Sem Comentários

O lado argentino das cataratas, situado no Parque Nacional Iguazú, é um espetáculo da natureza. Localizado na cidade de Puerto Iguazú (Argentina), é um bate e volta perfeito para quem está hospedado em Foz do Iguaçu. Saiba como visitar este lindo Patrimônio Natural da Humanidade.

 

Quedas dágua no lado argentino das cataratas do Iguaçu.

 

Parque Nacional Iguazú: um pouquinho de história

 

Antes de fornecer as dicas para visitar o lado argentino das cataratas, é importante deixar claro que as Cataratas do Iguaçu, a que nos referimos informalmente, compreende um conjunto de 275 quedas d’água no rio Iguaçu, na bacia hidrográfica do rio Paraná.

Tais cataratas estão localizadas tanto no Parque Nacional do Iguaçu (no estado do Paraná) quanto no Parque Nacional Iguazú (na província de Misiones, na Argentina).

 

Cataratas do Iguaçu – lado brasileiro.

 

Portanto, por mais que tenhamos nossas tradicionais picuinhas com los hermanos, é com eles que temos que dividir este tesouro da natureza!

Justo com nossos vizinhos, cujas disputas nos gramados tantas discussões acaloradas provocam.

Além de compartilhar o inegável tesouro ambiental, dividimos também um prêmio, já que esta incrível área de floresta subtropical localizada entre os dois países recebeu o título de Patrimônio Natural da Humanidade, concedido pela UNESCO.

Bem, posso dizer que no quesito prêmio, o título saiu primeiro para o lado brasileiro, uma vez que a Unesco nos concedeu a honraria em 1984. O título para o lado argentino, entretanto, saiu dois anos depois.

Brincadeiras à parte, o que importa é que tanto do lado de cá, quanto do lado de lá, há uma grande preocupação em se preservar a fauna e a flora da região.

E independentemente do lado da fronteira em que se encontrem, as cataratas são fantásticas.

 

Lado argentino das cataratas do Iguaçu.

Lado argentino das cataratas do Iguaçu.

 

Enquanto o Parque Nacional Iguazú foi inaugurado em 1934,  o Parque Nacional do Iguaçu foi inaugurado somente cinco anos depois da criação do parque argentino.

Porém, no ano de 2011 as Cataratas do Iguaçu (ou del Iguazú, você decide) passaram a ser consideradas uma das Novas Maravilhas Naturais do Mundo, o que por si só já vale uma visita à região.

 

Cataratas do Iguaçu: Brasil ou Argentina?

 

Já vou dar um spoiler e dizer que, apesar de o lado brasileiro ganhar disparado em muitos aspectos, eu curti muito mais o lado argentino das cataratas.

Também já aproveito pra afirmar que não dá para escolher apenas um dos parques para visitar. Você tem que conhecer os dois.

As propostas são muito diferentes e se você optar por visitar apenas um dos lados, vai deixar de viver experiências incríveis.

Visitei os dois parques em dois momentos distintos mantendo, contudo, a mesma sequência: visitar o lado argentino no dia subsequente à visita ao lado brasileiro.

A primeira vez em que estive em Foz do Iguaçu (novembro de 2017), peguei os parques em pleno final de primavera.

Nesta última vez (agosto de 2019) visitei os parques durante o inverno. Honestamente, foi bem interessante percorrê-los em estações bem distintas.

Além disso, uma segunda visita serviu para reafirmar a minha opinião a respeito de cada um deles.

 

 

Principais diferenças entre o lado argentino e o brasileiro das cataratas

 

Como expliquei anteriormente, os dois lados das Cataratas do Iguaçu tem suas peculiaridades.

 

Infraestrutura

 

Em termos de infraestrutura, o lado brasileiro ganha disparado. Eu fiz um outro post com todos os detalhes sobre o lado brasileiro mas, basicamente, o Parque Nacional Iguaçu oferece um acesso muito mais confortável às cataratas.

O fato de haver um ônibus para fazer o percurso da entrada do parque até a área de visitação já é, certamente, um item de comodidade, pois garante uma visita sem esforço.

