10 Comentários

Ao planejar a viagem, muita gente tem dúvidas a respeito de onde ficar em Paris . Afinal, é uma grande capital, que atrai milhões de turistas todos os anos. Entretanto, com uma boa pesquisa, é possível encontrar acomodações com ótimo custo/benefício. Acredite: dependendo da época do ano, um hotel em Paris pode custar mais barato do que um hotel de mesma categoria localizado em uma cidade turística brasileira.

Onde ficar em Paris?

Além da baixa expectativa de encontrar uma hospedagem com preço razoável em Paris, o turista se depara com outra dúvida bem justificada: a localização do hotel.

A incerteza vem do fato de que os pontos turísticos podem ficar bem espalhados. Afinal, Paris possui 20 arrondissements. E escolher um deles, com uma boa relação custo/benefício é um desafio e tanto. Principalmente, para quem visita a cidade pela primeira vez.

Vamos entender esse conceito, que também se aplica a Viena , por exemplo. Imagine o primeiro arrondissement como o lugar mais central da cidade.

Créditos da foto: Pixabay

Se você analisar o mapa de Paris, verá que os bairros são representados com números ordinais, da seguinte forma: 1e, 2e e assim por diante.

Essas denominações significam primeiro arrondissement, segundo arrondissement… até chegar ao vigésimo.

Assim, dá pra você começar a ter uma ideia de que hotéis com o mesmo padrão custarão mais caro nas regiões de menor ordem, em comparação aos que ficam nas regiões de maior ordem.

Em contrapartida, os deslocamentos até os pontos turísticos serão bem menores e mais rápidos. E a possibilidade de poder fazer muita coisa a pé, também aumenta bastante.

Por outro lado, nem sempre ficar mais longe, deixa mais complicado acessar os pontos de interesse. Afinal, Paris tem um sistema de metrôs bem amplo e confiável.

Créditos da foto: Pixabay.

Além disso, Paris é uma cidade preparada para o turismo. Portanto, a comunicação visual de placas nas estações de metrô e nas ruas, auxiliam muito o turista. É bem difícil você se perder mesmo. No máximo, vai andar um pouco mais para se achar.

Como saber a localização do hotel em Paris ?

Esta é uma dica fundamental para a escolha do hotel. Você vai notar que, ao final do endereço, aparecerá uma referência. Dependendo do site que você estiver usando, ela pode mudar, mas significará a mesma coisa.

Daí que o primeiro arrondissement aparecerá como Paris1 ou 75001 ou simplesmente 1e arr., como é o caso no site do meu parceiro Booking.com.

Para sua localização, nessa região encontram-se o Louvre, a Catedral de Notre Dame, o Jardim das Tulherias, entre outras atrações.

Eu nunca fiquei nessa região mais central, pelos motivos óbvios ($$$), mas sempre foi super tranquilo chegar até lá. 

Créditos da foto: Pixabay.

Já fiquei 3 vezes na região próxima à Torre Eiffel que, para você ter uma ideia, fica no 7e arrondissement. Acredite: é uma ótima região para quem gosta de caminhadas urbanas.

Dá até para correr às margens do Sena! Eu treinei por lá antes da corrida Paris-Versailles 2017 e foi super maneiro!

Correr com um visu desses, deixa qualquer treino inesquecível!

Onde ficar em Paris? Escolha do bairro

Veja, nem sempre o foco da sua viagem são as atrações turísticas. Pode acontecer de você ir com um tema em mente. Aí, a escolha do bairro é mais importante do que a localização com relação aos outros pontos de interesse.

Se você é uma pessoa ligada em vida boêmia e curte galerias de Arte vai, certamente, gostar de ficar em Le Marais.

Pink Flamingo e sua boa pizza no descolado bairro.

Se você vai participar da tradicional corrida Paris-Versailles, como foi meu caso em 2015, 2016 e 2017, vai preferir ficar perto da Torre Eiffel, ponto de partida do percurso.

Certa vez, fui a Paris por 2 noites. A intenção era assistir ao show no Moulin Rouge e visitar o Palácio de Versalhes. Optei por ficar longe da muvuca. E de quebra, fui a pé visitar a Sacré Couer.

Além disso, o bairro tem seu charme. Você consegue se sentir como um local. Especialmente num domingo, com todas as opções de um típico café da manhã francês em um dos inúmeros cafés espalhados por todo canto.

Um restaurante super charmoso e aconchegante em Monmartre.

Onde ficar em Paris? As dicas do Turista FullTime

Bem, eu já comentei aqui no blog que tenho a tendência de escolher hotéis de grandes redes. Especialmente, pelo fato de que conheço o padrão de qualidade de cada segmento e sei que não terei surpresas. Nem pra mais, nem pra menos. Às vezes, até me surpreendo (na maioria das vezes, positivamente), mas não sai muito da curva esperada.

Eu tenho uma simpatia pela rede Accor. Depois que morei por 4 meses no Novotel Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro , mais ainda. Porém, muito antes disso, eu já escolhia alternativas da conceituada rede.

Fala sério… morar com uma vista dessas??? Sonho de consumo!

Tá, mas voltando ao tema do post… Hehehe! Nas duas primeiras vezes que estive em Paris, estava acompanhada do meu marido e dos meus dois filhos (idades entre 11 e 14 anos). Daí a opção por unidades do Novotel.

A princípio, ele pode não parecer a alternativa mais barata. Porém, a oferta de serviços e a opção de poder incluir gratuitamente duas crianças na mesma acomodação (até 16 anos), compensam a diferença de preço.

Ainda que no final do dia você pense que só o sono liberta!… rsrs

Importante ressaltar: esta regra vale para qualquer Novotel do mundo. E mesmo que a sua diária não inclua o café da manhã, este é grátis para menores de 16 anos. Super vantagem!

Novotel Paris Vaugirard Montparnasse (15e arrondissement)

Foi minha primeira estadia na cidade (fevereiro de 2009), muito antes de ser blogueira e sem muita experiência para escolher hotéis. Daí a falta de fotos para ilustrar este post!

Mesmo novata no assunto, acertei em cheio ao escolher o Novotel Paris Vaugirard Montparnasse. Pela pesquisa, já sabia que estaríamos em uma ótima região. Entretanto, ficamos mais bem instalados do que eu havia imaginado.

Além da localização, gostei muito da nossa acomodação. Ampla, limpa e organizada. As acomodações para família costumam ter entre 23 e 25m2, incluindo uma cama de casal e um sofá-cama. O café da manhã, farto e bem preparado,  estava incluído no valor da diária.

Outra vantagem, que nem sempre é tão comum em Paris: havia estacionamento no subsolo, com valor razoável. Considerando-se que Paris é uma capital com poucas e apertadas vagas nas ruas, quase sempre pagas, deixar o carro no hotel e usar apenas o transporte público foi uma escolha acertada.

Veja, na época, morávamos a 600 quilômetros de Paris e optamos pelo carro. Contudo, indo como turista, eu nem pensaria em alugar um carro se fosse ficar só em Paris. Besteira: caro e uma dor de cabeça a mais. Ainda mais com a estação de metrô Vaugirard a apenas 100 metros do hotel.

Um bônus para quem está com crianças e podre de cansaço no fim do dia: há um Pizza Hut Delivery a apenas 130 metros do hotel (conferi no Google Maps: ainda está lá, depois de 8 anos!). Você não precisa pedir para entregar: pode comprar no balcão, mesmo. Alternativa rápida, barata e confiável.

Além disso, há um Carrefour City a 200 metros e um Starbucks a 300 metros de lá, caso você não queira pagar €18,00 pelo café da manhã do hotel (tarifa para 2018).

Novotel Paris Centre Tour Eiffel (15e arrondissement)

No ano seguinte (2010), voltamos a Paris durante o feriado escolar de maio. Uma época bem mais amena do que fevereiro, afinal já é primavera na Europa. Optamos por ficar ainda mais perto da Torre Eiffel, ponto turístico preferido dos meus meninos na época.

Novamente, escolhemos o Novotel., com o mesmo padrão de excelência de um quatro estrelas e com todas as vantagens para uma viagem com filhos.

Porém, repare no nome do hotel: Novotel Paris Centre Tour Eiffel. Beleza, você vai assumir que ele está grudadinho na atração turística, certo?

Só que não. Neste caso, a Torre Eiffel fica em outro arrondissement, a mais de um quilômetro de distância. Esse é um “detalhe” você que deve confirmar no Google Maps, para não ter surpresas no local.

Entretanto, o hotel tem ótima localização. Praticamente, às margens do rio Sena. Tudo bem que eu peguei um quarto que não tinha vista para a Torre Eiffel, como as fotos no site indicavam, mas foi puro azar. Alguns quartos eram, de fato, virados para o Sena.  O nosso, infelizmente, não.

Infelizmente, a foto não foi tirada da janela do meu quarto!

Também há muita opção para refeições nas redondezas e a facilidade de poder comprar algo para comer no quarto. Há duas boas opções de comida “to go”: a Marks & Spencer (rede inglesa, que entre outras coisas, tem variados produtos para refeições rápidas) e o Monoprix, supermercado francês que oferece bons preços e variados artigos.

Se você quiser uma refeição mais caprichada, o Beaugrenelle Shopping Centre fica a 200 metros do hotel.

O hotel possui estacionamento, porém o preço é salgado. O ideal é usar o metrô. Há 5 estações relativamente próximas (entre 600 e 800 metros de distância). Certamente, uma delas atenderá bem ao seu itinerário.

Ibis Paris Monmartre (18e arrondissement)

Como comentei anteriormente, em 2012 fui a Paris com meu marido por apenas duas noites. Morava a 600km de lá, de modo que chegamos numa sexta-feira à tarde e voltamos no domingo de manhã para casa. A ideia principal era assistir ao show Féerie, no Moulin Rouge, que continua em cartaz até hoje.

Naturalmente, que a escolha do hotel foi feita de maneira a facilitar o deslocamento a pé e à noite, já que Ibis Paris Monmartre fica a 300 metros do Moulin Rouge.

Créditos da foto: Pixabay.

Já me hospedei em tantas unidades do Ibis que até perdi a conta. Todos têm as mesmas características e são uma opção confiável para um 3 estrelas. As acomodações costumam ser pequenas e simples, mas a limpeza e a organização estão sempre presentes. Outra super vantagem do Ibis: aceita animais de estimação.

Além disso, a Sacre Couer (a Basílica do Coração Sagrado) fica a apenas 1km do hotel. Percorrer as ruazinhas do bairro de Monmartre até lá foi uma delícia num domingo de sol.

Talvez você fiquei com um pouco de receio, pois o Boulevard de Clichy, onde fica o Moulin Rouge, está cheio de casas de show para adultos. Entretanto, foi bem sossegado andar por lá. Até mesmo de madrugada, pois o show de 21:00 (que inclui um jantar) termina bem depois das 23:00 e nós ainda demos uma esticada no Bar de 2 Moulins, que fica do outro lado da rua.

Bate e volta: Montmartre – Palácio de Versalhes

Visitamos, ainda, o Palácio de Versalhes. Como não estávamos no centrão, resolvemos ir de carro. Foi sossegado. Estacionar nas proximidades do palácio foi simples e, na volta, carro voltou no estacionamento do hotel.

Há dois metrôs próximos, de modo que ir para a zona 1 é facílimo. A estação de metrô Place de Clichy fica a apenas 300 metros do hotel.

Ibis Paris La Défense Centre (Courbevoie)

Em setembro de 2015, viajei a Paris com meu marido e um casal de amigos. Nosso intuito era participar da tradicional corrida de rua Paris-Versailles. Daí que a opção pelo Ibis Paris La Défense foi baseada no ótimo preço e na facilidade de chegar de metrô à Torre Eiffel para a largada.

Na verdade, o hotel fica localizado a cerca de 8km do epicentro de Paris, no centro financeiro de La Défense. Se você procurar pelo hotel digitando Paris, talvez não vá encontrá-lo tão facilmente.  Isso se deve ao fato de Courbevoie ser uma comuna francesa, localizada na região administrativa da Ile-de-France.

Essa região é repleta de edifícios modernos, muitos deles empresariais. O bairro de La Défense é o principal distrito empresarial de Paris e ocupa uma parte de Courbevoie.

Assim, apesar de não estar em uma área turística, o acesso aos outros bairros é muito simples. A estação de metrô Esplanade de la Défense fica praticamente na frente do hotel.

Ibis Paris Tour Eiffel (15e arrondissement)

Escolhi o Ibis Paris Tour Eiffel quando fui correr a Paris-Versailles 2016 e gostei tanto que voltei agora em setembro para correr a edição de 2017. O ponto alto do hotel é a localização. Fica relativamente próximo da Torre Eiffel, do Hotel des Invalides e do Museu Rodin

A recepção do hotel, que já era boa, foi totalmente repaginada, de modo que o andar térreo ficou super aconchegante e descolado. Os quartos, apesar de pequenos, são limpos e confortáveis. E  o café da manhã é excelente.

O hotel tem estacionamento no subsolo, porém o preço é bem salgado. Agora, uma boa notícia para quem viaja com doguitos ou gatitos: eles são bem-vindos!!!

Além disso, há duas estações de metrô nas imediações. O hotel fica a apenas 150 metros da estação de metrô Cambronne.  Há, também, a estação La Motte Piquet-Grenelle a cerca de 400 metros. Ambas atendem vários pontos da capital sem a necessidade de baldeação.

Com relação às opções gastronômicas, há bons restaurantes e estabelecimentos para lanches rápidos. Há, inclusive, um restaurante italiano com pratos deliciosos e preços bem razoáveis.

Restaurante Le 7/15 – Avenue de Lowendal, 29

Onde ficar nas proximidades de Paris?

Ibis Versailles Château (Versailles)

O Ibis Versailles Château é a escolha per-fei-ta para quem vai visitar o palácio e dali emendar uma viagem para outras cidades menos “agitadas”. Já me hospedei lá duas vezes. A primeira com um grupo de amigas, quando fomos fazer o roteiro Versalhes, Giverny e Chartres. A segunda vez, foi agora em setembro, quando fui percorrer o Vale do Loire com o meu marido.

A localização é fantástica: a apenas 300 metros do Palácio de Versalhes. Os quartos são confortáveis e o café da manhã é barato e caprichado. E o melhor: o preço da estadia é excelente.

O hotel conta, ainda, com estacionamento a um preço bem justo. Isso facilitou muito a estadia, pois nas duas viagens, eu estava de carro e seguir de Versalhes para as outras cidades foi bem tranquilo.

Mais dicas de hospedagem na França

Um grande mito que precisa ser derrubado é que hospedar-se em Paris e em outras cidades francesas vai lhe custar “os olhos da cara”. Não é verdade. Fazendo uma boa pesquisa, pode-se achar acomodações simples, mas charmosas, por um preço bem convidativo.  Bordeaux, um dos destinos mais pesquisados aqui no blog, é um ótimo exemplo, entre tantas outras cidades.

O Hotel Gambetta tem uma localização excelente!

O importante é você sempre reservar seu hotel com antecedência e utilizar sites de pesquisa confiáveis. Então, mãos à obra, pois o próximo destino espera por você. E se você tiver dúvidas de como e onde reservar, sabe que sempre poderá contar com a minha ajuda e as dicas do Turista FullTime.

Categorias: Dicas de Viagem França

Tags:

10 thoughts on “Onde ficar em Paris: 5 hotéis que cabem no seu bolso”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *