2 Comentários

Visitar Pisa em um bate e volta a partir de Florença é uma alternativa fácil e viável para quem deseja conhecer mais uma bela cidade da Toscana. Opiniões sobre esta pequena cidade costumam variar. Há quem diga que não há muito a se ver e fazer e que ir até lá só para ver a torre é bobagem. Discordo: passar algumas horas longe da aglomeração de Florença, por exemplo, pode ser bem relaxante e divertido!


A primeira vez em que estive em Florença, nem pensei em tentar conhecer outra cidade. Afinal, havia tanta coisa para conhecer que eu não queria perder um minuto sequer dos 3 dias que passei por lá. Desta vez, estava mais tranquila. Todas as atrações imperdíveis, eu já conhecia. Daí que usar algumas horas da minha estadia para conhecer algo diferente, pareceu-me bem interessante.

Pisa: bate e volta partindo de Florença

Minha querida amiga Ana Venticinque, e autora do blog Vou Pra Roma acompanhou-me nesta visita.  Havíamos combinado de nos encontrar por volta de 10:00 da manhã na estação de trem Firenze Santa Maria Novella e, de lá, traçar o nosso itinerário.

Havia múltiplas opções de horários de trens para Pisa. A duração do percurso também variava bastante. Decidimos pegar um trem da Trenitalia com duração de 50 minutos entre as duas cidades. A mesma companhia que eu já havia utilizado para ir aos vilarejos da  Cinque Terre e, também, para conhecer Taormina.

Fundamental validar o bilhete antes de entrar no trem!

Pois bem, pegamos o trem de 11:00 da manhã e, antes de meio-dia já estávamos desembarcando em Pisa Centrale. Nem sentimos o tempo passar! Muita conversa para pôr em dia, ainda que a gente se fale com frequência.

Poderíamos ter optado por um trem que parasse na estação Pisa San Rossore e caminhar apenas 5 minutos até a torre, mas a viagem teria sido mais demorada. Ainda assim, não foi uma caminhada tão longa para chegar da estação Pisa Centrale até a Piazza dei Miracoli, onde fica a torre pendente (nome em Italiano).

Como chegar da estação Pisa Centrale à Torre de Pisa?

Aqui vai uma pequena dica: usamos o Google Maps como referência para chegar à torre. Porém, ao atravessar uma ponte sobre o rio Arno, avistamos uma placa indicando o “caminho certo” para a torre. Deveríamos ter seguido o bom e velho Google Maps! Não era só a torre que estava torta em Pisa naquele dia de sol… a bendita da plaquinha fez com que déssemos umas voltas a mais. Enfim, mas foi só motivo de risadas, pois não aumentou tanto assim o deslocamento.

Uma linda igreja bem à margem do rio Arno.

Ao chegar à Piazza dei Miracoli (Praça dos Milagres), demos de cara com aquela beleza que é a torre. Confesso, porém,  que o que mais me chamou a atenção não foi a torre em si, mas a turistada. É que não tem quem resista fazer uma pose tentando segurar, apoiar, chutar, beijar, cutucar a torre… os estilos são infinitos!

Mesmo que você não se renda à brincadeira (nós nos rendemos!), vai dar boas risadas vendo os malabarismos do povo! É bem divertido conferir todas as poses criativas que o pessoal inventa!

Vale a pena entrar na Torre de Pisa?

Passada a crise de risos ou terminada a sessão fotográfica, você tem que decidir se vai ou não querer encarar os 215 degraus em espiral que lhe separam do gramado ao ápice da visita à torre. Eu, que já havia subido os 467 degraus do Duomo de Florença, combinados com os 417 do Campanário, acabei amarelando em Pisa

E não foi por medo da tal tontura que alguns dizem ser certeira. Eu desisti por conta da vertiginosa quantia de 18,00 (valores de outubro de 2017). Achei caro demais! Isso sem contar o tempo de espera…

Mas, beleza: se seu sonho é entrar na torre e conferir se dá um friozinho na barriga mesmo, aconselho comprar o ingresso com antecedência no site da Opapisa ou aqui mesmo, com o meu parceiro GetYourGuide.

Existem ingressos à venda no local mas, além do horário marcado (e que sempre é, pelo menos, dali a uma hora e meia), a fila costuma ser grande. Tudo isso porque só é permitida a entrada de 30 pessoas por vez. E cada grupo tem apenas 30 minutos para subir, tirar suas fotos e descer. Programa caro e vapt-vupt… mas se está bom pra você, aproveite!

As atrações da Piazza dei Miracoli

Bem, se você não quiser pagar o preço da torre, há outras alternativas mais em conta na mesma praça. Você pode comprar o ingresso para uma atração (ao preço de 5,00), duas (ao preço de 7,00), ou para 3 atrações (ao preço de 8,00). Qualquer que seja sua opção, também lhe dará o direito a entrar na Catedral, sem hora marcada.

As outras atrações pagas da Piazza dei Miracoli são:

  • o Battistero (batistério),
  • o Camposanto (cemitério),
  • o Museo delle Sinopie (museu com os rascunhos dos afrescos que foram destruídos em um incêndio).

Destaque para o campanário, uma bela construção.

Agora, se você não quiser desembolsar um Eurinho sequer, ainda assim, pode entrar na catedral. Basta coletar no ponto de vendas dos ingressos um free pass para visitar apenas a catedral.

A catedral vista de dentro do Batistério.

Como nosso tempo era curto e o dia estava lindíssimo, resolvemos visitar apenas uma atração. Escolhemos o Batistério.

Porém, se você tiver tempo e disposição, Pisa tem várias outras opções turísticas. E o melhor: o centro histórico não fica na região da torre, onde a maioria dos visitantes se concentra. Então, é uma boa oportunidade de conhecer um centro histórico sem a muvuca básica das grandes atrações. E Pisa tem bastante coisa pra ver: são 20 igrejas, alguns palácios medievais e várias pontes cruzando o rio Arno. Não tivemos tempo para explorar mais da cidade, mas deve ser bem interessante!

Dá até pra fazer um tour guiado por um precinho camarada! Meu parceiro GetYourGuide oferece um tour de uma hora por um preço menor do que o ingresso pra subir na torre… De repente, pode ser uma alternativa bem legal pra você!

Onde almoçar em Pisa?

Após a visita à Piazza dei Miracoli, resolvemos procurar um lugarzinho legal para almoçar e tomar o tão esperado Aperol Spritz!

Escolhemos o bar e cafeteria La Crescentina, pois passamos em frente e o lugar nos pareceu acolhedor.

O lounge do jardim estava fechado, mas ainda assim, a escolha do lugar foi perfeita: silencioso, fresquinho, agradável e com ótimo atendimento.

Comi uma maxi crescentina farcita com crudo e parmigiano. Traduzindo: um delicioso pão achatado (tipo uma foccacia) com presunto regional e queijo. Estava bem gostoso!

A volta de Pisa para Florença

Nosso trem da volta saiu por volta de 16:30 e uma hora depois, estávamos de volta e Florença. Bem a tempo de um happy hour de fim de tarde. Não tínhamos muito tempo, pois a Ana teria que pegar o trem de 19:30 com destino a Roma.

Tratamos de achar um botequinho charmoso para o Prosecco da despedida. Escolhemos o Vini & Delizie, bem pertinho da igreja Santa Maria Novella e da estação de trem de mesmo nome. 

Foi ali que brindamos mais um encontro, enquanto degustávamos uma deliciosa tábua de frios tipicamente italianos.

Selezione Taglieri Classico

Dizer que foi um dia maravilhoso é redundante! Valeu muito a pena conhecer mais uma cidade italiana ao lado da minha grande amiga blogueira. Próxima parada? Quem sabe… Rio? Roma? Pode ser qualquer lugar… o mundo é do tamanho da nossa amizade!

Categorias: Itália

Tags:

2 thoughts on “Pisa: bate e volta partindo de Florença”

    1. Minha querida, muito obrigada pelo comentário, pela companhia e por esta linda amizade! Espero você no Rio, também… Vamos abalar as estruturas do Maracanã!!! rsrsrs… Beijos com saudade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *