se você puder evitar, por mais batida que esteja esta mensagem, fique em casa. Há muitos destinos incríveis a ser visitados e não vale a pena correr o risco por causa de um destino específico, por mais imperdível que ele possa lhe parecer.

 

Devo cancelar a viagem ou devo remarcar?

 

Se você está com uma viagem marcada, certamente, já cogitou o cancelamento. Em princípio, pode parecer mesmo a melhor opção. Contudo, há algumas saídas mais viáveis e, muitas vezes, até mais vantajosas para você.

No meu caso, por exemplo, a Royal Caribbean ofereceu um voucher de 125% do valor do cruzeiro que eu havia adquirido para ser usado até o mês de abril de 2022.

Eu optei pelo cancelamento por motivos pessoais e o valor será estornado em até 120 dias. Entretanto, teria sido um belo desconto para um novo cruzeiro.

Alguns hotéis permitem reserva com uma política de cancelamento bem flexível (sempre que possível, faça uso deste recurso!).

Entretanto, se você fez uma reserva sem cancelamento, entre em contato com a central de reservas e proponha uma remarcação.

Muitas empresas estão adotando esta flexibilização de datas para conciliar a disponibilidade dos clientes e manter sua ocupação.

Por fim, procure buscar sempre uma saída amigável e conciliadora para ambas as partes, já que esta é uma situação atípica para os dois lados: os prestadores de serviço e os turistas.

 

Viajar no pós-pandemia

 

Se viajar durante a pandemia pode parecer uma decisão insana, viajar no pós pandemia vai ser um grande aprendizado. Talvez nosso olhar esteja mudado. Talvez sejam as nossas atitudes.

Eu não gosto de usar a expressão o “novo normal”, pois acho um modismo deselegante e injusto com os que perderam sua fonte de renda, o emprego ou um ente querido. Porém, acho que algumas novas práticas se tornarão requisitos indispensáveis.

Eu, que sempre me preocupava em obter um seguro viagem somente para destinos internacionais, amparada por ter um plano de saúde de abrangência nacional, não me vejo mais fazendo uma viagem dentro do Brasil (principalmente, aérea!) sem ter um seguro viagem.

Outra mudança no planejamento é com relação às reservas de hospedagem. Muitas vezes, para economizar, eu fiz reservas sem direito a cancelamento.

Depois da pandemia de COVID-19, eu percebi que não podemos ter a prepotência de achar que tudo está sob controle e sairá de acordo com o planejado.

Imprevistos acontecem, pessoas morrem, catástrofes assolam o mundo, um novo vírus aparece e todos os planos vão por água abaixo.

É fato que tivemos prejuízos financeiros, sonhos de férias desfeitos, planos frustrados. Contudo, o mais importante e insubstituível ainda está conosco: nossa vida e a possibilidade de planejar viagens futuras.

E que estas novas viagens sejam planejadas com calma e cuidado, para que sejam curtidas com alegria e com segurança para todos.

Que elas comecem pelos destinos mais próximos, para que possam ser realizadas de carro.

Finalmente, que elas privilegiem os destinos nacionais. Afinal, é necessário fomentar a nossa Economia. Além disso, nosso país tem tanta diversidade cultural, tantas paisagens deslumbrantes, que passear por aqui não vai ser nenhum sacrifício.

 

A acomodação perfeita para a sua viagem, você encontra aqui:

Categorias: Dicas de Viagem

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: