Sem Comentários

Barcelona é uma daquelas cidades que fazem você cair de amores logo de cara! Linda, alto-astral, vibrante e cultural. Queira você agito, História, Arquitetura ou simplesmente curtir o clima de praia, Barcelona no verão vai ser garantia de curtição!

Meu caso de amor com Barcelona

Barcelona foi o destino escolhido em 2009 para inaugurar a série de verões morando aqui na Europa. A ideia era pegar uma praia e, ao mesmo tempo, curtir um pouco das inúmeras opções culturais da cidade. Foi uma ótima decisão: com dois garotos (idades 14 e 12 anos, na época) tinha que haver um equilíbrio: só cultura e com temperaturas acima dos 30 graus seria confusão e cara feia na certa!

Gostei de Barcelona de cara. É descolada, descontraída e movimentada. Os bares e restaurantes ficam abertos até tarde da noite. Daí que senti a mesma energia positiva e vibrante que paira nos bares da Zona Sul do Rio de Janeiro ou nas charmosas ruas próximas aos canais 3 e 4 em Santos (SP). Quem conhece esses lugares, sabe o que quero dizer Aquele ambiente leve, despretensioso e que faz a gente se sentir “em casa”… 

Barcelona é um ótimo porto de partida para um cruzeiro

Escolher Barcelona para embarcar em um cruzeiro lhe dá a vantagem de desfrutar da cidade com mais calma, antes de curtir um roteiro pelo Mediterrâneo. Existem muitas outras vantagens em embarcar nesta cidade catalã.  Inclusive, a facilidade de locomoção.

Em agosto de 2012, quando visitei a cidade pela segunda vez, a estadia foi muito curtinha. Cheguei um dia antes de embarcar para um cruzeiro e, no dia do desembarque, voltei para casa. Uma pena… nem deu para curtir muito! Na terceira vez em que lá estive (abril de 2013), fiz o contrário. Fiquei uma noite a mais, depois de desembarcar.

Em agosto de 2015, foi a escolhida para o embarque de um outro cruzeiro. Resolvi chegar duas noites antes de embarcar, para poder curtir um pouco mais a cidade. E como me organizei bem, aproveitei bastante a curta estadia.
E, finalmente, nesta última vez (julho de 2016), resolvi dar uma esticada e ficar quatro noites antes de embarcar para mais um cruzeiro pelo Mediterrâneo. Esta última estadia merece um post à parte, por inúmeros motivos. Vale a pena esperar por um post completo. Vou dar uma canjinha: consegui até comemorar as minhas Bodas de Prata em uma linda igreja e com uma cerimônia pra lá de especial. Prometo contar TUDO com detalhes!

A linda celebração de 25 anos de muito amor e união…

Barcelona no verão é algo que você vai querer repetir!

Bem, como Barcelona é uma cidade com infinitas possibilidades, fica difícil fazer um post bem completo e que seja, ao mesmo tempo, resumido. De modo que vou focar minha atenção (e a sua paciência) naquilo que você precisa saber para ter a melhor estadia possível. independentemente do tempo disponível que você tem para ficar na cidade ou da época do ano que você escolha.
Eu já contei em outro post tudo aquilo que você pode fazer em uma parada de cruzeiro, quando tem apenas algumas horas para ver o que é mais imprescindível na cidade. Mas sorte sua se a sua estadia for de uma semana, como foi a minha primeira vez na cidade. Aí você vai poder curtir de tudo um pouco!

Como chegar a Barcelona?

De Amsterdã, há várias opções de voos. Fui com a minha parceira KLM (companhia holandesa) todas as vezes, mas poderia ter ido com a Iberia, a Transavia, a Ryanair ou a Vueling. Enfim, são muitas companhias operando essa rota. E há uma variação enorme de preços, também. O voo direto dura cerca de 2 horas e a chegada ao aeroporto é bem tranquila e organizada.

Como chegar do aeroporto El Prat ao centro e vice-versa?

O Aerobús é um meio eficiente e barato para você ir do El Prat ao centro da cidade e vice-versa. Ele é um shuttle oficial que conecta os terminais 1 e 2 do aeroporto internacional ao coração da cidade – a Plaça de Catalunya.

Com partidas a cada 5 minutos e preços unitários a €5,90 (ou ida e volta a €10,20) é uma ótima opção para quem está sozinho. O trajeto dura 35 minutos, em média, e os tickets podem ser adquiridos on-line. Convém sempre consultar o site oficial para informações atualizadas, já que esses valores correspondem a julho de 2016, última vez em que consultei o serviço.

Para quem está acompanhado, talvez seja mais conveniente pegar um táxi. Na minha última viagem, éramos quatro passageiros e foi mais vantagem pagar cerca de 25 euros (incluindo as malas) para ficar próximo à Plaça de Catalunya.

Importante fazer uma ressalva: os táxis em Barcelona cobram uma taxa extra por mala (grande ou pequena). Ainda assim, são uma boa alternativa, quando o percurso é inferior a quinze quilômetros de distância ou  quando a localidade não é atendida pelo itinerário do Aerobús. Os motoristas costumam ser cordiais e honestos quanto ao trajeto e prestação de serviços.

Onde se hospedar em Barcelona?

Holiday Inn Express

As acomodações deste Holiday Inn Express acomodam um casal com duas crianças no mesmo quarto, pois há opção com sofá-cama. Bom hotel, pertence à uma rede confiável, é organizado e limpo.

Inconveniente: o quarto em que ficamos não tinha frigobar. Isso faz muita falta, especialmente durante o verão. Ainda mais porque há um mercado a cerca de uma quadra dali.

Vantagens: não fica na região da muvuca, mas há estação de metrô à curta distância. Há um calçadão nas imediações (tipo a Rambla do centro) com várias opções de bares e restaurantes com preços bem acessíveis. É possível caminhar até a praia, que não é tão lotada quanto as da região central da cidade.

Desvantagem: não fica próximo aos pontos turísticos. Então, é preciso pegar o metrô, o que acaba cansando um pouco, especialmente no auge do verão. Para quem não liga de sair do hotel pela manhã e voltar só quando encerra o dia, ele tem uma ótima relação custo/benefício.

Hospedei-me lá duas vezes, pois com família e tendo que pagar por dois quartos, acaba sendo uma escolha esperta.

Hotel Indigo Barcelona – Plaza Catalunya

Este hotel charmoso fica no coração de Barcelona e tem uma localização perfeita. Fica a 200 metros apenas de Passeig de Gràcia, a elegante avenida das lojas de grifes mais requintadas. Além disso, localiza-se à curta distância de pontos turísticos, como La Pedrera.

Conta, também, com um pátio interno com piscina ao ar livre e máquina Nespresso na ampla acomodação dupla. Perfeito para quem quer requinte, excelente atendimento e facilidade de acesso a tudo. Preço um pouco salgado, entretanto. Para uma noite apenas, foi uma escolha fantástica!

Hotel Caledonian

Hospedei-me no Hotel Caledonian duas vezes (em 2015 e 2016) e indiquei para várias amigas, que também aprovaram a escolha. Excelente custo-benefício. Nas duas ocasiões, reservei dois quartos, com café da manhã incluído.

Foi uma ótima escolha, principalmente devido à localização. Fica a apenas 280 metros da estação de metrô Universitat e próximo a muitas lojas, bares e restaurantes. Além disso, há um Carrefour Express nas redondezas, para quem está cansado e prefere comer algo rápido no quarto mesmo. 

Lugares bons para comer em Barcelona

Barcelona tem inúmeros lugares fantásticos para saborear a deliciosa comida catalã. Não há como listá-los  e descrevê-los em poucas linhas, de modo que você terá que dedicar um tempinho a mais em outro post, completíssimo, sobre as minhas experiências gastronômicas nesta linda cidade!

Seleção de tapas do imperdível Vinitus

Barcelona e as atrações turísticas imperdíveis

A Sagrada Família

Para a Sagrada Família, é fundamental se organizar com antecedência. É, sem dúvida, a atração mais procurada da cidade e o ingresso tem horário estipulado para entrar na catedral. Certifique-se de chegar com um pouco de antecedência, pois o local fica lotado e você tem que entrar na fila certa.

Quando eu visitei, eu queria um tour guiado (era o mesmo preço), mas os grupos em Inglês ou Espanhol estavam esgotados e tive que me contentar com o audio-guide. Optei pelo Português, para ver como seria. Logicamente, era o Português de Portugal, mas valeu.

A construção é belíssima, tanto por dentro, quanto por fora. O bom é que, com audio-guide, você aprecia as coisas com calma e decide quanto tempo fica em cada cantinho do lugar. Não seria absurdo dizer que é preciso reservar pelo menos uma hora para percorrê-la com calma.

Casa Batló

Para esta atração, as filas costumam ser enormes! Além disso, a compra do ingresso pelo site oficial só garante escapar da fila para comprar Mas, você terá que encarar a fila para entrar… Contudo, se você pagar uma taxa extra, adquire o Fast Pass (o “fura-fila”) e entra sem esperar nada. Foi o que fiz: tempo é dinheiro, especialmente se a viagem for curta!

Com o guia interativo, você visita a casa no seu ritmo e não perde um detalhe. E aí vai uma novidade: o recurso multimídia é bem legal, pois faz uma combinação de áudio com alguns recursos visuais, à medida em que você entra em cada cômodo e aponta para determinadas direções. Bem interessante, mesmo.

La Pedrera

Outra obra icônica de Gaudi,  é uma atração imperdível para quem é muito fã do artista. O preço da entrada pode ser um pouco salgado (34 euros), mas é um bom complemento para entender a mente deste gênio das Artes.

Uma ideia interessante é conciliar a visita com a ida à Casa Batló. Elas ficam muito próximas uma da outra, na mesma avenida. 

Parque Güell

Quando visitei o parque, em 2009, foi super tranquilo. Cheguei com meus filhos e meu marido e curtimos o lugar. Não era preciso comprar ingresso. Bastava chegar!

Em 2015, meus filhos quiseram retornar ao parque. Porém, não foi possível. Tudo porque não obedeci minha regra básica: a pesquisa. Imaginei que tudo continuaria igual (ingenuidade minha) e que não haveria necessidade de se fazer uma reserva. 

Daí que quando meus filhos decidiram (já na cidade) que queriam voltar lá, fui conferir as condições e vi que agora há a necessidade de agendar dia e hora.

Fica a dica para quem não quer perder a atração de jeito algum. Aliás, o local é fascinante mesmo e vale a pena uma organização prévia.

Parc  Montjuïc

Bem legal este parque, que nem estava nas minhas Top Priorities, mas que foi uma agradável surpresa! Ele não fica perto das outras atrações turísticas, mas para chegar até lá é tudo bem descomplicado. Da Plaça de Catalunya, é só pegar o ônibus 55 e descer no ponto um pouco adiante do Funicular de Montjuïc.

Não tem como errar. No caminho, você ainda passa pela Fundação Miró, de maneira que, com planejamento, você pode fazer os dois passeios com uma única linha de ônibus.

O Parc  Montjuïc é enorme, de modo que você poderá passar boas horas por lá, se quiser. Você pode subir de funicular ou a pé pelas trilhas (há, inclusive, a possibilidade de comprar só bilhete de ida).

Uma vez no topo, você pode ver grande parte da cidade (e do porto) e visitar uma fortaleza construída no século XVII para proteger a cidade de possíveis invasores.

Post sem fim…

Sim, você não leu errado. Eu não vou poder terminar este post hoje! Espero que não possa terminá-lo nunca! Eu amo Barcelona, uma das cidades do meu coração. Ainda tenho lugares e eventos que visitei e que não descrevi.

Entre eles, um jogo entre Barcelona e Manchester City! Ainda quero visitar esse lugar mágico, frenético, charmoso inúmeras vezes. Vou além: é meu plano de aposentadoria! De modo que, em breve, a continuação pintará por aqui…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *