Sem Comentários

Um roteiro de 1 dia em Sintra é a opção mais viável para quem tem pouco tempo e quer fazer um bate e volta a partir de Lisboa. Castelo, palácios, mansões, trilhas pela Serra de Sintra e delícias gastronômicas fazem parte dos atrativos do lugar.

Uma visita a Sintra é, certamente, a chance de passear por vários momentos da História da humanidade e de absorver influências de diferentes culturas.

A pacata vila, que já foi alvo de disputas seculares entre mouros e cristãos, oferece diferentes estilos arquitetônicos em meio à natureza exuberante da Serra de Sintra.

Um pouquinho de Sintra

A vila de Sintra está localizada a pouco menos de 30 quilômetros de Lisboa.

Curiosamente, e apesar de ser a sede do segundo município mais populoso de Portugal, a vila de Sintra recusa-se a ser elevada à categoria de cidade.

Não sou conhecedora do assunto, mas devo crer que seja devido a questões culturais relacionadas à riqueza de sua História.

De qualquer forma, para nós, turistas, o que importa é a atmosfera e o legado cultural do lugar.

Com seus 27 mil habitantes, a vila de Sintra é visita imperdível para quem está nas imediações de Lisboa.

A História de Sintra é bem antiga. Pesquisas arqueológicas provam que já havia ocupação entre os séculos X e VIII a.C.

Relíquias e utensílios pré-históricos, expostos no Museu Municipal, atestam o fato.

Entretanto, foi a partir do século VIII d.C., com a ocupação dos povos árabes na Península Ibérica, que Sintra passou a ser alvo de disputas e conquistas.

Como chegar a Sintra partindo de Lisboa?

A maneira mais prática e econômica para ir de Lisboa a Sintra é usando o transporte público.

Comboios (trens) são melhores do que autocarros (ônibus) para fazer o trecho Lisboa-Sintra.

Os ônibus têm rotas mais longas e demoradas. Os trens, em contrapartida, vão direto e são extremamente confiáveis.

Há três estações na capital, de onde partem os trens para Sintra: a estação do Oriente, a estação de Entrecampos e a estação do Rossio.

Para quem está na área mais central de Lisboa, como era o meu caso, a melhor alternativa é a estação do Rossio.

Nos dias de semana, há trens a cada 20 minutos, em média. Nos finais de semana, pode haver menos opções de horário.

Como  estas informações podem variar de acordo com a época do ano e o período do dia, o ideal é sempre checar o site oficial para  obter a informação mais atual.

O deslocamento entre Lisboa e Sintra pode durar entre 30 e 40 minutos. Os trens já estão na plataforma uns 15 minutos antes do horário previsto para a partida.

Convém chegar com antecedência, se quiser garantir um lugar para sentar. Pelo menos no dia em que usei o transporte, os trens saíram lotados nos dois sentidos.

A passagem de ida e volta custou €5,00 (valor de maio – 2018) e a compra foi simples e rápida no guichê de vendas da própria estação.

Como se locomover em Sintra?

Apesar de a área turística de Sintra não ser muito grande e os pontos turísticos estarem, relativamente, próximos uns dos outros, percorrê-la a pé pode ser cansativo.

Isso devido ao fato de a estação de trem não estar tão próxima do centrinho histórico da cidade e pelo fato de algumas atrações exigirem uma caminhada íngreme.

Estação ferroviária de Sintra.

Há diversas possibilidades para visitar os principais pontos turísticos. Eu optei pelo ônibus 434, pois achei a opção com melhor custo-benefício.

O ônibus 434 da companhia Scotturb tem um itinerário turístico com paradas em três pontos de interesse: o centro histórico, o Castelo dos Mouros e o Palácio da Pena.

Os bilhetes podem ser comprados diretamente com o motorista e custam €6,50 (valores de maio – 2018).

O que visitar em Sintra?

Uma coisa é certa: um roteiro de 1 dia só vai permitir uma pincelada nas múltiplas possibilidades culturais de Sintra.

A não ser que você chegue muito cedo, ou que conheça tudo correndo.

Se quiser desfrutar com tranquilidade, conseguirá cobrir apenas alguns dos inúmeros pontos turísticos.

Como eu já imaginava que seria inviável conhecer tudo, selecionei apenas duas das atrações, a fim de usar o restante do tempo para curtir o astral da vila de Sintra.

Assim, a escolha de usar o ônibus 434 foi perfeita, pois pude usar as três paradas para conhecer os pontos que havia selecionado: o Castelo dos Mouros, o Parque e Palácio da Pena e o Centro Histórico da vila.

Castelo dos Mouros

Castelo dos Mouros é o nome popular do Castelo de Sintra, construído no século X por povos muçulmanos para ser uma fortaleza.

Foi erguido sobre um maciço rochoso, em um dos cumes da Serra da Sintra. Do alto de sua edificação, tem-se uma linda vista de Sintra e que se estende até o Oceano Atlântico.

Parque e Palácio da Pena

Certamente, um dos palácios mais lindos e coloridos que já visitei na vida.

Apesar de ser um palácio relativamente moderno (datando do século XIX), o que o faz tão especial é o fato de que ele foi construído aproveitando-se um antigo convento desativado.

Percorrer seus lindos aposentos é uma maneira de reviver o passado e conferir os hábitos da realeza de Portugal.

Além disso, o palácio está situado em um parque de extrema beleza. Não é à toa que foi classificado como Monumento Nacional em 1910 ed como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO em 1995.

Centro histórico de Sintra

O centro da vila de Sintra é um charme só. Além do Palácio Nacional e da Câmara Municipal, ali encontram-se lojinhas com quitutes e artigos tradicionais.

Uma parada para comer o famoso travesseiro de Sintra é quase que obrigatória. A Piriquita faz a alegria dos brasileiros (com o perdão do trocadilho!).

Conhecida loja de doces, a Piriquita funciona ali desde 1862 e atrai muito marmanjo, que para ali só pra tirar uma foto com a placa do estabelecimento.

Mas, brincadeiras à parte, os travesseiros de Sintra são mesmo deliciosos e combinam super bem com um cafezinho. Uma pausa merecida, depois das andanças pelos pontos turísticos.

Outras atrações de Sintra

Como mencionei no início deste post, Sintra tem um acervo cultural gigantesco. Desde castelo em ruínas, passando por palácios praticamente intocados, imponentes residências e até construções religiosas.

Não é para menos. Além de ter sido foi ocupada por povos muçulmanos, Sintra foi, principalmente no séculos XVIII, o local favorito da nobreza portuguesa.

Gostaria muito de ter conhecido, também, a Quinta da Regaleira e o Palácio Nacional e Jardins de Queluz. Infelizmente, não foi possível.

Agora, se você tiver mais tempo, ou mesmo se for se hospedar na cidade, acho que vale a pena conferir os principais pontos turísticos, entre eles o Convento dos Capuchos e o Palácio de Monserrate. Eu, vou ter que deixar pra próxima visita!

A acomodação perfeita para a sua viagem, você encontra aqui:

Compre seus ingressos em Português e sem complicação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: