Sem Comentários

O Rio de Janeiro tem muitos outros encantos, que vão além de suas famosas e belas praias. O difícil é você querer ficar longe delas, pra poder conhecer um pouco mais dos outros atrativos da Cidade Maravilhosa. Assim, o Rio Full Day, um tour de um dia inteiro, é a melhor pedida pra você visitar várias atrações turísticas de uma tacada só.

Aí, você pode usar o restante da sua estadia pra curtir os lindos dias de sol que são presença constante por aqui!

Rio de Janeiro: vale a pena pegar uma excursão?

Eu já falei sobre o tema, quando postei sobre um bate e volta que fiz a Petrópolis em uma excursão. Sei também que, assim como os cruzeiros, passeios em grupos grandes dividem opiniões. Uns amam, alguns aturam, outros detestam.

Eu diria que em determinadas situações, e para algumas pessoas, eles são a melhor solução. Ainda que possam ter algumas desvantagens. Dependendo da cidade ou do roteiro, as vantagens ganham de longe!

Um tour de dia inteiro no Rio de Janeiro é um exemplo perfeito de otimização de tempo em uma cidade conhecida pelo trânsito intenso e bem caótico. Ainda mais para quem não está acostumado a dirigir por aqui.

Rio Full Day: o melhor do Rio em um único dia

Como o próprio nome já deixa claro, o Rio Full Day é um tour de dia inteiro. A convite da empresa Rio Line, fui conferir a programação, que inclui os dois principais pontos turísticos do Rio de Janeiro: o Corcovado e o Pão de Açúcar. E, de quebra, outros pontos de interesse de que todo mundo já ouviu falar.

Morro do Corcovado: a chance de conferir um show de paisagem!

Acredite: apesar de o tour durar cerca de 8 horas, você não vai chegar à exaustão. E no final do dia, terá aquela sensação de que viu tudo… e mais um pouco.

Pick-up e drop-off no hotel

Se estes termos não lhe são familiares, eu explico. Pick-up significa que um transporte irá buscar você no hotel para levar ao ponto de início do passeio.

E drop-off quer dizer que, no final do dia, a empresa de turismo se encarregará de deixar você de volta em seu hotel.

Esse serviço está incluído no pacote e está disponível para quem está hospedado na Zona Sul, no Centro ou na Barra da Tijuca. O turista também pode ir direto à agência, que fica em Copacabana, para se juntar ao grupo.

O tour pra mim começou às 7:30 da manhã, pois moro na Barra da Tijuca. Para aqueles que estavam em Copacabana, o horário inicial foi às 9:00. Aliás, é importante ressaltar que este último é o horário oficial de início do tour.

Transporte em ônibus panorâmico

Bom, posso dizer que meu passeio começou no momento em que eu subi no único ônibus panorâmico a circular pela cidade do Rio de Janeiro e pude ficar conferindo a movimentação da Avenida Atlântica.

O fato de termos passado em outros hotéis, para que mais passageiros embarcassem, foi um jeito agradável de rodar pelas ruas de Copacabana, já que o bairro é relativamente grande e ficar a pé pra lá e pra cá nem sempre é fácil. Ainda mais no calorão que faz por aqui.

Beleza: todos a bordo, seguimos para a nossa primeira atração. Eu, única brasileira no grupo de 28 pessoas. Mesmo acostumada a percorrer a cidade, fiquei encantada com o visual ao longo do percurso entre Copacabana e o Corcovado.

Imagina o pessoal que estava vendo tudo aquilo pela primeira vez… os olhinhos brilhavam! Quando o Cristo apareceu, então… foi um “OOOOH” geral!

Eu digo sempre que sou uma paulista de nascimento, com coração holandês e uma alma carioca. Talvez isso explique o deslumbramento que sinto, vendo o mesmo cenário pela enésima vez!

Cristo Redentor: primeira parada do tour

Eu já havia feito a visita ao Corcovado com a Rio Line em um passeio de 4 horas. Porém, o acesso até a entrada do Cristo Redentor havia sido feito de micro-ônibus. Desta vez, pegamos o Trem do Corcovado.

Na minha opinião, a visita a este Patrimônio da Humanidade só é completa através deste acesso. Já visitei a estátua inúmeras vezes, mas sempre acho esse percurso de trem delicioso! Afinal, não é todo dia que você tem a chance de atravessar um trecho de Mata Atlântica preservada.

O deslocamento até o cume do Morro do Corcovado dura cerca de 20 minutos, mas é o suficiente para apreciar a vegetação e a linda vista do Rio de Janeiro, que vez ou outra aparece ao longo do caminho.

Vantagem de estar em um grupo de excursão: não pegamos fila alguma para embarcar no Trem do Corcovado. Apesar de o horário do nosso embarque ser às 10:00 da manhã, a fila regular já estava gigantesca.

Imagine: ao ritmo de uma viagem a cada 30 minutos e capacidade para 345 passageiros por hora, ir por conta própria vai exigir um pouco mais de tempo e paciência.

No nosso caso, às 10:30 da manhã já estávamos no alto do morro, onde o Cristo Redentor nos esperava de braços abertos.

E já estava bem lotado, mesmo sendo uma sexta-feira comum.

Maracanã

O estádio Jornalista Mário Filho, inaugurado em 1950 já foi palco de momentos inesquecíveis do futebol brasileiro e mundial. Para torcedores do mundo inteiro, simplesmente, Maracanã. Para cariocas da gema ou do coração, o Maraca sempre encanta!

Nossa passagem foi rápida, mas o suficiente para sentir a emoção de estar pertinho do gramado.

Normalmente, a visitação só é permitida com o tour oferecido pelo próprio estádio. Porém, a Rio Line conseguiu o privilégio de dar uma passadinha por lá com os turistas que embarcam no Rio Full Day. Olha aí outra vantagem inegável de uma excursão!

Sambódromo

A passagem pelo Sambódromo foi rápida e sem paradas. Afinal, fora do período de Carnaval, a Marquês  de Sapucaí é uma movimentada avenida do centro da cidade.

Ainda assim, foi possível ver uma parte da Passarela do Samba, onde todos os anos milhares de foliões e carros alegóricos encantam quem assiste aos desfiles escolas de samba.

Arquibancada do Sambódromo – Marquês de Sapucaí

Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro

Também conhecida como Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, a moderna construção foge bem dos estilos das convencionais igrejas católicas. Inaugurada em 1979, a catedral tem um formato singular.

Uns dizem que foi inspirada nas naves do projeto americano Apollo, para simbolizar o futuro. Outros defendem que as pirâmides maias são a inspiração.

Bom, discussões à parte, os quatro vitrais gigantescos que vão até o topo da pirâmide, onde se encontra a belíssima cruz transparente, são de deixar qualquer visitante boquiaberto…

Mais impressionante ainda é saber que a catedral tem capacidade para abrigar 20 mil pessoas em pé ou 5 mil pessoas sentadas. É, realmente, uma construção que vale uma visita, independentemente da sua religião.

Arcos da Lapa

Mesmo sem uma parada para fotos, passar pelos Arcos da Lapa deu um charme a mais ao passeio. Afinal, eles são outra imagem icônica da cidade.

Escadaria Selarón

Localizada entre os bairros de Santa Teresa e Lapa,  a obra do artista chileno Jorge Selarón tornou-se um dos símbolos da cidade, o que conferiu ao artista o título de cidadão honorário do Rio de Janeiro. Em 1983, o artista que já havia morado em mais de 50 países, resolveu se estabelecer na cidade. Em 1990, começou a renovar os degraus da escadaria que ficava em frente a sua casa.

O difícil é conseguir sair sozinha na foto… rs!

Com mais de 2000 azulejos, sendo 300 deles pintados a mão pelo próprio artista, os 215 degraus que compõem a obra, são um convite irrecusável à visitação.

O grupo curtiu muito a parada para as fotos e a loja de suvenires que há nas proximidades da escadaria. Uma graça! Com muitos artigos interessantes e degustação de vários tipos de cachaça. Não experimentei, mas parecem ter sido aprovadas pelos turistas.

Pausa para o almoço

O ser humano não pode se alimentar só de cultura e beleza, certo?! Daí que demos uma pausa no passeio e fomos desfrutar de um almoço caprichado na Churrascaria Carretão.

Localizada no bairro de Copacabana, a Churrascaria Carretão serve um almoço bem completo. Entre as várias opções do rodízio de carnes e um farto buffet de saladas e pratos quentes, certamente vai agradar a todos os paladares.

Pão de Açúcar

O último ponto turístico do dia só poderia ser um dos mais belos cartões-postais da cidade: O Pão de Açúcar com seu emblemático Bondinho.

Inaugurado em 1912, o Bondinho do Pão de Açúcar foi o primeiro teleférico do Brasil e o terceiro no mundo.

Bondinho do Pão de Açúcar: um dos ícones do Rio de Janeiro

Com uma média de 2500 visitantes por dia, visitá-lo em um grupo de excursão mais uma vez lhe poupará tempo, já que grupos têm prioridade.

Demos muita sorte: na ocasião em que lá estivemos, estava rolando o Tardes Cariocas, um festival de música ao pôr do sol, que conferiu um charme ainda maior ao local que já é pra lá de especial!

Extras no Rio e região

E se você tiver dias sobrando, que tal fazer um bate e volta até Petrópolis ou aproveitar para visitar a região portuária, toda renovada e o moderno Museu do Amanhã?

Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/Estádio_do_Maracanã
https://pt.wikipedia.org/wiki/Bondinho_do_Pão_de_Açúcar
http://www.bondinho.com.br
http://www.catedral.com.br/index.php
https://pt.wikipedia.org/wiki/Escadaria_Selarón
http://www.tremdocorcovado.rio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *