6 Comentários

Madri é uma daquelas cidades que inspira um repeteco. Ainda mais se você visitar em apenas três dias! Culta, bela, vibrante. Uma ótima opção para começar a desvendar tudo o que a Espanha tem a oferecer.

Olé! Madri é muito mais do que touradas…

Eu sou apaixonada pela Espanha! É o lugar aqui da Europa em que eu mais me sinto em casa. Seu povo alegre, suas cores vibrantes, sua culinária saborosa… tudo é um convite a vivenciar este incrível país! E Madri, culta e bela, é uma ótima opção para começar a começar a conhecer a cultura e a História tão ricas deste país.

Porta de Alcalá – situada na entrada principal do Parque do Retro

Madri é uma linda cidade, sem dúvida. Um verdadeiro museu a céu aberto. Uma mescla do novo e do antigo. Uma surpresa a cada esquina. Mesmo que você não entre em um só museu, verá obras de arte por todo canto. A arquitetura da cidade é belíssima!

Como chegar do aeroporto Barajas ao centro de Madri?

A capital espanhola causa uma ótima impressão logo na chegada, com seu aeroporto grande, moderno e organizado. O serviço de transporte público até o centro da cidade  também é super descomplicado.

Em minha primeira visita (maio de 2012), fui acompanhada do meu marido. Usamos o metrô para chegar à Gran Via, uma das principais avenidas do centro. Apesar de ter que trocar de linha, foi muito fácil e o vagão era bem confortável. Já existe, inclusive, um aplicativo para celular para utilizar o sistema de transporte de maneira simplificada e eficiente.

Na segunda vez (setembro de 2014), eu estava com mais três amigas e resolvemos pegar um táxi a um preço fechado de 30 euros. Acabou sendo uma alternativa rápida e barata para o grupo. Em cerca de 20 minutos percorremos o trecho de 17km que nos levaria até o albergue em que nos hospedamos (bem no coração de Madri, a cerca de 900 metros do Museu do Prado).

Onde se hospedar em Madri?

Madri é uma cidade relativamente pequena e muito fácil de percorrer a pé. Possui um bom sistema de transporte, mas muitas vezes a mobilidade é maior sem usá-los. Então, o ideal é ficar em uma região bem central. Perto das principais atrações turísticas.

Na primeira vez, fiquei hospedada 4 noites no Petit Palace Italia, localizado na Gran Via. Gostei da localização, pois pude visitar quase tudo a pé. Para efeitos de localização, eu estava a apenas 400 metros da Puerta del Sol. Um hotel três estrelas bem honesto. O quarto era simples, mas confortável; e o banheiro era ótimo.

Na segunda vez, fiquei hospedada com as minhas amigas no Hostal San Antonio. Apesar de a acomodação ser bem simples, tudo estava bem limpinho e organizado. Excelente localização e custo-benefício. Pagamos 100 euros cada (por 3 noites) em acomodação dupla com banheiro privativo.

Veja, para quem quer café da manhã e não pode subir escadas, fica inviável. Porém, para quem quer economizar sem abrir mão da segurança, é uma ótima opção. E o atendimento foi super cordial!

Madri: o que visitar em três dias?

Ah, tanta coisa pra ver em Madri! Acho que só passando uma longa temporada por lá. Claro que para quem tem pouco tempo, é preciso priorizar. Na primeira vez, eu estava numa fase outdoor e era primavera. Então, eu queria mais era ficar perambulando pelas ruas. E nisso, a cidade não desaponta. Há lindas praças, fontes e parques. Dá pra curtir o dia todo pra lá e pra cá.

Fonte de Netuno

Na segunda vez, estava com minhas amigas e queríamos curtir a cidade, ir a bons restaurantes, assistir a um show de Flamenco e, claro, passar algumas horas no Museu do Prado. Foi uma estadia maravilhosa! Aproveitamos cada minuto por lá!

Museu do Prado

Quando planejei minha primeira viagem, tinha em mente esta atração, especificamente. O que viesse a mais, era lucro. Para amantes de museus, o Prado é um DE-LEI-TE! Visitei nas duas ocasiões, mas nem senti o tempo passar lá dentro.

Sem necessidade de apresentação,  este que é considerado o melhor museu da Espanha e um dos mais importantes do mundo, é também um ícone arquitetônico. Extremamente eclético, oferece obras para todos os gostos e de várias épocas. Além de abranger pintores de outras nacionalidades, como franceses, italianos, alemães e até holandeses!

Naturalmente, que o forte são os pintores espanhóis, mas há dezesseis alas dedicadas à pintura italiana. Resumindo: é para agradar a qualquer um! Eu fiquei encantada com as pinturas de Velásquez. Simplesmente maravilhosas! Goya também dá um show à parte.

Um detalhe: não são só pinturas que vão encher seus olhos (e sua alma) por lá. Há, também, uma coleção de esculturas composta por mais de duzentas e vinte peças da Antiguidade Clássica, trazidas da Itália entre os séculos XVI e XIX.

Dicas para aproveitar ao máximo o Museu do Prado

Como o museu é uma preciosidade, vá com tempo, disposição e sapatos confortáveis. Você vai precisar! E chegue cedo para evitar as filas. Principalmente no domingo, dia em que o museu abre suas portas GRA-TUI-TA-MEN-TE… Eba!!!

Prepare-se para deixar sua máquina fotográfica no guarda-volumes. É proibido tirar qualquer foto, mesmo sem flash. E se a fome bater, nada de ver tudo correndo. Você pode sair e voltar no mesmo dia com o mesmo bilhete. Só é preciso carimbá-lo antes de deixar o museu.

Se você estiver com o audio-guide, a mesma coisa: devolva-o, apresente seu comprovante de pagamento e certifique-se de que a responsável pelo setor o rubricou. Na volta, você poderá resgatá-lo. Simples, fácil e justo. Sua única preocupação deverá ser não perder o ingresso e comprovantes de pagamento.

Há outros museus famosos em Madri, mas só fui a este. Se você gosta de arte, vale a pena conferir  o Reina Sofia (que conta com o Guernica – de Picasso) e o Thyssen (que tem uma história apaixonante de amor à arte).

Lamento não ter ido a este último, pois minha amiga Beatriz, que estava no grupo e é formada em Arte terapia foi e ficou encantada. Ou seja, se tiver a chance, vá aos três museus, que têm a fama de formar um triângulo fundamental no que se refere à arte. Aliás, o Thyssen fica a 350 metros do Museu do Prado. Então, nada de deixar a oportunidade escapar. O Reina Sofia fica perto também, a cerca 700 metros.

Palácio Real de Madri

Construído no século XVIII, o Palácio Real de Madri é considerado o maior da Europa Ocidental, com seus 4318 quartos. É, também, a residência oficial do rei da Espanha, apesar de hoje em dia ser usado apenas para eventos oficiais.

O Palácio Real pode ser visitado e, inclusive, tem opção de entrada gratuita de segunda a quinta-feira em determinados horários para cidadãos da União Europeia. Nos meses de outubro a março, a gratuidade se dá no período de 16:00 às 18:00. Nos meses mais quentes (abril a setembro), a entrada é grátis entre 18:00 e 20:00.

Todos os detalhes para a visita, poderá encontrar no site oficial. Há, também, um aplicativo que você pode baixar no seu celular para aproveitar ainda mais a experiência. E você pode furar a enorme fila que costuma ter, adquirindo seu ingresso antecipado por aqui, mesmo!

Agora, se você não puder ou não quiser fazer uma visita ao interior do palácio, aproveite para curtir os lindos jardins.

Jardins de Sabatini

Catedral de La Almudena

Curiosamente, a Catedral de La Almudena é uma edificação relativamente nova. Sua construção iniciou-se em 1883, mas sua inauguração ocorreu apenas em 1993. Apesar disso, possui a característica de ser a primeira catedral espanhola consagrada por um papa (João Paulo II) e a primeira catedral a ser consagrada fora de Roma .

Com uma mistura de estilos neoclássico, neogótico e neorromântico, foi elaborada com mármore de Novelda ( Alicante ) e granito proveniente de Colmenar Viejo (Madri).

A catedral está aberta diariamente de 9:00 às 20:30 e pode ser visitada gratuitamente. Contudo, pede-se uma doação de €1,00 para ajudar na manutenção da mesma.

Estádio Santiago Bernabéu

Madri não é só para quem é doido por museus e igrejas (euzinha). Há diversão para todos! Os maridos, namorados e filhos não precisam ficar entediados. Uma visita guiada no Estádio Santiago Bernabéu (vulgo casa do Real Madrid) é uma grande pedida.

Naturalmente, que muitas filhas, namoradas e esposas também podem usufruir de tudo isso. Eu sou um típico exemplo: curto mais futebol do que o maridão e sou fanzoca do Real Madrid (a.k.a. time do Cristiano Ronaldo!). Então, também adorei a visita! É empolgante percorrer as diversas instalações que englobam mais do que o que vemos pela TV.

Você pode visitar a sala dos troféus, entrar no auditório onde são feitas as coletivas de imprensa e sentar na cadeira ocupadas pelos técnicos.

Pode, também, entrar nos vestiários e até sentar no banco dos reservas. Quer dizer, super poltronas chiquérrimas, de couro e da marca AUDI.

Enfim, muita emoção por 19 euros (preços de  2014/ crianças pagam 14 euros). Aviso aos empolgados: a visita à loja oficial pode sair salgada. Impossível não querer levar algum souvenir no final do passeio.

O estádio fica fora do centro turístico, mas há metrô ou ônibus saindo de vários locais conhecidos, como Plaza de España, Puerta del Sol e Gran Via. Aquele ônibus de turismo também para quase em frente ao local. Para voltar para o centro da cidade de ônibus também é simples: vi um ponto em frente ao estádio. Ou seja, não tem como se perder mesmo!

Mercado de San Miguel

Eu adoro esses mercados de cidades italianas e espanholas, que servem tanto de referência para compra de bons produtos, quanto de entretenimento para locais e turistas. O Mercado de San Miguel é um ótimo exemplo.

Inaugurado no ano de 1916, tem sua arquitetura inspirada nos moldes de outros mercados  europeus, como o Les Halles de Paris . Além disso, a estrutura de ferro de sua fachada é a única remanescente na cidade.

Para os aficionados por comida boa, é uma parada irresistível e que vale a pena o repeteco. Como funciona 365 dias do ano e com um horário bem extenso, é possível fazer qualquer refeição por lá. Você vai encontrá-lo aberto de 10:00 à meia-noite (ou até às 2:00 da madruga às quintas, sextas e sábados).

Em seus variados estandes você poderá encontrar de tudo: frutas, legumes, queijos, vinhos e, lógico: peixes frescos e embutidos variados. Eu e minhas amigas saímos de lá com um lomos de bacalhau (que eles embalam a vácuo) sensacionais.

Os preços dos petiscos e das bebidas também são bem justos. É possível comer torradinhas (com bacalhau) a partir de €1,00 e comprar uma garrafa de cava (vinho espumante espanhol) por menos de €20,00 (valores de 2014).

O acesso a ele também é muito fácil: fica no centro histórico, na Plaza de San Miguel, bem pertinho da Plaza Mayor.

Shows de Flamenco

Você gosta de cultura local? Então vá a um show de Flamenco. O mais famoso da cidade é o Corral de La Morería. O local é citado no guia 100% Madrid e no livro “1000 coisas que você tem que fazer antes de morrer”. O restaurante também está no Guia Michelin de 2012.

Para quem gosta do estilo, é um espetáculo bonito e interessante. Assisti a este na primeira visita. Há opções com ou sem jantar. Achei o jantar bem fraquinho, mas talvez fora do combo espetáculo+jantar talvez seja bom.

Se você não quiser perder a oportunidade de assisti-lo, pode adquirir as entradas com antecedência através do meu parceiro GetYourGuide. Como é um show famoso, encontrar ingressos de última hora pode ser mais difícil.

Menos salgado no preço (39 euros incluindo uma bebida – valores de 2014), o Cardamomo pode ser uma boa opção. Também é um show conceituado e que foi recomendado pelo jornal New York Times.

Você pode reservar seus ingressos por telefone e pagar somente na hora. Se passar pelo Mercado de San Miguel, procure por um representante do espetáculo. Há uma oferta: reservando por lá e pagando na hora, você tem direito a um drinque extra, pelo mesmo valor.

Eu já havia feito a reserva por telefone, então tive direito a uma sangria, que estava deliciosa. O preço porém, para uma segunda era um pouco amargo: 10 euros.

Dica importante: chegue cedo. Há lugares para todos, mas a escolha das mesas é por ordem de chegada. Se você faz questão de sentar pertinho do palco, vá no horário combinado. Normalmente, pelo menos meia hora antes do início do espetáculo, o povo já começa a chegar.

Roteiros Hop-on Hop-off

E, finalmente, uma sugestão para aqueles que querem evitar longas caminhadas. Embarque em um ônibus de turismo Hop-On Hop-Off. Presente em várias cidades do mundo, confiável e no famoso esquema de sobe-e-desce o dia todo. Você pode usá-lo ilimitadamente por um preço único e tem duas rotas distintas.

Há tarifas reduzidas para idosos e crianças. É uma excelente maneira de ter uma visão geral da cidade, com oportunidade de ouvir explicações na própria língua (Português de Portugal).

Assim, você pode decidir o que quer visitar e quanto tempo deseja ficar em cada atração. Os ônibus circulam o dia todo e passam em cada ponto em intervalos pequenos (menos de 10 minutos na alta temporada e menos de 15 minutos na baixa temporada, em média).

Onde comer em Madri?

Bom, ainda tem paciência para ler mais e fôlego para aproveitar a cidade? Então, vem comigo! Madri tem muito mais a oferecer e eu, muito mais a contar! A comida, nesta inesquecível cidade, é uma capítulo à parte. Talvez, eu devesse dedicar um post inteirinho a ele…

Mas não resisto. Vou ter que deixar você com água na boca! No momento em que você pisa na rua, encontra algum lugar que lhe chama a atenção. Minha amiga Thaís (idealizadora da segunda viagem e ótima roommate!) havia selecionado várias dicas que uma amiga madrilena havia lhe passado e fomos conferir alguns nomes da listinha.

Refeições com “experiência”

A Taberna de La Dolores fazia parte da listinha de sugestões da amiga madrilenha. Para um final de dia exaustivo, nada melhor do que sentar para comer umas tapas bem preparadas e uns bocadillos (sandubinhas caprichados). Além de tomar uma boa cerveja ou uma generosa taça de vinho Rioja. Um alívio para os pés e um refresco para mentes borbulhantes! Preços bons e ambiente muito tradicional (cheio de locais).

Se estiver lotado, não esquente: tem um botequinho maneiro na mesma calçada e o  restaurante El Rincón, no fim da rua, que nos foi aconselhado por uma gentil moradora que passeava com seu perrito e parou para nos dar informações. Segundo ela, excelente e seu favorito. Ou seja, dificilmente você perderá a viagem.

Observação: Os dois restaurantes sugeridos não possuem website próprio. Daí o motivo de eu ter utilizado (excepcionalmente) o link para o TripAdvisor.

Refeições rápidas

Para um lanche rápido e certeiro, duas opções. A primeira, sobre a qual sempre faço propaganda (gratuita): a Cervecería 100 Montaditos. Presente em vários pontos da cidade. Também presente em outras cidades  espanholas, como Barcelona , Palma de Maiorca, Valência , Tenerife, entre tantas outras,,,

Cervecería Cem Montaditos em MadriA segunda, eu não conhecia, mas fiquei fã: Rodilla. Também parte de uma cadeia de restaurantes. Ambas oferecem opções baratas e rápidas. Perfeitas para quem só quer repor as energias e continuar perambulando pela majestosa cidade, que é o que importa durante o dia.

O primeiro, como o nome sugere, oferece pelo menos 100 opções de recheios (sem exagero) para os frescos pãezinhos. O segundo, oferece wraps, saladas, sucos, mas o quente mesmo são os sanduichinhos de pão de forma com diversos patês, que são de comer rezando!

Comidas típicas

Paellas e arroz negro são muito especiais e merecem um post à parte. Vou ter que deixar você na ansiedade… cenas do próximo capítulo! Mas posso adiantar um bom lugar para comê-los: El Caldero. Especializado em pratos típicos da região da Murcia (Sul da Espanha), oferece um menu bem preparado e barato. Uma refeição com bacalhau e vinho Rioja me custou apenas 22 euros (valores de 2014). Nada como seguir a indicação de uma pessoa que morou na cidade!

Onde se exercitar em Madri?

Haja dieta depois de Madri… ou, se você preferir, leve um bom par de tênis e já comece a queimar as calorias lá mesmo. O Parque del Retiro é perfeito para correr ou caminhar, especialmente nas manhãs de domingo. Vale a pena conferir! E de quebra, você ainda alivia a culpa da gulodice do(s) dia(s) anterior(es).

Madri e seus eventos

Não sei se dei muita sorte, ou se Madri está sempre com o calendário cheio. Na primeira ocasião, presenciei as comemorações do dia de San Isidro (15 de maio), padroeiro de Madri. Os festejos aconteceram em diversos pontos da cidade e foi muito interessante ver os locais de todas as idades vestidos com roupas típicas (chamadas chulapos).

Importante ressaltar que os festejos não ficaram restritos a atos religiosos. Há sim, todo ano, uma procissão, mas o que presenciei foram shows pirotécnicos acompanhados de boa música (no Parque do Retiro). Curti, também, shows de rock e outros estilos musicais espalhados pela cidade. Vi pessoas de todas as faixas etárias curtindo os eventos e bebendo muita cerveja.

Penso que os madrilenhos aproveitam qualquer chance para uma boa confraternização! Sorte a nossa, turistas, que entramos no clima e curtimos tudo o que a cidade tem a oferecer…

Nessa segunda ida, houve a beatificação do sacerdote Álvaro del Portillo, que ocorreu no sábado (27 de setembro). Não consegui participar do evento, pois passei o dia no Museu do Prado, mas a cidade estava lotada e com as reservas de hotéis, albergues e pensões praticamente esgotadas.

O evento coincidiu também com a Conferência Europeia de Oncologia (cuja sigla em Inglês é ESMO). Então, a cidade estava realmente abarrotada. Ainda assim, nos dias em que lá estive, não vi um único incidente nas ruas, que contavam com policiamento ostensivo. Aliás, nota dez para a polícia: bem equipada e calma, além de solícita e simpática com os visitantes.

Minhas impressões de Madri

Foi incrível constatar que, apesar de o centro apresentar um grande número de mendigos e, também, de profissionais do sexo à noite na região da Plaza del Sol, não havia um sentimento de intimidação e insegurança. Turistas perambulavam tranquilamente pela cidade a qualquer hora do dia ou da noite. Nas duas ocasiões, não me preocupei em tirar joias ou relógio. Claro que pickpockets (trombadinhas) são comuns nas grandes cidades europeias, mas duvido que você vá sofrer um assalto à mão armada por lá!

Outro fato chamou bastante minha atenção nas duas ocasiões. Apesar de ter visto muitos locais passeando com seus perritos (cachorros de todas as raças e tamanhos), não avistei sequer um cocozinho no chão. Que grau de civilidade invejável! E olha que moro na Holanda, um país organizado e cheio de regras.

Também esperava encontrar, pela minha experiência com outras capitais europeias, um certo grau de desorganização no trânsito e até de falta de limpeza nas ruas, típico dos grandes centros. Qual não foi a minha surpresa ao ver uma cidade extremamente bem cuidada em todos esses quesitos. Havia, inclusive, faixas exclusivas para ônibus e táxis em todas as avenidas por onde passei.

Um outro ponto debatido é que os madrilenhos tem fama de ser mais sérios que os catalães, por exemplo. Você sabe, né? As cidades e seus estereótipos! Porém, o que vivenciei foi um tratamento super gentil, cordial e alegre, também. Todas as pessoas com quem tive contato foram extremamente amáveis e educadas.

Para turistas, especialmente, um outro fator importante é que os preços cobrados em Madri não são abusivos. A impressão que dá é que os mesmos lugares frequentados por turistas, também são apreciados pelos moradores. Madri tem uma infinidade de bares de tapas e de restaurantes, que ficam abertos até tarde. Sempre com uma atmosfera agradável e animada.

Enfim, visitaria Madri de novo sem pensar duas vezes. E tenho cá por mim, que se você for até lá, vai querer voltar também. Então, eu lhe desejo uma ótima visita! E depois me conta como foi!

Categorias: Espanha

Tags:

6 thoughts on “Madri: o que visitar em três dias?”

  1. Sensacional o post e o blog no geral! Curti muito as dicas! Me ajudaram tanto em Madrid, quanto em Haia! Já está nos meus favoritos!

  2. Espanha foi a primeira cidade da Europa que conheci em 1990. Era tao jovem viajando sozinha e naquela epoca nao se tinha muita informacao, Sai do Estado de SP e pe na estrada pra quem tem, rumo a Europa, OMG!!! Como sofri rsrs!!! Mas foi tudo maravilhoso. Que pena que nao exixtia blogs tao lindos e competente como esse Regina. Hoje ja conheco quase que a Europa toda, mas fiquei encantada com a maneira que escreveu sobre Esse pais lindo. Amo ler seus escritos. All the best and stay blessed. Lots of love.

    1. Que coisa boa ler suas doces palavras. Muito obrigada pelo carinho e por sempre acompanhar meu trabalho. Escrevo para tornar pessoas como você mais felizes. You made my day!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *