Sem Comentários
O outono começou, oficialmente, ontem… mas para nós, os brasileiros morando ou passeando pela Holanda, os últimos dois dias tiveram a cara de inverno com tudo o que a estação tem direito: chuva, vento, e temperaturas mínimas por volta de 10 graus. Quem passou desavisado, podia jurar que já havíamos entrado no inverno!…

Depois de quase sete anos na Holanda, contudo, fui incorporando a ideia de que a última coisa que você deve fazer morando por aqui é associar lazer a bom tempo. Se você se basear nessa condição, ficará dentro de casa grande parte do ano.

Sim, eu sei, como bons brasileiros, temos a tendência de querer sair correndo quando vemos o sol e de nos esconder ao menor sinal de chuva, mas pra ser feliz na Holanda  é preciso se libertar desse pensamento.

Fácil não é… Exige disposição, disciplina e treino. Difícil no começo… só dá vontade de dormir… e de comer! Não conheço um único adulto que não tenha engordado ao se mudar para cá. Faz parte do processo… e também do aprendizado. Só não precisa ser assim pra sempre!

Muito bem: você levantou às 7:00 da manhã, olhou lá pra fora e mesmo ainda sendo final de setembro está escuro. Bem, se a essa altura já bateu aquele desânimo, saiba que (ainda) não é o fim do mundo. Perto do Natal, você olhará lá pra fora duas horas depois, e continuará escuro.

E aí? Como dizer para o nosso relógio biológico que já é dia? Entra aqui, a parte do treino… saia de baixo das cobertas; já é o primeiro passo dado.

Planeje seu dia, mesmo que você não tenha nenhum compromisso formal (tipo trabalhar ou estudar ou levar filho à escola etc.) e inclua pelo menos uma saída de casa. E não vale computar as saídas com o cachorro! A pior coisa será passar o dia no isolamento. Há muita coisa que uma cidade europeia pode oferecer num dia frio e chuvoso. Elas estão preparadas para isso, também.

Toda cidade tem pelo menos um museu. Se você tiver a sorte de morar perto dos grandes centros, terá uma boa seleção deles. Você pode eleger o seu preferido e ir visitá-lo várias vezes. Uma boa pedida é o Mauristhuis, que fica em Haia, uma cidade que vale uma visita!

O meu preferido em Haia: o Mauritshuis. Imperdível!

Você deve estar se perguntando: “tá, mas isso vai sair caro”… Não se você tiver um museumkaart. Ele dá entrada gratuita em dezenas de museus por todo o país e, também, desconto na hora de comprar ingressos para algumas exposições (aquelas com prazo para acabar).

Além disso, volta e meia aparecem ofertas do tipo desconto para o seu acompanhante (sim, o cartão é pessoal e intransferível), workshops, eventos diversos… enfim, uma chance de sair de casa e, ao mesmo tempo, ser Turista FullTime!

Você pode adquiri-lo por cerca de 55 euros (valores de 2015) e usar ilimitadamente por um ano. Para isso, você pode acessar o site ou ir direto a um museu em que ele seja aceito e comprá-lo na hora. Ele estará ativado no momento da compra. O meu foi adquirido no Mauritshuis e eu pude aproveitar “right away” o benefício. Prático e rápido.
Se você considerar que Haia e Amsterdã tem juntas aproximadamente 120 museus, vai ver que é um bom negócio.  Claro que nem todos aceitam o cartão, mas ainda assim é vantagem. E não é só nessas duas grandes cidades que ele é aceito. Você pode percorrer o pais todo, utilizando-o. Olha que ótima chance de sair de casa!

Se você não gosta de museus, ainda assim não tem desculpa para se esconder debaixo das cobertas. Vá ao centro, apenas perambule pelas lojas, observe o vai-e-vem das pessoas, tire fotos aleatórias, escute conversas… mesmo que você não entenda o que é falado,  vai reconhecer as palavras que já aprendeu e se sentir feliz.
E por falar em entrar em lojas sem o objetivo de comprar, aqui na Holanda ninguém lhe importuna muito. Se você não estiver procurando por algo especial, nem precisar de ajuda, o funcionário muito provavelmente irá cuidar feliz da própria vida no momento que souber que você “só está olhando”.

Não tem paciência para entrar e sair de lojas sem algum propósito? Então, vá ao ponto de ônibus ou tram (aqueles bondes modernos que circulam pela cidade) mais perto da sua casa, sente-se e vá até o final da linha. Você vai gastar pouco e conhecer mais da cidade em que mora. Se algo lhe interessar, desça e confira. Senão, refaça o percurso, voltando para casa. Nessa brincadeira, você gasta pelo menos umas duas horas e retorna com a sensação de ter feito algo diferente.

Hoje, tive sorte: fui almoçar com duas amigas. Fazia frio e a previsão era chuva, mas aproveitei uma trégua do aguaceiro e lá fui eu… com determinação e guarda-chuva, não tem o que me prenda em casa! Passei horas muito agradáveis, escondida no aconchego do restaurante italiano que escolhemos, depois tomando um gostoso café na casa de uma delas… foram horas de boa conversa, risadas e 0% tédio e solidão…

Claro que nem todo dia é assim. Cada um tem seus compromissos e nem sempre há a chance de estar rodeado de conhecidos ou amigos… O que vai fazer? Lamentar-se e achar que é um dia “azarado”? Claro que não! O fato é que, com ou sem alguém para lhe fazer companhia, o importante é que você encontre lazer e distração onde quer que você more e seja qual for a estação do ano. Estar só não precisa ser sinônimo de solidão… Acontece com todo mundo, mesmo quando se tem muitos amigos.

Categorias: Vida na Holanda

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *