7 Comentários
Anteontem fui visitar o Keukenhof, o maior parque florido da Holanda. Já falei muito sobre ele aqui no blog, inclusive, explicando o passo a passo para a visita. O lugar não era novidade, pois já havia visitado em 2014 e 2015. Ainda assim, não deixou de ser surpreendente e encantador.
Já cheguei ao parque com meu bilhete em mãos, que havia adquirido do meu parceiro Ticketbar. Aliás, sugiro que você faça o mesmo, pois você ganha tempo na chegada. E comprando pelo link do Turista FullTime, você ajuda a manter o blog, já que as parcerias são o único retorno financeiro que eu tenho.
O preço é o mesmo que comprando na porta, mas com a facilidade de comprar seu ingresso em Português, uma vez que o site oficial só oferece opções em Inglês ou Holandês. E comprando pelo link do blog, você ainda poderá contar com a assistência que precisar para que sua visita ao parque seja só alegria!

Usando transporte público para chegar  ao Keukenhof

Resolvi ir de transporte público a fim de poder verificar como funcionava e poder compartilhar com você. Saí de Leiden Centraal (sim, Centraal é com AA, mesmo!), mas você poderá optar por Amsterdam Centraal, Haarlem ou Schiphol (o aeroporto). Escolhi Leiden pois era o mais perto para mim, já que moro em Haia.

É muito fácil achar o local de embarque em Leiden. A estação tem duas saídas opostas. Você precisa sair pela que indica “Centrum” (que leva ao centro da cidade). Não tem como errar: é a saída onde fica o Starbucks.

Uma vez do lado de fora, à sua direita, você encontrará o ponto do ônibus. Haverá pessoas no local para organizar a fila. Embarque sem medo: só há uma parada, que é bem na entrada principal do Keukenhof.

Aqui vai um detalhe importante: quando você for comprar o seu ingresso on-line pelo site oficial do evento, poderá optar por um tíquete combinado, que funciona da seguinte forma: ônibus + entrada para o parque. Sai mais barato do que pagando um a um.  O ingresso não tem data específica, então, se você tem uma agenda flexível, pode escolher o dia que for mais conveniente para ir até lá.

Para pegar o ônibus para o Keukenhof, você precisa estar com o tíquete combinado (ônibus+parque) ou ter um OV chipkaart. Não há como pagar diretamente ao motorista.

 Muito bem: chegando ao parque, tíquete em mãos, pode ir direto para o portal. Mesmo que a fila esteja grande, vai andar bem rápido, pois há vários funcionários escaneando as entradas.

Não subestime nem os dias de semana. Era uma segunda-feira quando fui e o parque estava lotado. Como o parque abre às 8:00, se você quiser menos fluxo de gente pra lá e pra cá, chegue cedo. Se quiser aproveitar o dia com mais sol e temperaturas mais quentes, vá mais tarde. O parque fica aberto até às 19:30 e nesta época do ano, o sol se põe depois de 20:00. Uma delícia!

Eu cheguei perto de meio-dia e achei o horário ideal para quem quer curtir um solzinho. O parque estava cheio, sim, mas não tinha muvuca. Alguns lugares eram mais concorridos e tirar fotos em determinados “cenários” podia exigir um pouco de paciência, mas ali ninguém tinha motivo para ficar estressado, afinal, era passeio…

E que passeio delicioso! Fui sozinha, com o objetivo de registrar aspectos práticos. Normalmente, vou acompanhada. Mas sabe que foi divertido mesmo assim? A desvantagem foi não ter um “olho amigo” para eu aparecer bem nas fotos. Tive que apelar pras “selfies“! Tirei mais de duzentas fotos, comi coisas aleatórias, visitei os pavilhões, sentei ao sol para curtir o ambiente. Foram horas de puro deleite. Nessas horas, me pergunto: blogueiro trabalha se divertindo ou se diverte trabalhando???

Não cheguei à conclusão. Só sei que é “bão”!

 Ah, os pavilhões…

O pavilhão Oranje Nassau apresenta o tema do Keukenhof 2016, “The Golden Age” (A Era do Ouro), com enfoque nos pintores holandeses do período. Destaque para “The Night Watch” de Rembrandt e “The Milkmaid” de Vermeer, ambos disputadíssimos para fotos…

Do lado de fora do pavilhão, o enorme mosaico, também com o tema do ano. Assim como no ano passado, minha visita foi um pouco precipitada e ele ainda não está tão florido… quem sabe daqui duas semanas, quando pretendo voltar?

O pavilhão Willem-Alexander está bem bonito este ano, também…
Como sempre, apresenta variedades de tulipas de todas as cores e tamanhos.

Cada uma mais linda do que a outra… Impossível eleger a mais bela!

O pavilhão Beatrix foi o meu preferido. Está maravilhoso, com uma decoração a base de orquídeas e antúrios de deixar qualquer um boquiaberto! Isso sem contar os modelitos espetaculares dos manequins! Achei os vestidos dos manequins um charme puro. Lembrei na hora da exposição Catwalk no Rijksmuseum, sobre a qual já escrevi (e que pode ser conferida até o dia 16 de maio). Fiquei me perguntando se não seria uma forma de dialogar com os diferentes tipos de arte…

Não acredito que seja uma coincidência, mas pode ser tudo fruto da minha imaginação inquieta…

Fiquei no parque cerca de quatro horas. Desta vez, consegui reparar bastante na questão da acessibilidade. Havia dezenas de pessoas portadoras de alguma necessidade especial ou, simplesmente, com dificuldades de locomoção. Elas trafegavam sem problemas por todos os lugares do parque, inclusive nos pavilhões. Todas as trilhas do parque são planas e bem niveladas.

Outra questão interessante, foi a presença de cachorros de todas as raças e tamanhos. Não levei minha cachorrinha este ano, pois estava sozinha e não seria possível entrar com ela nos pavilhões, mas os caninos estavam lá… às pencas e na maior felicidade do mundo!
A criançada também estava curtindo: a área com brinquedos estava movimentada e a fazendinha, com galos, pavão, lhamas e outros bichinhos estava concorridíssima. É possível, inclusive, entrar no cercado e tirar fotos com os bichinhos.

Chegada a hora de ir embora, foi super simples pegar o ônibus de volta para Leiden Centraal. Havia fila, mas tudo transcorreu sem problemas. A fila para ir para Schiphol era bem maior, mas os ônibus passavam em intervalos menores.
Enfim, se você estiver por aqui até o dia 16 de maio, vale a pena uma visita ao parque. Se você pensa em visitar a Holanda um dia, tente planejar sua vinda no período em que ele fica aberto. O Keukenhof é um cartão-postal da Holanda. Ouso dizer que é um dos mais bonitos e, certamente, o mais cheiroso e colorido.

7 thoughts on “Visitando o Keukenhof 2016”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

< ?php include_once("analyticstracking.php") ?>