 

 

A questão da acessibilidade é total, pois o lado brasileiro possui, inclusive, um elevador de acesso à passarela que proporciona a visão mais abrangente das cataratas.

 

Passarela no lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu na época quente e úmida.

Passarela no lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu na época quente e úmida.

 

Passarela no lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu na época seca e fresca.

Passarela no lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu na época seca e fresca.

Além disso, possui uma única trilha panorâmica, que é asfaltada e quase sem desníveis.

 

 

Ecoturismo

 

Enquanto o parque brasileiro oferece apenas uma trilha panorâmica com 1.2km de extensão (incluída no valor do ingresso), no lado argentino das cataratas você terá três circuitos principais para percorrer.

Além disso, o Parque Nacional Iguazú concentra um número muito maior de quedas d’água, o que torna o passeio ainda mais bonito e interessante.

 

Quedas d'água no lado argentino das cataratas do Iguaçu.

 

Finalmente, no lado argentino, você terá um passeio mais “roots”, com caminhadas mais longas e com um gostinho de selva, mesmo (sem ter que desembolsar nada a mais por isso).

Por outro lado, no parque brasileiro, todas as trilhas exigem um tour pago à parte (com exceção da principal).

Os dois lados das cataratas oferecem um passeio náutico, com o objetivo de levar você bem próximo das quedas d’água.

Porém, eu só pude conferir o Macuco Safari, disponível do lado brasileiro. O Passeio Náutico, disponível no lado argentino das cataratas, infelizmente, não tive a oportunidade de fazer.

 

Macuco Safari no lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu

Macuco Safari no lado brasileiro das cataratas.

 

 

Atrações do lado argentino das cataratas

 

Os 67.720 hectares do Parque Nacional Iguazú abrigam inúmeras atrações, com destaque para os três circuitos principais, que consistem em trilhas panorâmicas com vistas deslumbrantes para as cataratas.

 

Circuito Superior

 

Com a entrada localizada a apenas 300 metros da estação intermediária Cataratas, o Circuito Superior possui 1.7km de extensão, incluindo os trechos de ida e volta.

Como o nome já esclarece, é a trilha que proporciona a visão das cataratas vistas de cima. É um circuito bastante tranquilo, pois é todo plano e sem escadarias

Ao longo do caminho, é possível apreciar trechos de natureza exuberante, com rica vegetação e com vários pássaros, o que encanta ainda mais os visitantes.

 

 

Circuito Inferior

 

Com a entrada localizada a 500 metros da estação intermediária Cataratas, o Circuito Inferior exige um pouco mais de condicionamento, pois apresenta alguns pontos de desníveis.

 

 

Por outro lado, a visão que ele proporciona é belíssima, pois está localizado na base das cachoeiras. É impressionante conferir a força e a abundância das quedas d’água.

É no Circuito Inferior que está localizado o acesso à plataforma de embarque para o Passeio Náutico ou para o Grand Aventura (uma versão mais completa do tour de barco).

 

Passeio Náutico no lado argentino das cataratas do Iguaçu.

Passeio Náutico no lado argentino das cataratas.

 

Circuito Garganta do Diabo

 

O mais afastado do centro de visitantes, o Circuito Garganta do Diabo é, também, o que tem a trilha mais longa: são 2.2km de extensão, considerando-se os trechos de ida e volta.

A maioria do percurso é feita sobre passarelas suspensas sobre o rio Iguaçu. De maneira que é impressionante você saber que está atravessando o rio com todo o conforto e segurança e, ao mesmo tempo, com um visual incrível que, volta e meia, traz até um arco-íris para completar a paisagem.

 

 

Ao final do percurso, encontra-se um mirante do qual se pode apreciar a majestosa Garganta do Diabo.

É, realmente, uma experiência como poucas na vida! E o mais impressionante é que, mesmo que você já tenha visitado o parque, o fascínio e o deslumbramento se mantém.

Uma curiosidade: a primeira vez que estive do lado argentino das cataratas, o nível das águas estava muito mais alto e eu fiquei completamente ensopada. Tanto é que, mesmo com a GoPro, as fotos ficaram todas distorcidas!

Desta última vez (na época mais “seca”) fui toda paramentada para tomar “aquele banho” e saí quase seca do mirante.

Então, se você faz questão de ver o nível das águas das cataratas em sua capacidade máxima, prefira os meses mais quentes do ano para realizar a sua visita, o que normalmente ocorre entre dezembro e janeiro.

 

Trem Ecológico da Selva

 

O Trem Ecológico da Selva é meio utilizado para facilitar o acesso às diferentes regiões do parque.

Com saídas a cada 30 minutos e com três estações de embarque-desembarque, o trenzinho conecta a entrada do parque à estação final (Garganta do Diabo), passando pela estação intermediária das Cataratas.

 

Estação de trem no lado argentino das cataratas do Iguaçu

 

Da estação das Cataratas, saem dois circuitos de caminhada: o Circuito Superior e o Circuito Inferior.

A estação Garganta do Diabo leva à cachoeira mais imponente e abundante do parque, de onde se tem a vista mais espectacular de todo o Parque Nacional Iguazú.

 

 

Parque Nacional Iguazú: como planejar a visita para o lado argentino das cataratas?

 

Primeiramente, é preciso reservar um dia inteiro para conhecer o lado argentino. Isto porque, apesar de o Parque Nacional Iguazú ser menor do que o parque brasileiro (em termos de área, em geral), ele tem muito mais trilhas a oferecer aos visitantes.

Além disso, é importante considerar que o deslocamento será mais longo e demorado. Portanto, o ideal é começar o dia bem cedo, a fim de estar na portaria do parque tão logo ele seja aberto.

Outra questão prática é com relação aos pagamentos: tanto para adquirir os ingressos, quanto para os gastos dentro do parque.

O ideal é ter pesos argentinos, já que nem sempre será possível usar cartões de crédito e débito.

E, finalmente, com relação à documentação: para passar pela fronteira, é necessário portar o passaporte ou o documento de identidade, já que a habilitação não é aceita.

 

Posto de fronteira entre o Brasil e a Argentina.

 

Como chegar ao Parque Nacional Iguazú?

 

O Parque Nacional Iguazú está localizado ao norte da Província de Misiones, na cidade argentina de Puerto Iguazú, a cerca de 25 quilômetros do centro de Foz do Iguaçu.

 

Carro

 

Caso você esteja com carro particular ou alugado, há estacionamento para visitantes no Parque Nacional Iguazú.

Contudo, é necessário pagar à parte o custo de AR$ 170,00 (cerca de R$12,00 – valores de agosto de 2019).

 

Transporte público para o lado argentino das cataratas

 

Existem ônibus internacionais a partir do centro de Foz do Iguaçu que levam até a Rodoviária de Puerto Iguazú. O ponto de partida encontra-se ao lado do Terminal de Transporte Urbano Pedro Antônio de Nadai (TTU).

Já em Puerto Iguazú, é necessário pegar um outro ônibus ou um táxi para o Parque Nacional Iguazú

A linha local (Rio Uruguay) tem saídas a cada 20 minutos. É preciso ter em mente, contudo, que é necessário portar pesos argentinos para pagar pelo transporte.

 

Táxi

 

Caso você opte por utilizar um serviço de táxi, o ideal é combinar o preço antecipadamente e já programar com o motorista o transporte de volta a Foz do Iguaçu.

Na primeira vez que visitei o lado argentino das cataratas, eu estava aguardando o ônibus internacional ao lado do Terminal de Transporte Urbano, juntamente com o meu marido e um casal de alemães, quando fomos abordados por um motorista de táxi.

Ele sugeriu racharmos o valor do transporte para chegar ao parque argentino com ele. Sentimos confiança em aceitar o serviço e fomos até o parque sem a menor complicação.

Combinamos, também, um horário de retorno, que ocorreu sem transtornos. Porém, esta não é a situação ideal. O mais seguro é contratar este tipo de serviço com o auxílio do pessoal do hotel.

 

Transporte em ônibus ou vans de turismo para o lado argentino das cataratas

 

Várias empresas de turismo receptivo oferecem serviços de transporte para o lado argentino das cataratas.

Além disso, o serviço ,normalmente, inclui o pick-up e o drop-off no hotel, o que acaba sendo bastante conveniente.

Na segunda visita que fiz a Foz do Iguaçu, fui acompanhada do meu marido, do meu filho e a namorada. Utilizamos o Transflix, um sistema de transporte para as principais atrações turísticas da região, oferecido pela Loumar Turismo.

De modo que o deslocamento para o lado argentino das cataratas ocorreu em um confortável ônibus. Tivemos ainda a vantagem de contar com um guia da empresa, que facilitou nosso acesso ao parque e que nos deu todas as instruções para aproveitar ao máximo a visita.

 

Tour guiado com transporte de ida e volta para o lado argentino das cataratas

 

Várias empresas de turismo receptivo oferecem este serviço. A vantagem é ter a sua visita toda organizada por alguém experiente.

Porém, a desvantagem é que o passeio fica “engessado”, submetendo você ao ritmo de um grupo, que pode ser bastante heterogêneo.

Basicamente, nós passamos pelo lado bom desta experiência, pois tivemos toda a assessoria do guia da Loumar Turismo durante a visita ao lado argentino das cataratas.

Não vimos desvantagem no serviço oferecido, pois tivemos uma certa flexibilidade de ritmo e liberdade para visitar o parque por nossa conta.

Além disso, o tempo de permanência no mesmo foi adequado às nossas expectativas.

 

Como comprar ingressos para o Parque Nacional Iguazú?

 

Os ingressos para visitar o lado argentino das cataratas podem ser comprados antecipadamente pelo site do Parque Nacional do Iguazú.

Os preços dos ingressos variam de acordo com a nacionalidade e o país de residência dos visitantes. Portanto, para valores correspondentes e atualizados, é sempre bom conferir o site oficial da atração.

A título de referência, como moradores do Mercosul, eu e meu marido pagamos a tarifa de AR$640,00 cada (cerca de R$45,00 – valores de agosto de 2019).

Para turistas internacionais, em geral, o valor é de AR$800,00 (preço integral).

Caso você resolva adquirir seu ingresso na bilheteria do parque, o mais seguro é levar pesos argentinos para a compra, pois como o parque tem problemas com o sinal de internet e, muitas vezes, as máquinas de cartão de crédito não funcionam.

 

Quando visitar o lado argentino das cataratas?

 

É importante ter em mente que as Cataratas do Iguaçu estão inseridas em uma área de floresta tropical, o que implica em chuvas frequentes e alta umidade do ar. De maneira que pode-se esperar por chuvas o ano todo.

Entretanto, pode-se dizer que há duas estações predominantes na região. A quente e úmida, que se estende de outubro a março; e a seca e fresca, que vai de maio a setembro.

Estive na região nas duas ocasiões e, particularmente, prefiro a seca e fresca. Apesar de que o volume das águas é maior na primeira.

De qualquer forma, acho que uma visita às cataratas é sempre bela e surpreendente, qualquer que seja a época do ano.

 

Quanto tempo é o ideal para visitar as Cataratas do Iguaçu?

 

Para o lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu, metade de um dia é o suficiente, caso você não faça nenhum passeio adicional.

Para o lado argentino das cataratas, entretanto, é necessário pelo menos um dia inteiro para você aproveitar bem o parque.

Mesmo assim, é bem corrido, se você quiser fazer os três circuitos principais disponíveis no parque.

Sem dúvida, um único dia é insuficiente para acrescentar atividades complementares à sua visita. O ideal, de fato, é reservar dois dias para o lado argentino das cataratas.

Assim, num primeiro dia você faz os circuitos principais e, no segundo dia, você faz o Passeio Náutico e a Trilha Macuco, por exemplo.

Talvez por essa razão, o Parque Nacional Iguazú ofereça 50% de desconto para quem quiser visitá-lo novamente no segundo dia consecutivo. Para isto, basta validar o ingresso na bilheteria ao final da primeira visita.

 

Referências

 

 

A acomodação perfeita para a sua viagem, você encontra aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *