2 Comentários
Tive a chance de conhecer esta bela ilha ao embarcar no MSC Sinfonia, em agosto de 2013, com meu marido e meus filhos. Eu já falei mil vezes que A-DO-RO a Espanha e, naturalmente, o porto de partida foi escolhido por isso. De lá pra cá, já voltei mais duas vezes para passar férias de verão e devo confessar que a cada vez, gosto mais e planejo (um dia) ir de mala e cuia… e por lá ficar!

Como chegar a Palma de Maiorca?

Há várias opções de voo na Holanda saindo de diferentes aeroportos. Na primeira vez, ainda morávamos em Groningen e pegamos um voo da Transavia no pequeno aeroporto de Eelde (com duração de 2 horas).

Na segunda vez, fomos por Eindhoven com a Ryanair. Ambas são companhias low-budget (mais baratas que KLM e Ibéria, por exemplo) e algumas pessoas “torcem o nariz”, mas quem já voou com elas sabe que são confiáveis e com a vantagem de oferecer voos diretos para esses aeroportos de pequeno porte em horários “normais” (vulgo: sem ser de madrugada).

​Na terceira vez, voamos novamente com a Transavia, partindo de Amsterdã. Sempre tudo muito fácil e tranquilo. Se a sua saída for de Madri ou Barcelona , fica mais descomplicado ainda, pois há muitas opções de voos e horários todos os dias.

O aeroporto de Palma de Maiorca

Já na chegada, a boa impressão: o tamanho e a qualidade do aeroporto “de ilha”, que me fez sentir uma pontinha de inveja ao compará-lo aos aeroportos internacionais que nos decepcionam recepcionam no Brasil… Enfim, o post é para falar de Maiorca! Não para contar as mazelas do nosso país. Sorry, não me contive!

Bom, se não tivéssemos ficado mais uns dias por lá no período pós-desembarque e  retornado nos anos seguintes, talvez não ficássemos com uma boa impressão do local.

Explico: na ida do aeroporto ao hotel, o motorista não nos deixou em frente à entrada por pura preguiça de fazer uma volta no quarteirão. Nós estávamos com malas relativamente grandes (por ser viagem de cruzeiro) e ele nem se abalou.

E também não tivemos uma experiência muito boa com um restaurante e o primeiro hotel em que nos hospedamos…Mas, enfim, esses episódios são para estar na série  “perrengues viagem” e não desmerecem de modo algum  a cidade…

Onde se hospedar em Palma de Maiorca?

Hotel Negresco

Escolhi o Hotel Negresco para passar quatro noites após o cruzeiro de 2013. Localizado em frente à Playa de Palma (a que eu mais gosto em Maiorca), é uma excelente opção para quem gosta de correr, caminhar, pedalar ou ainda praticar esportes aquáticos, como o Stand Up Paddle Surfing.

Aprovei a escolha: além de estar em frente à praia, possui quartos muito bons, atendimento cordial, uma ampla piscina ao ar livre e música ao vivo à beira da piscina à noite. Tudo de acordo e com preço razoável.

O único inconveniente desse hotel é que, especialmente na temporada, é difícil fazer reserva.​Tentei ficar lá, novamente, quando fui à Maiorca no ano seguinte e não consegui. Tudo lotado. Em compensação, voltei a passar cinco noites em setembro do ano passado, e tive a agradável surpresa de ver que o hotel havia sido totalmente reformado (por dentro e por fora) e que estava melhor ainda!

Pontos de destaque: entretenimento à noite (pelo menos, no verão), piscina bem cuidada, um excelente café da manhã e a possibilidade de fazer uma refeição caseira e honesta no jantar (pagamos €8,00 por pessoa para um buffet self-service bem preparado, apesar de simples). Esse último, ótima opção para quem está cansado e sem ânimo de procurar algo no fim do dia…

O ponto alto da reforma ocorrida em 2014 foi a transformação da cobertura do hotel em um lounge com um bar sofisticado e uma enorme Jacuzzi (paga à parte, mas que pode ser reservada e usada privativamente). Além disso, há várias poltronas confortáveis para relaxar e apreciar uma vista de tirar o fôlego. Vale muito a pena ir tomar um drinque por lá no fim do dia.

Talvez seja frustrante para você o fato de que o hotel não aceita crianças ou animais de estimação. Porém percebi que talvez seja este motivo de ser tão procurado e esgotar rápido, já que muitos adultos preferem curtir uma piscina sem muita algazarra. Aliás, o público dominante do hotel é de casais acima dos 30 anos.

Hotel Iberostar Royal Cristina

Na segunda ida, ficamos hospedamos no Iberostar Royal Cristina. Como não havia conseguido o Negresco, resolvi optar por este, pois sabia que estaria na mesma região. Ele não fica na frente da praia, mas é uma caminhadinha de uma quadra e é super tranquilo. Além disso, tem um Burger King na esquina, para quem precisa de um lanche rápido ou Wi-Fi, já que o hotel não fornece Internet grátis.

Gostei muito da escolha pois, por uma diferença muito pequena de valor comparada à habitação dupla, pegamos um estúdio, com quarto, sala, um bom banheiro e uma pequena kitchenete, o que foi uma economia em termos de café da manhã e lanches rápidos. Tomar o café da manhã no hotel (que também conta com sistema de meia-pensão) sairia caro. E desta forma, o desjejum ficou de acordo com os nossos hábitos.

O hotel também oferece uma piscina excelente, com animação para diferentes idades (inclusive noturna) e conta ainda com uma área de lazer com bar, mesa de totó (pebolim) etc. Eu fiquei hospedada em frente à piscina e no primeiro andar, mas não senti incômodo algum com barulho excessivo, por exemplo.

Bem, mas independentemente da sua escolha, você sabe que pode encontrar muitas opções de hospedagem no site do meu parceiro Booking.com. Este é o site que eu uso há muitos anos e no qual você pode confiar. E fazendo a reserva com o Turista FullTime, você ajudará na manutenção do blog. Então, se você vai viajar para Palma de Maiorca, já aproveite e faça sua reserva por aqui mesmo… a blogueira agradece!

Como chegar do aeroporto à Playa de Palma e vice-versa?

O ônibus circular de número 21 liga o aeroporto a quase todos os pontos da Playa de Palma. Se você se hospedar no hotel Negresco ou no Iberostar Royal Cristina é só  descer no ponto Marbella 22 (pode ser que esteja com o nome Pil-larí, mas o local é o mesmo). O percurso dura menos de 30 minutos e é bem barato.

Dependendo do número de passageiros e de malas, nem compensa tanto pegar um ônibus, já que a distância é pequena (cerca de 6,5km) e táxi na Espanha não é caro. O trajeto custa menos de 15 euros. Já usei os dois métodos e aprovei. Sozinha, pegaria o ônibus sem pestanejar, mas é porque gosto de economizar. Só pego táxi em último caso…

A Playa de Palma

A região da Playa de Palma é repleta de barzinhos e restaurantes. Além disso, a estrutura para o turista é excelente: por cerca de 6 euros cada peça (valores de setembro de 2015), é possível alugar confortáveis espreguiçadeiras ou amplos guarda-sóis feitos de sapé pelo dia todo. Tudo organizado e controlado pelos funcionários municipais e com preço único em toda a orla.
Outra vantagem: todos os quiosques da praia também pertencem à prefeitura. Então, os preços são tabelados e muito justos. Não são mega faturados por conta de alta temporada. Você encontra de tudo: desde sanduíches variados, até saladas ou grelhados. Ótima opção para o almoço.

Mais um fato curioso, e que eu não fazia a menor ideia até estar lá, é que Palma de Maiorca é meio que “informalmente dividida em setores”. Explico: a região turística onde fica o porto marítimo é a porção “espanhola” da ilha.

O local em que eu fiquei, é o “point alemão” e, mais para o canto esquerdo da Playa de Palma fica o “reduto inglês”. Na verdade, no hotel em que me hospedei era mais fácil encontrar alguém que falasse Alemão ou Inglês, do que alguém fluente em Espanhol.

Mas voltando a este lado “multicultural”, o mesmo acontece para os bares e restaurantes. Em junho de 2014, eu e meu marido estávamos por lá na época da Copa do Mundo. Assistimos ao jogo Alemanha e França num bar típico alemão e eu tive a impressão de estar em Munique . E por falar em Munique há, na Playa de Palma, um grande galpão cheio de mesinhas, palco, telão onde são transmitidos jogos ao vivo etc. que nos dá a impressão de estar em plena Oktoberfest!

Isso sem contar os menus inteiros no idioma, assim como a tradicional Bradworst (salsicha alemã) por todo canto. Não se surpreenda ao ver os enormes grupos de amigos – quase todos loiros e altos – perambulando para cima e para baixo com seus imensos baldes, cheios de cerveja.

Não fique pensando, porém, que o balneário é bagunçado. Tudo ocorre num clima bem tranquilo e, mesmo para casais maduros – que vemos também em boa quantidade por lá – é bem legal estar na Playa de Palma. E é uma ótima pedida para casais com crianças, pois a praia é uma delícia: de mar limpíssimo e calmo.

Com relação a esportes e lazer, há aluguel de bicicletas por todo o lado e uma ampla ciclovia. Além disso, há (perto do “reduto inglês”) opções aquáticas, como o Banana Boat.

Do outro lado da praia (próxima à região do aquário) há uma loja que aluga prancha de Stand Up Paddle. Meu marido alugou por duas horas dois dias seguidos e se divertiu bastante, pois o mar é bem calmo e sem ondas. E os funcionários da loja são super solícitos, indicando os dias e horários com mais possiblidade de vento.

O longo calçadão é uma delícia para uma boa caminhada, uma corrida ou para um passeio de bike. Há uma excelente estrutura de lazer que atende a todos os gostos e idades.

Concluindo: a praia é para todos e bem democrática: dos 8 meses aos 88 anos! É bem verdade que o público maior é de jovens na faixa dos 20 e poucos anos, mas ainda assim, é um lugar gostoso para passar alguns dias, independente da companhia.

O que para fazer além da praia?

Tirando a praia e a vida noturna, há também outros passeios, que incluem desde os culturais até os de natureza ou aventura. Para famílias com crianças pequenas há um parque aquático chamado Aqualand e também o aquário Marineland. Meu marido foi com meus filhos ao primeiro e, apesar de eles não serem mais tão novinhos (15 e 17 anos, na época), eles se divertiram bastante e ficaram por lá muitas horas.

O centro histórico de Palma de Maiorca

Se você gosta de conhecer as construções históricas e o centro da cidade, também é muito fácil chegar até lá. De onde nós estávamos (ou de qualquer trecho em que a pessoa estiver da Playa de Palma) é possível pegar o ônibus de número 25 que leva até lá em cerca de 20 minutos.

O centro é arrumadinho, com muitos prédios antigos e bem ornamentados, mas você encontra também a grande loja de departamentos “El Corte Inglés”, assim como as badaladas Desigual, Louis Vuitton, Hugo Boss, Carolina Herrera etc.

Há muitas atrações culturais na cidade, mas para falar a verdade, não fomos muito “cultos” nessas estadias; preferimos curtir as belas tardes de sol perambulando pelas ruas do centro, tomando uma cervejinha aqui, escutando algum músico ali… passeios de verão!

A Catedral de Palma de Maiorca

Uma visita imperdível para quem gosta de arquitetura gótica e as obras de Gaudí. A construção, imponente do lado de fora, não decepciona com o seu interior. Muito interessante descobrir que os magníficos candelabros da nave principal, assim como a iluminação de algumas das colunas, foram projetados pelo famoso arquiteto catalão.

Paga-se 7 euros para entrar (valores de 2015), mas o ingresso inclui um audio-guide. Não há opção em Português, mas é possível entender bem com a versão em Espanhol.

Cuevas del Draco

Um passeio que fizemos fora da região da praia e do centro  foi a visita às Cuevas del Drach (Grutas de Drach), situadas na costa oriental de Maiorca. Resolvemos pagar por uma excursão, pois não alugamos carro (mas há estacionamento, para quem prefere dirigir até lá).

A vantagem todo mundo já sabe; mas as desvantagens você vai descobrindo ao longo do dia: o ônibus, que vai fazendo pinga-pinga em vários hotéis, as paradas que você desconhecia…

No meu caso, uma visita a uma fábrica de vidro antiga (apesar de o processo de produção dos objetos ser interessante) e à fábrica Majorica (famosa pelas pérolas produzidas na ilha e seus respectivos acessórios).

Veja, mas aqui é uma questão muito pessoal, já que gosto mais de ver coisas novas do que de comprar artigos em viagem.

Bem, depois de duas paradas e um almoço sem muita graça ou opção em um restaurante da escolha da companhia, finalmente chegamos à gruta. A visita tem hora marcada e dura cerca de uma hora. Eu nunca havia estado em uma caverna e achei que os “obstáculos ao longo do caminho” foram perdoados no momento em que eu desci os 25 metros de profundidade do lugar e percorri os 1.200 metros até o ponto onde há um concerto de música clássica (lá dentro mesmo), que marca o fim da visita.

Ao final do espetáculo musical, há a possibilidade de percorrer o caminho de volta a bordo de um pequeno barco que navega (também por dentro da caverna) até o ponto inicial. Muita gente opta por esse “grand finale”, especialmente quem está com crianças, mas a fila é grande e o caminho de volta, até a saída da gruta, é bem curto…

Eu diria que vale a visita, mas o melhor mesmo (para mim, pelo menos) é chegar por conta própria, já que há muito a ver e fazer na ilha e gastamos o dia todo para isso. Ainda assim, eu não vou reclamar, pois uma das paradas foi no centrinho de Porto Cristo e eu pude tomar a minha única cerveja Estrella da viagem…

E mergulhar os meus pés nas águas calmas e cristalinas de uma prainha que havia por lá…

Onde comer em Palma de Maiorca?

Normalmente, dedico uma atenção especial a este tópico e com Palma de Maiorca não poderia ser diferente… Porém, como já estive varias vezes na cidade e comi em muitos lugares, darei dicas em outro post, exclusivo para os gulosos de plantão (como eu!).

Eu me recuso a encerrar por aqui…

E eu lhe digo o porquê: No início deste post, confidenciei que tenho um desejo (não tão secreto!) de um dia estabelecer residência por lá… E, para ter certeza absoluta, voltarei muitas vezes à cidade. Mês que vem, vou bater meu cartão de novo. Será uma breve visita, uma parada do cruzeiro que farei pelo Mediterrâneo. Mas conta, né?! ​Ora, pois… claro que conta!

E eu ainda tenho muito a falar sobre as delícias de lá… Não lhe contei, por exemplo, de Magaluf… a praia da moçada, onde meu filho mais novo passou uma semana com um grupo de 50 jovens (viagem de formatura!)… Fui lá conferir! Assunto para mais um post…

​Não lhe contei da badalada Pacha, famosa em vários lugares do mundo… Também não abordei o que fazer em uma parada de cruzeiro… Nossa, vem muita coisa boa por aí! Aguarde novidades… eu não vejo a hora de botar os pés nesta ilha de novo… Fui!!!

2 thoughts on “Palma de Maiorca: tudo o que você precisa saber!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *