Muita gente sonha em conhecer  Paris em uma viagem a dois, um dos destinos mais românticos e procurados por casais em busca de momentos especiais. Porém, visitar Paris com crianças a bordo é totalmente viável… e divertido!

Quando me mudei para a Holanda em 2008 só tinha uma certeza com relação às minhas andanças pela Europa: começariam por Paris! O sonho de conhecer a Cidade Luz se concretizou em 2009 e, de lá pra cá, já se foram algumas idas, duas corridas e uma vontade enorme de sempre voltar.

Viagem a dois? Fica pra depois…

Lógico que eu sonhava com uma romântica viagem a dois, mas com filhos ainda sem autonomia para ficar sozinhos (na época, com 14 e 12 anos), fomos em família mesmo. E foi muito divertido! Quem pensa que Paris é só para casais apaixonados, está muito enganado: a cidade também pode ser um ótimo passeio com os pimpolhos!

Morávamos no norte da Holanda nessa época e resolvemos ir de carro. Para quem estava acostumado a fazer o trecho Rio-Santos todo ano (quase a mesma distância) e com os meninos ainda menores (e mais barulhentos e inquietos!) percorrer os cerca de 640km nos pareceu ”fichinha”.

Bem… nem tanto! Foi uma viagem longa e cansativa, mas estávamos tão entusiasmados ao chegar, que achamos que valeu a pena cada minutinho sentado dentro do carro…

Olha a empolgação do caçula a hora que anunciamos a entrada em Paris!

Contando duas paradas e um trecho moroso na Bélgica, levamos quase 8 horas de porta a porta. No entanto, para quem está chegando à Europa, ou está de passagem, é bem interessante notar que dirigindo numa linha quase reta e por cerca de seis horas, é possível passar por três países.

Paris com crianças

Beleza, historinhas à parte, vamos lá: você vai levar os pimpolhos. E agora? Melhor pensar numa programação que realmente os inclua. Do contrário, a cara feia vai se instalar… e não vai escapar um ileso no grupo. Neste post, listarei apenas as dicas do que fazer em família e depois ampliarei para outros tópicos em um novo post.

Com boa vontade e disposição, é totalmente possível aproveitar as atrações da capital francesa em uma viagem em família. Há várias possibilidades para entreter a todos. Aqui vão alguns opções:

Torre Eiffel

Cartão-postal parisiense, ícone para fotos e, ao mesmo tempo, um divertido passeio ao ar livre. A torre é imponente, mesmo vista de longe. À medida em que você vai chegando perto, vai tomando consciência da beleza e grandiosidade do monumento e deixando a emoção tomar conta.

Quando estávamos nos aproximando dela pela primeira vez, demos a sorte de vê-la sendo acesa aos poucos e ficamos muito empolgados! De repente, é uma boa ideia calcular sua chegada para a hora em que começa a escurecer.

Se você chegar à noite, vai vê-la toda iluminada. Uma visita nessa hora vale a pena, se você quiser ver as incontáveis luzes da cidade. Foi o que fizemos: pegamos o elevador até o primeiro nível e demos a volta completa para ver vários pontos da cidade.

Não conseguimos ficar muito tempo lá em cima, pois era inverno e o frio estava cortante. Ainda assim, meu filho mais velho disse ter sido o melhor dia da vida dele!

Voltamos no dia seguinte em plena luz do dia. Dessa vez, pegamos o elevador até o topo.

Valeu o preço do ingresso: a vista é de tirar o fôlego!

Para completar o cenário, fazia um lindo dia de sol. Demos muita sorte: apesar do frio, nesse dia, o sol brilhou o tempo todo!

Dica da Turista Esportista: vale a pena subir até o primeiro patamar usando as escadas. É uma sensação diferente, saber que você está ralando pra chegar lá: são 704 degraus. Cumprir a missão deixa você com a consciência leve pra se atracar em uns crepes depois. Fiz os dois e recomendo!

Dica de mãe: depois da visita, deixe a molecada correr e pular à vontade na região da Torre Eiffel

Vá andando sem pressa em direção ao Trocadero, apreciando a paisagem, parando aqui e ali para uma foto…

Nada de procurar restaurantes no meio do dia: deguste as guloseimas de rua tão típicas dessa cidade. Coma uma baguete com presunto e queijo aqui, um crepe de banana com Nutella ali. Deixe a criançada curtir um sorvete sentada num banco de jardim ao longo do caminho… Enfim, entre no clima parisiense: o famoso “casual chique”!

Jardim das Tulherias

Esse é outro caminho que acaba virando um passeio: seja indo ou vindo do Louvre. E mais uma chance imperdível de deixar a garotada gastar a energia! Mesmo no inverno, pode ser um passeio agradável: há várias espreguiçadeiras espalhadas em frente a um laguinho. Daí que você pode sentar e se recuperar um pouco das longas caminhadas, enquanto os pimpolhos ficam olhando os patinhos coloridos ou ficam correndo numa área sem perigo algum.

Há, também, vários quiosques vendendo comidas e bebidas. Uma ótima oportunidade para fazer um piquenique ou um lanche rápido antes de continuar explorando os arredores.

Disneyland Paris

Outro passeio que não pode faltar para quem vai com a família, mesmo que você já tenha ido a Orlando , é conhecer o Disneyland Park e o Walt Disney Studios, nos arredores de Paris.

Ainda que não tenham a mesma grandiosidade e oferta de atrações, os pequenos vão gostar muito, já que o famoso desfile dos personagens e o show de luzes que antecedem o fechamento do parque também fazem parte do espetáculo.

Eu já havia contado a visita com detalhes em outro post, que você pode conferir aqui mesmo no blog. Meus meninos nem eram tão pequenos na época, mas ainda assim curtiram um dia diferente, sem todo aquele apelo cultural de Paris.

Para os pais, talvez não seja um passeio tão atrativo, pois não sai nada barato e é um dia a menos na romântica cidade, mas é um presente aos pequenos que também ficam cansados de acompanhar os pais na exaustiva peregrinação pelos pontos turísticos “adultos”.

Passeios de Bateau Mouche

O mini-cruzeiro pelo Sena pelo Sena é, definitivamente, um programa que não pode ficar de fora do roteiro: durante uma hora, você percorrerá os principais pontos da cidade, tendo a chance de vê-los por um outro ângulo, completamente diferente.

Se for à noite, melhor ainda, pois o passeio termina em frente à Torre Eiffel, justamente quando ela está sendo iluminada. Muito lindo e romântico numa viagem a dois, mas com crianças, também é uma boa pedida. Elas curtem andar de barco!

Logicamente, há opções diurnas, também. Tudo é uma questão do que será mais adequado para você. Os preços variam muito (com ou sem jantar) e as condições também (com transfer de ida e volta para o hotel, por exemplo). Então, é bom pesquisar antes de decidir qual é a melhor relação custo/benefício, uma vez que o itinerário e o cenário são os mesmos.

Região de Montmartre

Monmartre é uma colina de 130 metros (o ponto mais alto da cidade) que fica ao Norte de Paris e que dá o nome ao charmoso e boêmio bairro. É também conhecida por abrigar a linda Basilique du Sacré Couer (Basílica do Coração Sagrado) e os pintores de rua que ocupam a famosa Place des Tertres.

Não é uma basílica muito antiga: sua construção iniciou-se em 1875 e só foi concluída em 1914, tornando-se consagrada apenas ao final da Primeira Guerra Mundial, em 1919.

O fato de ser, relativamente, nova não tira em nada sua suntuosidade. Nem a desmerece perante à Catedral de Notre Dame, por exemplo. Ainda mais porque chegar até ela implica em percorrer várias ruas arborizadas de um bairro bem bucólico. Isso considerando que a maioria das pessoas desce na estação de metrô Abesses (Linha 12) e anda até lá – cerca de 10 minutos de caminhada.

A subida dos cerca de 200 degraus até a basílica requer fôlego, mas há a opção de um bondinho para os que não querem ou não podem subir tantos degraus. O Funiculaire de Montmartre fica ao lado das escadas principais.

Uma vantagem: como ele é operado pelo mesmo sistema do metrô, você pode usar o mesmo bilhete para embarcar. Devo confessar que pesquisei essa informação, já que eu subi “na raça” mesmo…

Com relação à subida com crianças, especialmente as pequenas vão curtir um passeio de funicular. Os meus já estavam grandinhos e subiram os degraus correndo, apostando corrida… coisas de moleque! Curtiram e nem sentiram a extensão da subida, tal o nível de competição em que se encontravam…

Centro Georges Pompidou

Localizado na região de Beaubourg, perto de Les Halles e Marais, o moderno edifício foi projetado com um arquitetura arrojada e complexa que, por si só, já vale a visita. Porém, a vasta coleção de Arte Moderna torna a passagem por lá praticamente obrigatória para quem gosta do gênero.

Mas aí você deve estar se questionando se as crianças vão curtir a visita. Bem, claro que isso também depende da faixa etária. Na ocasião em que estive lá com meus filhos, esbarramos em uma excursão escolar cuja turma aparentava cinco anos de idade. Os pequenos ouviam curiosos e interessados a explicação da professora. Uma graça!

Acho que tudo é uma questão de abordagem, também. Eu admiro muito a iniciativa do europeu de promover cultura desde a mais tenra idade Talvez o motivo de apreciarem tanto as Artes em geral. Além disso, os amplos salões do museu exibem instalações instigantes ao universo infantil. Isso sem contar a parte externa, colorida e multiforme, que é um convite à exploração.

É preciso pagar entrada para conhecer o museu, mas você já pode chegar lá com seu ingresso na mão. Pode adquirir previamente aqui com meu parceiro GetYourGuide e furar a fila. O preço é igualzinho e você ainda dá aquela força pro blog! 

Agora, eu fugiria de alguns lugares com os pimpolhos. Um deles seriam as galerias Lafayette, pelo motivo óbvio: eles simplesmente não têm a menor paciência para compras.

Restaurantes sofisticados também não são uma boa ideia. Assim como longos deslocamentos a pé. Use e abuse dos espaços públicos e parques.

Enfim, Paris é um museu a céu aberto e entreter as crianças é fundamental para ter uma estadia tranquila. Adaptar a cidade às necessidades da família é a chave para curtir e ter só lembranças maravilhosas. De minha parte, posso dizer que a experiência foi tão boa que voltamos no ano seguinte. E a viagem foi deliciosa, de novo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *