11 Comentários

Se Florença já é uma cidade deliciosa, imagine poder fazer uma imersão total no idioma e na culinária italiana? Nesta minha última ida à cidade, pude desfrutar, juntamente com um grupo de amigas, de uma aula temática de culinária no Eataly, uma referência mundial para a gastronomia típica do país.

O bom de voltar a uma cidade turística é poder desfrutar de atividades complementares que, muitas vezes, uma curta visita nos impede de fazer.

Eu havia estado em Florença com o meu marido em novembro de 2014 e fizemos aquele roteiro padrão para uma estadia de 3 dias na cidade.

Foi uma experiência adorável, mas voltei para casa com um gostinho amargo de não ter aproveitado tudo o que eu queria.

Este mês, passei mais 5 dias em Florença, e pude diversificar um pouquinho mais a experiência de estar na Toscana. Entre as novidades, consegui conhecer Pisa em um bate e volta, na companhia da minha amiga Ana Venticinque, autora do badalado blog Vou Pra Roma.

E pude desfrutar, também, de experiências gastronômicas diversificadas com o mesmo grupo de amigas com quem já visitei Madri , Bordeaux e Estocolmo, entre outros destinos.

Foi ideia da Thaís, minha grande amiga e profunda conhecedora da culinária italiana, participarmos de uma aula de culinária do Eataly. A sugestão me pareceu fantástica!

Afinal, o cardápio “il cinema in cucina” seria baseado em referências culinárias de filmes conhecidos do público. O valor da atividade, também, estava dentro dos padrões razoáveis: 35 euros por pessoa.

Achei vantajoso, pois por um valor fechado teríamos uma aula, a chance de vivenciar o idioma fora do circuito totalmente “turistão” e, de quebra, ainda teríamos um jantar garantido, com entrada, prato principal e sobremesa.

Afinal, o que é Eataly?

Vamos começar por destrinchar o nome. Eataly é a junção de duas palavras inglesas: EAT (comer) e ITALY (Itália). Porém, mais do que a simples união de duas palavras, o Eataly traz uma proposta bem singular.

O conceito, criado em 2004,  levou 3 anos de pesquisa e planejamento para ficar nos moldes que conhecemos hoje.

A proposta do Eataly é reunir todos os ingredientes italianos de qualidade em um espaço único, onde seja possível comer, comprar e aprender sobre essa deliciosa culinária. E é possível conferir essa fusão de ideias, gostos e apetrechos de cozinha em várias partes do mundo!

Unidades do Eataly espalhadas pelo mundo

A primeira unidade do Eataly foi aberta em janeiro de 2007, em Torino (Turim, em Português). Coincidentemente, a cidade onde minha amiga Thaís morou por 2 anos.

A ideia deste empreendimento, que depois firmou-se por mais 37 lojas espalhadas por 4 continentes, é bem simples e definida.

Já visitei algumas cidades onde se encontra alguma unidade do Eataly mas, infelizmente, eu as deixei passar por pura falta de pensar no assunto. Ou, de repente, elas ainda nem existiam por lá!

Entre elas, estão: Munique , Istambul , Milão, Bari, Copenhagen, Nova Iorque, Roma, Yokohama e até Tóquio. Na próxima cidade, não vou deixar a ideia escapar!

Aqui no Brasil, os únicos sortudos são os paulistanos. Nunca tive a chance de ir até a unidade de São Paulo, mas tenho o projeto. Comentam que aqui no Rio de Janeiro, uma unidade será aberta. Possivelmente, na Barra da Tijuca.

Eu vou amar se isso acontecer de fato, pois será no meu bairro! Muito sobre o tema já foi publicado nos jornais na região. Alguns dizem que antes de acontecer por aqui, outra unidade será aberta em São Paulo. Vamos ter que aguardar a decisão.

Turista FullTime nas unidades do Eataly

Eu visitei o Eataly de Gênova. Entretanto, como estive lá em uma parada de cruzeiro, não tive muito tempo para desfrutar com calma do lugar. Além disso, eu tinha as refeições garantidas no navio.

Seria bobagem gastar com um almoço e ainda usar grande parte de um período reduzido na cidade. Eu tive que priorizar os outros pontos turísticos do local.

Gostei do Eataly de Gênova. Tenho que confessar, porém, que achei o de Florença mais charmoso. Talvez por ter conseguido conhecê-lo com mais calma. Talvez pelo lado mais intimista, pelo fato de  não ser um enorme centro. Ainda que reúna tudo o que é imprescindível para torná-lo verdadeiramente Eataly.

Uma coisa, entretanto, eles têm em comum: o Eataly de Florença, fica bem pertinho do Duomo da cidade. Em Gênova, a unidade fica localizada no Porto Antico.

Aliás a walking distance do terminal de cruzeiros, um tipo de viagem que você sabe que eu amo! Essa proximidade com outros pontos de interesse torna a vida do turista muito mais fácil, já que achá-los não é um problema.

Amigos do Turista FullTime em unidades do Eataly pelo mundo

É bem comum, na blogosfera, um blogueiro ajudar o outro. Mais do que um gesto de camaradagem, é uma forma de fazer um trabalho de qualidade em conjunto.

Daí que minha colega Gisele Prosdocimi, do blog Destinos Por Onde Andei, concordou em dividir com a gente os momentos MARA que ela conseguiu passar no Eataly de Gênova. E eu deixo aqui o convite para você dar uma espiada neste post delicioso, cheio de fotos fantásticas do lugar!

A Ana Venticinque, minha companheira de outras aventuras, também nos cedeu suas impressões sobre o Eataly de Roma.

Outros colegas blogueiros também compraram a ideia de compartilhar e deram as suas contribuições. A Fernanda Scafi, do blog Tá Indo pra Onde? contou pra gente a experiência única de visitar a primeira unidade da rede em Turim.

O Rafael Borges, do blog Viajento, cedeu-nos sua abrangente visão sobre a unidade de New York. Se eu já gostava da cidade, agora tenho um motivo a mais para voltar!

E, finalmente, a unidade de São Paulo – a mais próxima para mim por enquanto! – foi apresentada com louvor pela Liliane Inglez, do blog Trilhas e Cantos.

O Eataly de Florença

Assim que você entra no Eataly de Florença, já dá de cara com uma oferta gigantesca de produtos (exclusivamente italianos) que vão desde as tradicionais massas, biscoitos e afins… até, pasme: biscoitos especiais para os nossos amados peludos.  

Imagine que chiquê: um biscoitinho Eataly para o seu bebê canino!!!

Mais ao fundo do estabelecimento, há um cantinho para relaxar, conversar e até para conferir o mundo digital! Minhas amigas ficaram abduzidas nas respectivas mídias, depois de um dia inteiro de compras, andanças e pés inchados…

Neste recinto há, também, várias mesinhas para uma refeição com os pratos produzidos no local. Ou para um lanche rápido com os itens da padaria ou do café. 

Você escolhe, dependendo do seu humor, da hora do dia e da fome.

E, por último, você encontra uma variedade enorme de carnes frescas e curadas, queijos, bebidas não alcoólicas, águas e, claro, os vinhos. Difícil sair de lá de mãos abanando!

No segundo piso, ficam mais uma área para refeições (que aliás, conta com um cardápio divino!) e o espaço gourmet, onde as aulas acontecem.

A aula de culinária no Eataly

Iniciamos nossa aula às 19:00, com degustação de vinho tinto. Mas não se anime muito com a ideia: foi degustação mesmo! Uma taça com dois dedinhos (deitados) de vinho. Estava delicioso, mas foi só pra deixar com água na boca. No restante da noite, só água sem gás.

Aqui vou ter que dar minha opinião sincera: acho que poderia haver a opção de pagar uma taxa extra e ter uma taça de vinho (regular) para acompanhar as receitas.

Qual a graça de comer comida italiana sem um bom vinho para acompanhar? Enfim, vivendo e aprendendo: da próxima vez, já compro uma garrafa antes mesmo de entrar na aula!

A escolha das receitas

Bem, começamos a aula com a preparação do Ratatouille, pois o prato demoraria um certo tempo no forno até o momento de ser servido. A receita, inspirada no filme infantil de mesmo nome. Os ingredientes já estavam cortados quando chegamos:

Passamos, então, ao preparo:

E à montagem do prato:

Depois, passamos ao Creme Brulée, inspirado no filme Le Fabuleux Destin d’ Amélie Poulain. Apesar de não ser uma receita particularmente italiana, a chef Chiara colocou um toque regional, explicando que na Toscana, acrescenta-se casca de laranja ralada, para dar um sabor diferenciado.

Na sequência, passamos ao preparo de polpette delle fate ignoranti, inspiradas no filme Le fate ignoranti. Adorei a receita: umas almôndegas feitas com uma mistura de carnes de boi e porco.

O mais interessante, é que foram fritas em pouco azeite em uma grande frigideira antiaderente. Eu, que só conhecia o modo imersão total em óleo, achei o processo muito mais saudável e menos “gordo”. 

E o produto final ficou delicioso!

Por último, preparamos os tomates verdes fritos, baseados no filme americano homônimo. Nunca tinha comido, mas gostei bastante.

O preparo é bem simples… mas é frito, como o nome já diz. Então, esse prato, provavelmente, não repetirei em casa, pois evito frituras e empanados. Mesmo assim, curti ajudar a prepará-los. E o gosto é bom!

Preparo dos tomates verdes fritos.

A experiência

Gostei de ter participado da aula. Foi uma ótima oportunidade de conviver com pessoas locais, ouvir o idioma sendo usado para algo específico e, acima de tudo, trazer inspiração para casa.

Estou de volta da viagem há pouco mais de duas semanas e já preparei (toda empolgada) a receita de ratatouille duas vezes! Segui as dicas das chefs e o prato ficou saboroso.

A escolha das receitas foi apropriada e democrática. A princípio, achei que poderiam ter sido apenas receitas italianas, já que a aula aconteceu na Itália e com nativas do idioma. Depois refleti sobre o assunto e cheguei à conclusão de que foi uma escolha abrangente.

Tendo a aula acontecido em uma cidade altamente turística, seria natural ter um público diversificado. Tenho certeza de que todos ali se identificaram com as receitas.

Quem nunca assistiu ao famoso ratinho cozinheiro do Ratatouille? Ou ao tão famoso “Tomates Verdes Fritos”? Os outros dois, eu não fazia a menor ideia sobre o que tratavam. Uma bela atitude de inclusão! 

Nota dez também para a acolhida das duas chefs. Apesar de todos os outros alunos serem italianos, nós cinco não nos sentimos nem um pouco excluídas. A Thaís era a única do grupo com fluência no idioma. Poderíamos ter ficado meio “no vácuo”. Porém, enquanto uma chef apresentava o modo de preparo, a outra nos ajudava a entender o passo a passo com explicações em Inglês.

As duas chefs e minha querida amiga Thaís em ação!

Eu tentei prestar muita atenção às explicações em Italiano. Afinal, eu buscava a imersão total. E devo dizer que entendi muito bem. Devem ter sido os inúmeros “cursos” que fiz nos cruzeiros da MSC! Mas o legal é que elas nos deram a possibilidade de integração no idioma que nos era mais confortável. Achei uma atitude muito bacana!

A lição que trouxe para casa

A vida é cheia de oportunidades de aprendizado. As idealizadoras da aula, são super engajadas não só nos cursos presenciais, mas em produzir material para o blog Forchettina Giramondo e fã-pages do Facebook que visam promover uma consciência alimentar. Pareceu-me trabalho muito sério e interessante. Daí que resolvi divulga-lo, para o caso de você se interessar por uma alimentação mais saudável.

Fonte de pesquisa:

https://en.wikipedia.org/wiki/Eataly

11 thoughts on “Florença: aula de culinária temática no Eataly”

  1. Adorei poder viver esta experiência através de seus olhos querida amiga.
    Adoro cozinhar e amo a culinaria italiana.
    Alias, vou ter que dizer que adorei também nosso bate e volta a Pisa.
    Eataly é mesmo fantástico, adoro… Imagino a diversão deste grupinho!!!

    1. Querida Ana, fico muito feliz de você ter gostado do post, minha amiga italiana! A aula de culinária com as amigas foi bem divertida. Nosso bate e volta a Pisa foi show, também! Agora, quero conhecer o Eataly de Roma e o de São Paulo. Hehehe! Beijão!

  2. Sempre recebo as propagandas dos cursos da unidade aqui se São Paulo, mas é difícil coincidir uma ida à cidade com tempo suficiente para isso… De qualquer maneira, fazer isso na Itália é outra história!!

    1. Oi, Rafael! Muito obrigada pela leitura e por sua participação valiosa no post. Com certeza, a vida é muito corrida e nem sempre conseguimos conciliar tudo. Mas que bom que você conseguiu conhecer a unidade de São Paulo, ainda que a aula de culinária tenha ficado pra a próxima… Devo confessar: uma aula de culinária italiana na Itália é muito show, mesmo! Abraço!

  3. Adorei o post, Regina, mais ainda por ter meu blog citado generosamente por você, que além de escrever maravilhosamente bem, percebe e compartilha destinos e experiências como poucos.
    Uma visita ao Eataly, em qualquer de suas unidades, já é uma experiência fantástica, e aprender a preparar pratos tradicionais da culinária internacional, uma oportunidade mais rica ainda.
    Parabéns pelo post, sua intenção com certeza será atingida, de compartilhar receitas saudáveis e saborosas, aprendidas em um templo gastronômico respeitado no Mundo todo. Quem não ama um Eataly?

    1. Querida Gisele, sua participação foi valiosa! Eu lhe agradeço a generosidade de compartilhar suas experiências e fico muito feliz de você ter gostado do post. É muito legal essa troca! Nós, que gostamos tanto de viajar, temos sempre muito a aprender com outros viajantes!Um beijo grande e cada vez mais sucesso com o seu blog, que já é uma referência até entre nós, blogueiros de viagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *