Sem Comentários
Gorjeta é sempre um assunto controverso: há pessoas que são absolutamente contra. Outras, que são a favor, desde que o serviço oferecido tenha qualidade. Independentemente da sua opinião, o assunto pode ser um motivo de desconforto e dúvida, já que para algumas culturas e povos, o ato de receber um extra do cliente pode soar como algo inusitado, inexperado ou até mesmo ofensivo!… Então,  como agir para não errar, tanto para um extremo quanto para o outro?
 

Em alguns países, a gorjeta não é obrigatória, mas a prática já está tão difundida que a imposição já é vista como certa. É o caso do Brasil, por exemplo. A maioria dos estabelecimentos já calcula os 10% e o total a ser pago já vem ajustado. E não pagar a gorjeta – no caso de um mau atendimento – significa ter que verbalizar o motivo da recusa em pagar. No mínimo, um desconforto para ambos os lados da situação.

Em alguns países, o atendente simplesmente traz a conta e não faz menção alguma à gorjeta. Em outros, o atendente avisa que a gorjeta não está incluída. Daí cabe ao cliente decidir o valor para demonstrar a apreciação pelo trabalho recebido. E é justamente nessas duas ocasiões que surgem as dúvidas: devo dar gorjeta ou não? Qual será o valor justo (ou esperado) para cada país ou povo?

Resolvi, então, listar os destinos mais comuns (ou os casos mais inusitados) para você curtir um momento ou lugar, com uma preocupação a menos.

Holanda

Normalmente, quem trabalha em bares e restaurantes são estudantes. Às vezes, não têm a experiência e o traquejo de um garçom profissional, mas costumam atender com simpatia e educação. A conta vem no valor exato gasto. Não esperam gorjeta, mas ficam contentes com alguns trocados deixados pelo cliente. Muitas vezes, depositam o valor em um grande jarro de vidro cujo conteúdo será repartido ao final da noite entre todos os funcionários.

Jantar em um tram em movimento – Haia

Estados Unidos

Devido ao baixo salário pago para a categoria, os garçons americanos não só esperam, como dependem da gorjeta para complementar seus rendimentos. Americanos têm o hábito de dar gorjeta em muitas situações. Então, prepare-se para deixar uma gorjeta de pelo menos 15 a 20% do valor da conta em um restaurante.

Não deixar gorjeta será recebido como um descontentamento, já que americanos só não dão gorjeta se o atendimento foi realmente terrível, o que é muito improvável. Os atendentes costumam ser simpáticos, eficientes e rápidos (uma vez que sabem que essas atitudes serão recompensadas).

Jantar no Logan – Orlando 2007

​Outro detalhe: no momento em que você disser que não consumirá mais nada, a conta virá para você. Não se ofenda: é apenas um traço cultural, já que os nativos não têm o hábito de permanecer no ambiente após terminada a refeição.

Inglaterra

Ingleses têm o hábito de deixar gorjeta apenas se o atendimento foi excepcional. Ainda assim, caso você queira deixar uma gorjeta para demonstrar que gostou do serviço, 10% será mais do que suficiente. Os atendentes não esperam que você o faça. Portanto, arredondar o valor já será visto como um sinal de apreciação.

Alemanha

Alemães, assim como os ingleses, não costumam dar gorjeta. Mesmo arredondar o valor não é algo que se espera do cliente. Ainda assim, se você quiser fazê-lo, peça para incluir no total do cartão de débito ou crédito, ou avise ao pagar que o valor “está certo”.

​Não espere manifestações entusiasmadas ao fazê-lo. Um simples e educado “danke” será a resposta mais provável. Não é de bom tom, também, esperar o atendente virar as costas e deixar umas moedinhas sobre a mesa antes de sair. Se quer dar uma gorjeta, faça-o enquanto ele ainda está a sua frente.

França

Almoço delicioso nos jardins do Palácio de Versalhes

Apesar de a gorjeta não ser obrigatória no país, muitas vezes, um acréscimo de 15% do valor total pode já vir incluído na conta. Se o serviço foi excepcional, é de bom tom deixar mais uns 5 a 10% do valor total. Uma outra forma de demonstrar satisfação é enviar, através do garçom, um elogio ao chef.

Itália

A gorjeta, normalmente, não vem incluída na conta. O mais comum é a pessoa arredondar o valor na hora de pagar. Note-se, porém, que como o pão é servido em todas as refeições, os estabelecimentos costumam incluir no total uma quantia que vai de 1 a 3 euros por esse consumo.

Portugal

Assim como na Itália, a gorjeta não vem incluída na conta. Entretanto, algo em torno de 10% do valor consumido é uma boa forma de agradecer pelo bom serviço prestado.

Espanha

Os espanhóis costumam dar uma gorjeta bem modesta. Algo em torno de 7 a 13% vai ser mais do que bem-vindo.

Turquia

As gorjetas não são obrigatórias e devem ser deixadas apenas em dinheiro vivo. Normalmente, não é possível acrescentá-las ao valor pago com cartão de crédito. Algo em torno de 10% é o ideal.

O ataque ao típico pão turco!

 República Tcheca

A gorjeta quase sempre vem incluída na conta. Caso não venha, algo em torno de 10 a 15% é o ideal.

Marrocos

Assim, como na República Tcheca, a gorjeta quase sempre vem incluída na conta. Caso não venha, algo em torno de 10 % também é o ideal.

Rússia

Também não é obrigatória, mas se você quiser demonstrar satisfação pelo bom atendimento, dê a gorjeta em espécie diretamente ao atendente, pois se deixar o dinheiro sobre a mesa, o valor pode ir diretamente para o gerente do estabelecimento. Algo em torno de 10 % é o ideal.

Japão

Um brinde aos meus maravilhosos anfitriões!

Definitivamente, não dê gorjeta! Não importa se você jantou no mais espetacular restaurante de uma cidade ou se comeu uma refeição rápida em um estabelecimento simples. No Japão não há a cultura da gorjeta e receber dinheiro de um cliente é considerado ofensivo. Há, porém, outras formas de demonstrar a satisfação por um excelente atendimento. Agradecer na língua local “arigatou gozaimasu” (muito obrigada) já vai deixar a pessoa muito feliz.

Índia

O hábito de dar gorjeta na Índia tem um aspecto peculiar. É um traço cultural que o atendimento seja definido na base da confiança (nesse caso específico, o valor recebido). Um atendente satisfeito, certamente lhe fará um serviço melhor.

Não é uma questão se subornar a pessoa que lhe serve, mas sim de demonstrar que está disposto a compensá-la pelos bons serviços. Em um bar ou em um hotel, por exemplo, dar gorjeta adiantada garantirá uma maior excelência no atendimento.

Na verdade, a gorjeta não é vista culturalmente como um “obrigado”, mas sim como um investimento por parte do cliente para garantir um bom atendimento. Cultura não se discute.  ​

To tip or not to tip em cruzeiros

A gorjeta é compulsória em cruzeiros. Você, normalmente, paga por dia e por passageiro. O total referente a esse custo vem incluído na sua fatura, que é entregue na última noite do cruzeiro, juntamente com outras eventuais despesas que você tenha feito.

Independentemente dessa cobrança, entregar aos garçons um envelope com uma quantia a sua escolha na última noite, é uma forma de retribuir toda a atenção e gentileza que eles lhe proporcionaram por toda a semana.

MSC Preziosa – 2014

É impressionante notar que, apesar de atender várias mesas em dois turnos consecutivos, eles costumam memorizar os gostos e hábitos de cada passageiro. Já fiz sete cruzeiros e em todos eles, esse é o comportamento padrão: muita simpatia e cuidado por parte dos garçons.

Com relação ao funcionário que cuida da sua cabine, a mesma coisa: deixar um envelope no último dia demonstrará seu reconhecimento pelos excelentes serviços prestados durante toda a viagem. Mais uma vez, reforço: esses profissionais trabalham exaustivamente para que tudo esteja perfeito, do início ao fim. É mais do que justo que eles recebam uma recompensa financeira por isso, já que seus salários costumam ser baixos.

To tip or not to tip: eis a questão!

Logicamente que, em tempos de Real desvalorizado com relação a outras moedas, deixar gorjeta sempre será uma despesa a mais. Porém, o ato de dar gorjeta vai além da simples demonstração de estar satisfeito com um serviço.
Dar gorjeta implica em um ato de generosidade e simpatia, pois você está se divertindo, passeando, aproveitando a vida, enquanto outra pessoa está trabalhando para lhe proporcionar bons momentos.

Categorias: Dicas de Viagem

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *