Sem Comentários

O Castelinho Caracol é muito mais do que uma das lindas atrações de Canela, na Serra Gaúcha. Sabe aquela fofura de lugar, que dá vontade de você ficar ali para sempre? Esta é a cena que você vai encontrar, assim que chegar à bela propriedade.

Para completar o cenário, você vai se guiar pelo aroma de torta de maçã – que você sente mesmo antes de cruzar a soleira da porta.

Talvez você até chegue a crer que vai dar de cara com a Branca de Neve em pessoa, de tão mágico que é o lugar!

Bem, esta pode ser apenas a minha imaginação romântica. Ou pode ser que o Castelinho Caracol tenha sido mesmo inspirado em um de contos de fadas.

Fachada lateral do Castelinho Caracol.

Aliás, que eu amo castelos não é novidade para quem acompanha o Turista FullTime. Só de ouvir a palavra, eu já fico emocionada!

Já “tiquei” dezenas de castelos pela Europa, como eu já contei em um post aqui do blog. De maneira que visitar o Castelinho Caracol foi um ritual que eu segui as quatro vezes que estive em Canela.

E que pretendo continuar seguindo. Sobretudo, porque é lá que se encontra o apfelstrudel mais famoso da região!

A História do Castelinho Caracol

O casarão, que hoje funciona como uma casa de chá e museu, já foi o lar de uma família numerosa de imigrantes alemães.

Uma das primeiras construções erguidas na cidade de Canela, o Castelinho Caracol foi idealizado pelo casal Pedro Carlos Franzen e Luiza Sommer, que ali viveu por muitos anos com seus seis filhos.

Construído em madeira de araucária, pinheiro típico da região, e com um sistema sofisticado de encaixes e parafusos (sem uso o uso de pregos), o Castelinho Caracol é um exemplo de arquitetura e charme.

Entrada principal do Castelinho Caracol.

Minha querida amiga Julia Sampaio, do blog Fora da Toca, posando de “Branca de Neve” no background! 🙂

Um fato curioso é que toda a madeira usada na execução do Castelinho Caracol ficou mergulhada por seis meses nas águas do Arroio Caracol.

Tal tratamento biológico de imersão garantiria a qualidade e a durabilidade da construção.

Somente depois de serrada e seca, naturalmente e à sombra, é que toda a madeira foi usada. Talvez seja por isso que o Castelinho Caracol tenha até hoje suas paredes originais e intactas.

Os lindos aposentos do Castelinho Caracol

Seus dezoito cômodos, distribuídos em dois andares, encantam pela decoração, composta por móveis originais e muitos objetos e utensílios de uso pessoal da família Franzen.

Desde que o Castelinho Caracol foi transformado em um museu, no ano de 1985, seus cômodos estão abertos à visitação (com exceção da cozinha).

O andar térreo

No andar térreo, encontram-se as áreas de uso comum da família. A sala de jantar é lindamente decorada e parece, mesmo, estar preparada para uma refeição especial.

A sala de música e escritório ainda guarda os instrumentos usados pelos filhos da família.

Sala de música do Castelinho Caracol

Os dormitórios e o banheiro demonstram, claramente, os hábitos e o estilo de vida das primeiras décadas do século XX.

Quarto do casal da família Franzen no Castelinho Caracol.

E a cozinha, ainda em pleno funcionamento e com seus elementos originais faz, de fato, com que você se sinta em algum lugar do passado.

É lá que as funcionárias preparam as deliciosas tortas de maçã, com a receita da família Franzen, que vem sendo passada para os descendentes há cinco gerações.

O andar superior

No andar de cima, estão dispostos os cômodos que possuíam uma função mais prática no dia a dia da família Franzen.

De modo que ali podemos conferir, como se ainda estivessem em uso:

A sala de costura, onde mãe e filhas dedicavam-se a pequenos reparos e à confecção de roupas utilizadas no cotidiano.

O cômodo que funcionava como um misto de despensa e que armazenava tanto ferramentas quanto os utensílios domésticos.

O quarto de hóspedes, pois em tempos em que os deslocamentos eram longos e difíceis, a família oferecia abrigo aos visitantes, depois de um dia exaustivo de cavalgada, por exemplo.

E a torre, um cômodo com um amplo janelão e uma vista maravilhosa para o vale. Sem contar que é ela que dá o ar “casteludo” à bela construção.

Informações práticas para visitar o Castelinho Caracol

Localização

O Castelinho Caracol está localizado a cerca de seis quilômetros do centro de Canela, na Estrada do Caracol, Km 03 sem número.

Apesar de ter um endereço meio “solto” pelo conceito de quem mora em “cidade grande”, chegar até lá é bem descomplicado.

Créditos da foto: mapa utilizado no site oficial da atração.

Aliás, ele fica na mesma estrada que leva ao Parque do Caracol. De maneira que conciliar os dois pontos turísticos é uma ótima opção.

Além disso, os dois atrativos fazem parte do itinerário do Bustour, o transporte oferecido pela empresa de receptivo Brocker Turismo e sobre o qual eu já falei em outro post aqui do blog.

Infraestrutura

O Castelinho do Caracol conta com uma boa infraestrutura para receber os visitantes. Além da bela casa de chá que funciona no andar térreo (onde outrora era a sala de estar da família) há também uma lojinha com itens variados.

Os maravilhosos relógios que enfeitam a Casa de Chá estão todos à venda!

A recepção fica logo no hall de entrada da casa e é ali que você vai comprar o ingresso para acessar tanto a casa de chá quanto o museu.

Importante ressaltar que, mesmo que você só queira acessar a casa de chá, terá que comprar o ingresso, impreterivelmente.

Há estacionamento amplo e gratuito para os visitantes.

Funcionamento

O Castelinho Caracol funciona todos os dias, sempre das 09:00 às 13:00 e das 14:20 às 17:30.

Ingressos

Os ingressos custam R$10,00 e devem ser pagos em dinheiro na entrada do Castelinho Caracol.

Crianças até 10 anos acompanhadas dos pais têm acesso gratuito. Idosos acima de 60 anos pagam meia entrada.

Contato

Para preços atualizados e outras dúvidas, você pode entrar em contato com o Castelinho Caracol através do e-mail museu@castelinhocaracol.com.br ou por telefone (54)3278-3208.

Dicas quentes do Turista FullTime

Não deixe de provar o apfelstrudel! Honestamente, eu não sou muito fã de tortas de maçã, mas acho a receita do Castelinhdo Caracol maravilhosa!

O apfelstrudel tem duas opções de acompanhamento: a tradicional nata (creme de leite fresco) ou uma bola de sorvete de creme.

Aposte na primeira opção. Afinal, nata verdadeira não se vê em qualquer lugar. Enquanto que uma bola de sorvete de creme é o complemento de inúmeras sobremesas.

Outra dica de gulosa de plantão: eu sou louca por café, mas o melhor acompanhamento para o apfestrudel do Castelinho Caracol é um bom chocolate quente.

Agradecimentos

A visita ao Castelinho Caracol fez parte do roteiro da primeira viagem do projeto Mulheres Mundo Afora, em que blogueiras de diferentes idades e estilos de vida se reúnem para conhecer um determinado destino.

O projeto contou com o apoio da Secretaria de Turismo de Canela, do nosso parceiro comercial Passagens Promo e de empresários da região da Serra Gaúcha.

Importante ressaltar que, apesar da cortesia, todas as impressões e opiniões expressam, genuinamente, a minha experiência.

Outros olhares

Confira, também, as impressões das outras blogueiras que participaram desta experiência:

Olívia Souza Cruz – Olívia Garimpando Por Aí (idealizadora do projeto)

Julia Sampaio – Fora da Toca

Denise Barreto – Chicas Lokas na Estrada

Daniela Cascardo – Viajando com Daniela Cascardo

Ana Morize – Viagens Bacanas

A acomodação perfeita para a sua viagem, você encontra aqui:

Compre seus ingressos em Português e sem complicação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: