Um dia de domingo pede um bom passeio. E quer coisa melhor do que morar em uma cidade que é destino de tantos turistas? Foi aí que decidi conferir um dos museus mais lindos da Holanda: o Mauritshuis, que fica pertinho da minha casa…

Não vou me estender neste assunto, pois meu propósito é falar de turismo e viagem. Vou me ater aos detalhes da visita, que é imperdível em uma passada pela cidade. A construção passou por uma grande reforma (que durou dois anos) e foi entregue novamente  este ano ao público. Quem esperou para rever “a moça com brinco de pérola”, no lugar a que pertencia, não se decepcionou.

Vermeer – século XVII

O primeiro grande impacto é a entrada: pelo subsolo, extremamente moderna e cosmopolita. Neste espaço abriga-se a bilheteria, uma loja com artigos do museu e uma charmosa cafeteria. Naturalmente que com toda a facilidade de acesso para pessoas com mobilidade reduzida.

 

Para aproveitar ao máximo sua visita, existem algumas possibilidades: você pode fazer previamente o download do aplicativo do museu (grátis) para o seu smartphone ou tablet. Caso não seja possível, você pode pegar emprestado um dispositivo do museu e acoplá-lo ao seu aparelho (neste caso, você precisará de fones de ouvido), ou ainda alugar um aparelho completo por 3,50 euros (valores de 2015). Assim, você terá acesso às informações sobre as obras mais relevantes. Há opções de áudio em Inglês e Holandês, assim como uma versão especialmente feita para crianças.

Outro detalhe é o ingresso. Você poderá comprá-lo antecipadamente online ou na hora. O museu é pequeno e nas várias vezes em que lá estive não peguei fila, mas se você quiser entrar direto, já chegue com o ticket. Não há possibilidade de agendar horário. Eu sugiro visitá-lo de manhã pois, como qualquer museu, é mais vazio e tranquilo. Fica aberto todos os dias da semana e pessoas até 18 anos não pagam.

A exibição permanente conta com mais de 200 obras de renomados pintores holandeses e flamencos da Dutch Golden Age. Além da famosa pintura de Vermeer (Girl with a Pearl Earring), há outros destaques, entre eles a Lição de anatomia do Dr. Tulp, de Rembrandt.

Rembrandt – 1632

Muito bem, cultura dá fome… aproveitamos a temperatura agradável e fomos até o Grote Markt, que é uma praça repleta de restaurantes a algumas quadras dali, para almoçar no De Boterwaag, que conta com  um ambiente bem agradável e um menu bem variado!

Enfim, este é um passeio recomendado para turistas, mas que atende muito bem a qualquer pessoa que queira passar um dia diferente por aqui. Passamos muitas horas agradáveis e eu voltei para casa com a alma leve e a mente recheada de cenas bonitas!

Categorias: Holanda

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *